Jump to content


Search the Community

Showing results for tags 'audiência retro'.



More search options

  • Search By Tags

    Type tags separated by commas.
  • Search By Author

Content Type


Forums

  • Entertainment
    • TV News
    • International TV
    • Series
    • On Air
  • Geral
    • General Area
    • Music
    • Movies
    • Politics
  • Feedback
    • Compra de pontos
    • Site Questions
    • Announcements and Updates
    • Archive

Blogs

There are no results to display.

There are no results to display.


Find results in...

Find results that contain...


Date Created

  • Start

    End


Last Updated

  • Start

    End


Filter by number of...

Joined

  • Start

    End


Group


AIM


MSN


Website URL


ICQ


Yahoo


Jabber


Skype


Localização


Interesses


Twitter


Last.fm


Spotify


Snapchat


Filmow


Banco de Séries


TVShow Time


Instagram

Found 815 results

  1. Fatmagul 20h20 - 21h15 25 7 5 4 https://www.google.com/amp/s/rd1.com.br/em-sua-reta-final-fatmagul-bate-recorde-de-audiencia/amp/
  2. Após um longo período em baixa, “Meu Pecado” começou a crescer na audiência em sua reta final. Nesta última terça-feira (28), por exemplo, a novela protagonizada por Maite Perroni registrou ótimos índices de audiência e garantiu a vice-liderança isolada para o SBT. Segundo dados consolidados, o folhetim registrou 7,6 pontos de média e 9.0 de pico, sendo a a maior audiência da emissora no período da tarde. Logo na sequência, “A Feia Mais Bela” também fechou na vice-liderança com 7,1 pontos de média. “Esmeralda” também segue registrando ótimos índices para o SBT. Mais cedo, a novela marcou 7 pontos de média, enquanto que o segundo capítulo de “Sortilégio” registrou 5,6 pontos. Cada ponto equivale à 65 mil domicílios na Grande São Paulo. https://famososnaweb.com/na-reta-final-meu-pecado-bate-recorde-de-audiencia/amp/ Anteriormente SBT já pode dar uma nova chance pra novela
  3. 1989: 23,56 (parcial) 1990: 21,69 1991: 21,65 1992: 24,26 (parcial) 1993: 28,35 (parcial) 1994: 23,58 (parcial) 1995: 22,55 1996: 23,14 1997: 23,24 (parcial) 1998: 21,42 (parcial) 1999: 21,50 2000: 20,00 2001: 20,61 (parcial) 1989: 1990: 1991: 1992: 1993: 1994: 1995: 1996: 1997: 1998: 1999: 2000: 2001:
  4. Médias anuais: 1986: 13 (12,76) 1987: 11 (10,67) 1988: 10 (10,34) 1990: 10 (9,93) 1991: 08 (8,47) 1992: 10 (10,01) 1993: 10 (9,55) 1986: 1987: 1988: 1990: 1991: 1992: 1993 - reprises:
  5. Título: Prova de Amor De: Tiago Santiago Direção: Alexandre Avancini Horário: 19h30 Emissora: Record Data: 24/10/2005 a 17/07/2006 Duração: 229 capítulos Outras Versões: A Pequena Órfã (1968-69 - inspiração) Reprises: 04/08/2008 a 15/05/2009 (16h45/17h/17h30/17h45/17h/16h45, 197 capítulos); 27/07/2015 a 10/05/2016 (14h45, 203 capítulos) Audiência: Original - 16,6; Reprise 1 - 4,8; Reprise 2 - 6,5 Prova de Amor foi a novela que a Record deitou e rolou, consolidou visibilidade, incomodou a Globo e gerou impacto na concorrência. Qual a fórmula mágica de tudo isso? O seu enredo batido, provavelmente, contribuiu, além de sua direção voltada para a ação, mesmo que o enredo não saísse do lugar e, o principal de tudo isso, vir com a