Jump to content
ūüďĘ Compra de Pontos e Assinatura agora s√£o via Mercado Pago √ó


LucasPG

Membro
  • Posts

    9,252
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    4
  • Pontos

    107,533 [ Donate ]

LucasPG last won the day on December 29 2022

LucasPG had the most liked content!

4 Followers


About LucasPG

  • Birthday 10/25/1985

Recent Profile Visitors

4,442 profile views

LucasPG's Achievements

Enthusiast

Enthusiast (7/14)

  • Very Popular Rare
  • Conversation Starter
  • First post
  • Collaborator
  • Reacting Well

Recent Badges

6.2k

Reputation

  1. Eles, incrivelmente, vendem. Faz sentido a CNN ter os dois, fora do hard, porque eles s√£o as pessoas que a CNN coloca pra fazer aqueles institucionais de banco, montadora, empresa de tecnologia, nos intervalos do canal. Eles s√£o o rosto da publicidade da CNN.
  2. Clientes Prime gastam cerca de 4x mais na Amazon que n√£o assinantes. Nos EUA, assinantes gastam cerca de 2 mil d√≥lares anuais, enquanto n√£o-assinantes gastam cerca de 500 d√≥lares anuais. S√≥ nos EUA isso d√° quase 120 bilh√Ķes em compras a mais por ano. Acha que eles se importam em "dar" uma assinatura? O jogo √© outro. N√£o tem como comparar.
  3. Você está enganado. Tem dezenas de relatórios indicando que a taxa de pessoas que esquecem de cancelar é altíssima e por isso as empresas continuam dando meses grátis, depois de você colocar os dados do seu cartão de crédito.
  4. J√° a quest√£o do esporte, √© muito mais complexa. No mundo todo os direitos esportivos est√£o sendo inflados por empresas que, nem de longe, precisam que o streaming seja um sucesso financeiro, como a Amazon, Apple e, agora, o Google (com o Sunday Ticket da NFL). Essas empresas entram nas disputas, inflam o valor, e muitas vezes saem da disputa depois. √Č uma estrat√©gia b√°sica de longo prazo: invista, ganhe algu√©m prest√≠gio, mesmo sem lucro, mas fa√ßa, durante o processo, os seus competidores mais tradicionais quebrarem. A√≠ elas assumem os restos e faturam muito daqui alguns anos. √Č um luxo que a m√≠dia tradicional n√£o tem, porque n√£o tem dinheiro em caixa.
  5. Você não precisa que alguém lembre de uma série depois que ela termina. Você precisa que alguém esqueça de cancelar a assinatura. Esse conceito de memorabilidade é antiquado. Elas querem saber quantos assinantes tem, qual a taxa do chamado "churn" (gente que assina e depois cancela) e quanto esses assinantes geram em receita. Fim. O resto é coisa pra twitteiro discutir.
  6. Essa √© a grande quest√£o: eles n√£o precisam de um sucesso brasileiro. Algu√©m assina Netflix (l√≠der, de longe, no mercado brasileiro) pra ver Bom dia Ver√īnica? Ou algu√©m assina o Prime pra ver Dom? Algu√©m assina Disney+ para ver Mila no Multiverso? Sucesso no streaming √© quantos assinantes tem e quanto recebe por eles. √Č dinheiro. Fim. Conte√ļdo nacional √© muito mais sobre prest√≠gio local que sobre sucesso. Na maioria dos pa√≠ses √© cota. Aqui as pessoas assinam para ver Stranger Things, An√©is do Poder, Jack Ryan e s√©ries da Marvel. Por isso sempre achei essa hist√≥ria de novela pra streaming internacional uma grande bobagem. N√£o v√£o fazer diferen√ßa no n√ļmero de pessoas que assinam e na manuten√ß√£o desses assinantes, porque, no caso dessas empresas, os conte√ļdos de sustenta√ß√£o s√£o outros.
  7. Esse modelo de produzir e distribuir est√° falido, n√©?! Ou um, ou outro. A CNBC (especializada em neg√≥cios) fez uma grande reportagem, ontem, sobre como as marcas de m√≠dia est√£o reduzindo suas estruturas, para um foco √ļnico. Crescer em tamanho e escopo deixou de ser bem visto e a Globo tem uma estrutura incompat√≠vel com o mercado atual. Qualquer TV, hoje, precisa de um pr√©dio de 3 andares, com uma boa reda√ß√£o/est√ļdio multiuso pra jornalismo. TV n√£o paga c√Ęmera, operador de √°udio e equipamentos para entretenimento, seja de fic√ß√£o ou n√£o-fic√ß√£o. TV n√£o monta estrutura de transmiss√£o esportiva em est√°dio. Isso √© coisa para produtoras, n√£o distribuidoras. Cria-se, mas n√£o executa. Essa √© uma l√≥gica b√°sica, mundial, mas n√£o aceita no Brasil. E isso explica a decad√™ncia da TV brasileira. O excesso de marcas vai prejudicar a Globo, a m√©dio prazo. GloboNews √© uma marca de jornalismo na TV, mas n√£o √© a marca de jornalismo digital da Globo (que √© o G1), por exemplo. Isso n√£o √© aceito mais em praticamente lugar nenhum. √Č desperd√≠cio ilimitado. E, como j√° disse v√°rias vezes, em algum momento a Globo vai ter que decidir o que quer ser e focar em algumas marcas, e n√£o em v√°rias marcas. Essa hist√≥ria de ser mediatech √© uma grande bobagem. E o mercado de m√≠dia j√° percebeu (Disney acabou de acabar com todo o setor de metaverso da empresa, por exemplo). Voc√™ √© o que √© e precisa preservar essa marca e esse core. Simples.
  8. LucasPG

