Jump to content


UOL: Centrão diz a Bolsonaro que só auxílio de 400 reais evitará derrota em 2022


ALF
 Share

Recommended Posts

O que Jair Bolsonaro finge não ver o Centrão já enxergou faz tempo.

 

O presidente está com a popularidade em baixa e tem poucas chances de reverter sua queda.

 

A má condução da pandemia, como se sabe, foi fundamental para arruinar a aprovação do ex-capitão. Nesse quesito, porém, o máximo que ele conseguirá é parar de piorar.

 

Embora tudo indique que a maior parte dos brasileiros estará vacinada até o fim do ano, a imunização tardia da população não apagará o marco das 500 mil mortes por covid-19 que o país fatalmente atingirá até lá e que cairá na conta do ex-capitão.

 

Na área da economia, Bolsonaro tampouco pode ter grandes esperanças.

 

Apesar da melhora nas projeções de crescimento, o tempo corre contra ele.

 

Em 2022, o Brasil deve sair do fundo do poço, mas não a ponto de conseguir a redução da miséria ou a diminuição drástica do desemprego - ou seja, não a ponto de produzir no eleitorado uma percepção de melhora na qualidade de vida que chegue a alavancar Bolsonaro.

 

E é por esse motivo que líderes do Centrão deram na semana passada um ultimato ao presidente: ou ele turbina o auxílio emergencial para 400 reais ou será derrotado nas urnas em 2022.

 

A renovação do benefício, aprovada em março por PEC emergencial, vale até agosto e começou a ser paga neste mês, no valor médio de 250 reais.

 

A avaliação de lideranças do Centrão é que só um benefício significativamente maior que esse conseguiria fazer o candidato Bolsonaro penetrar no segmento do eleitorado de mais baixa renda — até hoje fiel ao ex-presidente Lula. Na última pesquisa Datafolha, o petista aparece 18 pontos à frente de Bolsonaro no primeiro turno; e vence o ex-capitão por 55% a 32% dos votos nas projeções para o segundo turno.

 

Em entrevista publicada hoje pelo jornal Valor, o senador Ciro Nogueira, presidente do PP, partido do Centrão, disse acreditar na reeleição de Bolsonaro. Mas lembrou ter um "carinho enorme" por Lula.

 

O Centrão, como até Bolsonaro sabe, carrega a alça do caixão, mas não pula dentro da cova.

 

Hoje, ele quer 400 reais para continuar segurando a alça.

 

E isso não é uma sugestão, mas um aviso.

 

https://noticias.uol.com.br/colunas/thais-oyama/2021/05/31/centrao-diz-a-bolsonaro-que-so-auxilio-de-400-reais-evitara-derrota-em-2022.htm

Link to comment
Share on other sites



3 horas atrás, ALF disse:

 

O Centrão, como até Bolsonaro sabe, carrega a alça do caixão, mas não pula dentro da cova.

 

 

Nada pode ser mais verdadeiro do que essa frase.

 

Eu sinceramente penso que nem aumentando o auxílio irá mudar algo na rejeição dele que só tende a aumentar e bater 70% até o final do ano.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Nem 400 reais serão suficientes para melhorar essa imagem de forma significativa

E o Bolsonaro teme cair não pela condução da pandemia, mas justamente por pedalada, ele tem PAVOR de furar o teto de gastos ou o orçamento

Link to comment
Share on other sites

5 horas atrás, ALF disse:

Em entrevista publicada hoje pelo jornal Valor, o senador Ciro Nogueira, presidente do PP, partido do Centrão, disse acreditar na reeleição de Bolsonaro. Mas lembrou ter um "carinho enorme" por Lula.

Já tá preparando terreno pra pular do barco que está afundando... Esse centrão não tem jeito mesmo.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

  • Tell a friend

    Love eplay? Tell a friend!
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Terms of Use.