novela certa no mesmo momento em que a Globo trazia uma novela errada: tiro certeiro. Vemos aqui um ótimo elenco, com atores competentes, entre novatos e veteranos, com uma direção precisa, com um ar eletrizante, além de um enredo clássico, bastante folhetinesco e que prende a atenção do público rapidamente, com eficiência e estimula a querer saber o que acontece dali por diante. De fato, uma novela agradável de se acompanhar, apesar de muitas vezes rasa, com diálogos não tão bons, mas eficientes na compreensão do público. É fato que os esticamentos que a novela teve a fez padecer de enrolação, barriga, situações bizarras como o modo zumbi do vilão assassinado no famigerado "quem matou?", que empurrou a novela com a barriga até o final, mas manteve o público embarcado nessa (apesar de não ter ampliado sua explosão por isso, assim com oa entrada de Cobras e Lagartos na Globo barrou o seu crescimento, impedindo voos mais altos). Grande parte do sucesso de Prova de Amor se deveu ao fato da Globo exibir uma novela ruim no horário, mas é injusto desmerecer a novela basicamente por isso, afinal, trazia ali um folhetim clássico, com uma roupagem "global", uma opção realmente atraente para o horário, onde o SBT padecia com números baixos e não conseguia concorrer, fazendo a Record ganhar pontos, com seus méritos. A novela poderia ser mais enxuta se fosse mais curta, mas sua fórmula ainda funciona até hoje. Sua primeira reprise não deu certo basicamente por falta de competência da emissora, já a sua segunda, com uma boa gestão, trouxe resultados e, podemos ter certeza que se a Record levar ela ao ar de novo, de forma correta, obterá bons resultados novamente (não deve tardar tanto a ocorrer, visto as tendências). Uma releitura daria certo? É o tipo de enredo que sempre dá certo, entretanto, sabemos bem que é muito cedo para falar disso e a Record mal dá conta de suas produções inéditas, mas é fato que uma nova reprise em um futuro não tão distante possa dar certo. SINOPSE Em 1998 Clarice (Lavínia Vlasak) e Daniel (Marcelo Serrado) decidem se casar quando ela descobre estar grávida, frustrando os planos de Lopo (Leonardo Vieira), que sempre foi apaixonado pela moça. Sem escrúpulos, ele consegue incriminar o rival por assassinato, enviando-o para a cadeia no dia do casamento. Paralelamente Elza (Vanessa Gerbelli) rouba um dos gêmeos recém-nascidos de Joana (Bianca Rinaldi) e Filipe (Heitor Martinez) – dado como morto por uma armação – para dar o golpe da barriga em um amante rico, o qual descobre e a abandona. Após três anos Daniel consegue fugir da prisão, mas é perseguido pelos capangas de Lopo e seu carro cai de um precipício, fazendo com que todos acreditem que ele morreu. Quem investiga o caso é a policial Diana (Patrícia França), ex-namorada de Daniel que apesar de ainda ama-lo, é uma boa pessoa e acredita em sua inocência, fazendo de tudo para protegê-lo, até mesmo despistar o parceiro, Júlio (Jorge Pontual). Ela descobre que Daniel sobreviveu, mas está em coma profundo, escondendo de todos a informação até que ele recupere a consciência. Percebendo que nem mesmo a suposta morte enfraquece a imagem de Daniel, Lopo sequestra a