Jump to content


Rated R

Membro
  • Posts

    421
  • Joined

  • Last visited

  • Pontos

    462 [ Donate ]

About Rated R

  • Birthday 06/30/1988

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

Rated R's Achievements

Newbie

Newbie (1/14)

  • First post
  • Reacting Well
  • Dedicated
  • Week One Done
  • One Month Later

Recent Badges

200

Reputation

  1. Não. Na época de Pé na Jaca, ela já tinha reatado com o Rodrigo Hilbert.
  2. Sim, foi casada com o Waddington, mas eles só foram trabalhar juntos depois da separação. E ele entrou na Globo em 85, muito tempo depois da Lídia. Sem contar que ela, inclusive, fez um trabalho fora da Globo no período em que esteve casada com ele. Então, acredito que ali, os dois tentaram ao máximo não misturar vida pessoal e profissional. Ao contrário da Ranaldi, cuja parceria, nesse sentido, funcionou melhor do que na época que ele estava casado com a Lídia.
  3. Ela só deve ter conseguido se impor pra valer a partir dos anos 90, quando já estava consolidada como grande atriz.
  4. Sim, tanto que foi o Cassiano que impôs a Susana como protagonista de Anjo Mau, e o Régis teve que aceitar.
  5. Cada pessoa lida de modo diferente. Cássio é filho do Cassiano Gabus Mendes, então o próprio pai já deve ter alertado sobre os riscos da profissão. Eu entendo bem o lado da Lídia em não querer mais ficar exposta, não é todo mundo que consegue conviver numa boa com as questões que a fama traz. Ja sobre as relações familiares, nos anos 70 já era comum os diretores trabalharem com suas esposas, vide o Daniel Filho com a Betty Faria e a Regina Duarte, e o Régis Cardoso com a Susana Vieira (inclusive, a primeira protagonista dela, em Anjo Mau, contava com a direção dele).
  6. Anos depois do último trabalho dela, ela declarou em uma entrevista (uma das últimas que concedeu, até onde eu sei) para a Manchete, que não conseguia mais lidar com as relações dentro do mundo artístico. Que era tudo muito falso e ilusório, e que tinha visto muita coisa destrutiva que fez mal pra ela. Não deu detalhes mais explícitos, mas deve ser algo relacionado à guerra de egos, injustiças e afins.
  7. Tem muita gente que é apenas Q.I., sem ter feito teste do sofá. Muito por conta dos autores e diretores gostarem do trabalho de alguém em cinema ou teatro, e desejarem mesmo levar determinado nome pra televisão. Mas sempre tem alguém que, por inúmeros motivos (rosto e corpo bonito, na maioria das vezes), é convidado ou convidada a fazer o teste do sofá pra garantir uma vaga. Uma pessoa que eu admiro por ter assumido a prática foi a Vera Fischer. Ela disse, em uma entrevista para a Playboy, há alguns anos, que só conseguiu entrar na TV depois de fazer o teste do sofá. Citou que se arrependia, mas, caso contrário, não teria conseguido se firmar na carreira. Tem muita gente, como a própria Priscila e a Lídia Brondi, que preferiram se afastar, justamente por não aceitarem compactuar deste tipo de comportamento.
  8. Meu amigo contou algumas histórias de bastidores que só comprovam que algumas fofocas não são tão irreais assim. Ele até já mudou de profissão, mas chegou a fazer testes para participar de A Força do Querer, da Glória Perez. Foi dispensado porque não estava em panelinha e, tampouco, era indicação de nenhum diretor.
  9. Meu amigo não chegou a se tornar exatamente um ator conhecido, apesar dos papéis terem falas e um certo destaque. Mas o diretor é um renomado diretor e, também, ator da Globo. Pra facilitar, foram duas tramas exibidas entre 2011 e 2012, uma no horário das 21 horas, e a outra, às 18.
  10. E esses casos dessas exigências não estão restritos apenas às atrizes...Tenho um amigo que chegou a fazer parte de duas novelas da Globo e que não conseguiu mais chances de escalação, porque se recusou a sair com o diretor das novelas em que atuou. E não é preciso ser adivinho pra saber que essa prática rola, pelo menos, desde os anos 70.
  11. Priscila já deu diversas entrevistas falando que desenvolveu depressão, porque não conseguia entender e aceitar o meio no qual vivia. O estopim foram as críticas que ela recebeu por conta da sua interpretação em Sete Pecados, que agravaram o quadro da doença. Foi a partir daí que ela recusou diversas novelas (A Favorita, Caminho das Índias, Caras & Bocas, Morde & Assopra) e, aos poucos, se afastou da mídia. Nesse meio tempo, só topou participar de Tempos Modernos quando conseguiu que a liberassem de ser a protagonista para viver a antagonista, por ser um papel menor. Mas exatamente nessa trama, percebeu que estava cansada da superexposição e dos problemas de bastidores. Talvez possa ter acontecido algum episódio mais pesado nesse meio tempo, mas até agora nada foi divulgado por ela. Uma coisa é certa: ela está bem mais feliz atualmente, do que na época em que era uma das queridinhas da Globo.
  12. Uma vez, cheguei a ler em algum lugar que o Maneco tinha pensado em Mariana Ximenes e em Débora Falabella para a Nanda de Páginas da Vida. Mas nunca encontrei uma nota ou reportagem confiável sobre isso. Se foi esse mesmo o caso (e, em vista das escalações da época), Fernanda pode ter surgido como um nome considerável e soube aproveitar a chance. Mas, realmente, depois de Sangue Bom, ficou esquecida pela emissora. De Mariana e Maneco, só tenho conhecimento dessa intenção aqui: https://www.terra.com.br/diversao/tv/jornal-manoel-carlos-quer-mariana-ximenes-em-proxima-novela,c218316b99a1b310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html Mas, como ela foi escalada para Joia Rara, não sei dizer para qual papel o Maneco pensava em ter a Mariana.
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Terms of Use.