    tv paga CNN Brasil

    Imagine quando a CNN estiver, de fato, na TV aberta. Dani vai pra guerra.
  9. LucasPG

    tv paga CNN Brasil

    Dani muito CNNer nessa entrevista. Daniela Lima fala sobre 3 anos de CNN Brasil, fake news e haters - 27/03/2023 - Zapping - Cristina Padiglione - F5 F5.FOLHA.UOL.COM.BR Jornalista se abre pela 1ª vez sobre trajetória na tela e explica por que o canal lhe roubou o hobby da...
  10. A Apple anunciou a data de lan√ßamento de Killers of the Flower Moon, filme que re√ļne Martin Scorsese com dois de seus colaboradores mais frequentes, Leonardo DiCaprio e Robert De Niro. De acordo com a Variety, o longa ter√° estreia em circuito limitado em 6 de outubro, e depois ter√° lan√ßamento mundial no dia 20 do mesmo m√™s. Ainda de acordo com a publica√ß√£o, o filme deve chegar ao AppleTV+, em uma data posterior. Vale lembrar que o longa faz parte de um projeto da empresa para se aproximar de distribuidoras de Hollywood, que tamb√©m inclui um pacote com investimentos na casa de US$ 1 bilh√£o por ano. O lan√ßamento de Killers of the Flower Moon nos cinemas ficar√° por conta da Paramount Pictures. Ainda h√° tamb√©m a expectativa de o filme ser exibido no Festival de Cannes, em maio. Caso o rumor se confirme, o longa ser√° exibido cinco meses antes de sua chegada aos cinemas. O Festival de Cannes 2023 acontece entre 16 e 27 de maio na Riviera Francesa. O diretor sueco Ruben √Ėstlund, vencedor de duas Palmas de Ouro, vai presidir o j√ļri da competi√ß√£o. A sele√ß√£o de filmes do Festival de Cannes 2023 ser√° revelada em abril, mas j√° h√° v√°rios rumores rodando a internet, incluindo o da presen√ßa de Killers of the Flower Moon. A hist√≥ria se passa nos anos 1920 em Oklahoma, onde o filme est√° sendo gravado, e mostra o assassinato de uma s√©rie de membros da Na√ß√£o Osage, donos de terra onde h√° muito petr√≥leo. Os crimes ficaram conhecidos como Reino do Terror. Dirigido por Martin Scorsese com or√ßamento de mais de US$ 200 milh√Ķes e com roteiro de Eric Roth, Killers of the Flower Moon adapta o livro de mesmo nome escrito por David Grann. Jesse Plemons (Judas e o Messias Negro) far√° o protagonista da hist√≥ria, que conta com Leonardo DiCaprio (O Lobo de Wall Street), Robert De Niro (O Irland√™s), Lily Gladstone (First Cow), John Lithgow (The Crown) e Brendan Fraser (Nem um Passo em Falso) como estrelas. https://www.chippu.com.br/noticias/killers-of-the-flower-moon-estreia-scorsese-leonardo-di-caprio-robert-de-niro
  11. Raquel √© excelente e entende que imprensa n√£o √© rela√ß√Ķes p√ļblicas pra ficar fazendo publicidade positiva de governo. Foi uma voz constante contra o bolsonarismo (e ainda √©), mas o governo Bolsonaro, felizmente, acabou. A imprensa s√©ria agora tem que analisar e cobrar o governo atual, pelas atitudes do governo atual. Fim. O resto √© bobagem de gente que espera "pano" porque o Bozo era pior. Era mesmo. Mas isso n√£o d√° ao Lula um cheque em branco pra fazer (e falar) bobagem.
  12. N√£o √© nenhum exagero dizer que v√°rias gera√ß√Ķes entraram no mundo da literatura atrav√©s da Turma da M√īnica. Imagino que exista uma corrente elitista por a√≠ que ache que n√£o √© literatura; mas √©. No caso desse senhor, li que tem um √ļnico livro de auto-ajuda corporativa. Nem pra ser elitista serve.
  13. N√£o faz diferen√ßa financeira pra Apple, naturalmente. US$ 1 bi √© troco de bala. E nem acho que isso influencie muito nas assinaturas da TV+ e no pr√≥prio ecossistema da Apple. Mas isso faz uma enorme diferen√ßa no convencimento dos grandes nomes de Hollywood, que amam lan√ßamentos tradicionais. A Apple, sabiamente, quer se tornar a queridinha de Hollywood e vai conseguir. Tem o dinheiro que eles amam, e ningu√©m mais tem, e vai dar a eles o formato que eles amam. √Č um neg√≥cio de prest√≠gio, sendo constru√≠do pacientemente.
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Terms of Use.