filha dos dois, Nininha (Júlia Maggessi) e a menina acaba indo parar na casa de Elza, que coloca ela e Joãozinho (Pedro Malta), além de Tita (Shaila Arsene) e Zezinho (Diego Francisco) – outras duas crianças roubadas – para pedir dinheiro nas ruas e sustentá-la. Mais quatro anos se passam quando Daniel finalmente consegue sair do coma e se reencontrar com a amada, unindo-se para fazerem justiça contra as atitudes de Lopo e reencontrar a filha, mesmo que pra isso Clarice precise fingir estar num relacionamento com o mau-caráter. Já o casamento de Joana e Filipe está em ruínas, uma vez que, anos antes, eles começaram a receber ligações anônimas contando que seu filho foi roubado no parto – enquanto ele nunca acreditou, ela dedicou anos na busca. O relacionamento fica ainda mais abalados com a chegada do médico Marco Aurélio (Ricardo Pereira), que acredita em Joana. Tudo muda quando Eduardo (Pedro Malta), um dos gêmeos, vê pelas ruas Joãozinho e percebe que ele só pode ser Ricardo, seu irmão roubado, iniciando uma busca particular por ele. As crianças só podem contar com Pestana (Luiz Henrique Nogueira), ex-namorado de Elza que os cria com afeto, embora nunca os deixe ir embora por medo dela, além de Velho Gui (Rogério Fróes), senhor de bom coração que mora próximo e acredita em Nininha. Já Janice (Fernanda Nobre), irmã de Clarice e secretamente apaixonada por Daniel por anos, estava com Nininha no dia do sequestro e se culpa por isso, desenvolvendo inúmeros transtorno obsessivo-compulsivos, como tomar vários banhos ao dia, sofrendo com isso. A trama ainda conta com outras histórias, como de Paty (Renata Dominguez) e Rafa (Cláudio Heinrich), que vivem um amor impossível, uma vez que ela é irmã de Lopo e ele de Daniel, tendo que enfrentar não só o mau-caráter, como também o pai da moça, Dr. Vitor (Paulo Figueiredo), que não quer a filha envolvida na família de um fugitivo. Após anos casadas com Gerião (André Segatti), amigo e capanga de Lopo, Raquel (Maria Ribeiro) finalmente consegue sair do relacionamento e se envolve com Gábi (Theo Becker), outro irmão de Daniel, embora também passe a seduzir Rafa, criando uma tensão entre eles. Já a mãe dos rapazes, Tereza (Cláudia Alencar), criou os filhos sozinha e com muita luta e tem que lidar com a volta do ex-marido, Cadu (Raul Gazolla) que a abandonou na juventude para seguir como surfista. O taxista Padilha (André Mattos), casado com Marília (Maria Ceiça), vive em guerra com a sogra, Zita (Marina Miranda), e tem que lidar com a gravidez na adolescência da filha, Lúcia (Jéssica Sodré). ELENCO 1- MARCELO SERRADO – Daniel Avelar / Flávio Alencar 2- LAVÍNIA VLASAK – Clarice Luz 3- LEONARDO VIEIRA – Vitor Lopo Jr. (Vitinho) 4- HEITOR MARTINEZ – Felipe Marinho 5- BIANCA RINALDI – Joana 6- ROGÉRIO FRÓES – Velho Gui (Guilherme Silva) 7- VANESSA GERBELLI – Elza Socorro 8- LUIZ HENRIQUE NOGUEIRA – Vicente Pestana 9- PATRÍCIA FRANÇA – Diana Alba 10- JORGE PONTUAL – Júlio Ladeira 11- PAULO FIGUEIREDO – Dr. Vitor Lopo 12- ESTER GÓES – Beatriz Luz 13- ÍTALA NANDI – Maria Eduarda 15- 14- RENATA DOMINGUEZ – Pati (Patrícia Lopo) 16- CLÁUDIO HEINRICH – Rafa (Rafael Avelar) 17- THÉO BECKER – Gabriel 18- CLÁUDIA ALENCAR – Teresa 19- RAUL GAZOLA – Cadu (Carlos Eduardo) 20- HELENA XAVIER – Alice (Tia Mágica) 21- RICARDO PEREIRA – Marco Aurélio / Marco Antônio 22- FERNANDA NOBRE – Janice 23- MARIA RIBEIRO – Raquel Miranda 24- ANDRÉ SEGATTI – Gerião (Rogério Correia) 25- DÉO GARCEZ – Dr. Alexandre Herculano (Xande) 26- VALQUÍRIA RIBEIRO – Valéria 27- ANDRÉ MATTOS – Ariosvaldo Padilha 28- MARIA CEIÇA – Marília 29- MARINA MIRANDA – Zita 30- JÉSSICA SODRÉ – Lúcia 31- MAURÍCIO RIBEIRO – Jonas Pereira 32- ROBERTO PIRILO – Dr. Hélio Nereu 33- DANIEL ANDRADE – Chicão (Francisco Santos) 34- PERFEITO FORTUNA – Miro das Candongas (Valdemiro Marques) 35- ÉRIKA FACCINI – Telma Sandenberg 36- ANA PAULA TABALIPA – Luísa Palmares 37- ANTÔNIO POMPEO – Amadeus 38- ROBERTO FROTA – Seu Ferreira 39- RENATA PASCHOAL – Adelaide 40- TICIANE PINHEIRO – Madu 41- MARISE GONÇALVES – Inocência 42- DANIEL MARINHO – Barroso 43- RENATO RONEY – Pit 44- ANNA MARKUN – Eleonora 45- RAFAEL ZULU – Bira (Ubirajara Nascimento Ferreira) 46- AUGUSTO VARGAS – Rodolfo Saulo Veigas 47- LUKA RIBEIRO – Monstrão 48- MARCELO ASSUMPÇÃO – Durão 49- PAULO VESPÚCIO – Casca Grossa 50- ROGÉRIO FABIANO – Leandro 51- MARCIA KAPLUN – Elisa 52- JÚLIA MAGESSI – Nininha (Mariana) 53- PEDRO MALTA – Eduardo / Joãozinho (Ricardo) 54- SHAILA ARSENE – Tita (Cristina) 55- DIEGO FRANCISCO – Zezinho 56- VITOR DE ANDRADE – Celso 57- ANA ELIZA OLIVEIRA – Vânia 58- ADRIANA GARAMBONE – Stella Garcia (advogada sequestrada por Lopo Jr. e assassinada) 59- ANDREAS AVANCINI – Pepe 60- ANDRÉ FILLIPPI DI MAURO – João Bonforte 61- ANDRESSA OLIVEIRA – Adriana 62- ANTÔNIO FRAGOSO – Dirceu 63- BERNARDO CASTRO ALVES – Cleto 64- CHRISTOVAM NETO – Gibi 65- DANILO RIBEIRO – Tibério Fialho (colega de Júlio e Diana na delegacia) 66- FELIPE FOLGOSI – Dr. Baltazar Matoso (psiquiatra que trata de Elza) 67- GORETE MILAGRES – Margarete 68- GUILHERME BOURY – Nobru 69- GUSTAVO MORAES – Natan 70- JITMAN VIBRANOVSKI – juiz 71- LOUISE DTUANY – Luana 72- MALU GALLI – Samanta 73- MARCELO PICCHI – Dr. Estanislau Creonte Carvalho (advogado corrupto cúmplice de Elza e Pestana) 74- MÁRCIO GARCIA – Paulo Barão (Paulo Sérgio Barros Vidal, traficante morto no estacionamento de um shopping por Diana) 75- MARIA GLADYS – mãe de Elza 76- MURILO ELBAS – Pregão 77- MYRIAM PÉRSIA – juíza de paz que casa Gui e Alice 78- NÁDIA LIPPI – Cacilda (falecida esposa do Dr. Vitor Lopo) 79- NANDA ZIEGLER – Gigi (garota de programa) 80- PRISCILA ROZEMBAUM – Guide (enfermeira cúmplice de Elza no sequestro de Joãozinho da maternidade) 81- RAQUEL NUNES – Iolanda 82- SÉRGIO ABREU – Murilão (Murilo Vilaça, um dos homens de confiança de Lopo Jr., matou Marco Aurélio) 83- SÔNIA CLARA – Carla Santoro 84- SYLVIA BANDEIRA – Lola 85- VINÍCIUS MARQUES – Roberto André TRILHA SONORA 01. O BARQUINHO – Karla Sabah (tema de abertura) 02. MAR E SOL – Gal Costa (tema de Pati e Rafa) 03. O QUE EU FUI AINDA EU SOU – Keil Welly e Yasmin (tema de Clarice e Daniel) 04. O NOSSO AMOR A GENTE INVENTA – Twiggy (tema de Lopo Jr.) 05. MARCAS NA AREIA – Théo Becker (tema de Gabriel) 06. EU SEI QUE ELA – Cidade Negra (tema de Diana e Júlio) 07. MULHER – Elba Ramalho (tema de Teresa) 08. EU TE AMO – Fafá de Belém (tema de Joana) 09. AMOR – Ivan Lins (tema de Daniel) 10. TOCANDO EM FRENTE – Maria Bethânia (tema do Velho Gui) 11. CORAÇÃO INSANO – Karyme Haas (tema de Elza) 12. A DOIS PASSOS DO PARAÍSO – Banda Catedral (tema de Lúcia e Jonas) 13. HERDEIROS DO FUTURO – Toquinho (tema de Ricardo/Joãozinho e Eduardo) 14. O PINCEL E O CRIADOR – Sérgio Reis (tema de Nininha) 15. SE A GENTE GRANDE SOUBESSE – Kades Singers e Adair (tema das crianças) 16. PALAVRAS, SILÊNCIOS – Zeca Baleiro e Fagner (tema de Raquel) 17. NINGUÉM TE AMOU ASSIM – Rosana (tema de Beatriz) 18. COMEÇO, MEIO E FIM – Simony (tema de Janice) 19. NA LINHA E NA LEI – Rita Lee e Dadi (tema de Alexandre) 20. EU NÃO SOU DE VACILAR – Sombrinha (tema de Padilha) 21. AGORA SÓ FALTA VOCÊ – Camila Titinger (tema de Pati) 22. HISTÓRIA DE UM AMOR – Alexandre Arez (tema do Dr. Vitor Lopo) CURIOSIDADES Primeira novela produzida no Recnov, centro de produção de dramaturgia da Rede Record. A emissora investiu na compra de dois estúdios de Renato Aragão, para que neles fossem gravadas as suas novelas. Reformas e adaptações foram feitas e o local foi batizado de RecNov (Record Novelas). O estúdio fica em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro, além dos Estúdios Globo. Com estética e elementos típicos dos folhetins globais, a trama conquistou boa parte dos telespectadores da Globo que rejeitaram a proposta ousada da novela Bang Bang, concorrente no horário. Foi como se o público tivesse encontrado na Record uma tradicional novela das sete que não estava vendo na Globo naquele momento. “As pessoas diziam que parecia novela da Globo em outra emissora. E realmente era!”, disse o autor Tiago Santiago a Flávio Ricco e José Armando Vannucci para o livro “Biografia da Televisão Brasileira”. Assim como o autor, o diretor Alexandre Avancini havia deixado a Globo para assumir a direção geral de uma produção na Record e, por isso, os processos de gravação, edição e finalização eram extremamente semelhantes. Em pouco tempo, Prova de Amor conquistou a vice-liderança no horário nobre e o título de produto de maior audiência da emissora. Em vários momentos, a trama encostou seu Ibope no da novela da Globo. O capítulo exibido em 18/01/2006 conseguiu um feito inédito: pela primeira vez a Record ultrapassou em audiência o Jornal Nacional – o Ibope registrou a liderança por 8 minutos na Grande São Paulo. O sucesso fez com que a direção de emissora esticasse a trama em 54 capítulos, passando de 143 para 197. E em seguida foi esticada em mais 32, totalizando 229 capítulos. O último capítulo foi exibido em uma segunda-feira. Prova de Amor fechou com 16,6 pontos no Ibope da Grande São Paulo, o equivalente a 25% do público de seu horário. A produção posterior que mais perto chegou deste número foi Os Dez Mandamentos, em 2015-2016: 16,4 de média. Esse sucesso levou a emissora a transformar Tiago Santiago em consultor no segmento, obrigando praticamente todos os demais autores a submeterem suas sinopses à avaliação dele. Tiago permaneceu neste cargo até 2009, quando foi contratado pelo SBT. (“Biografia da Televisão Brasileira”, Flávio Ricco e José Armando Vannucci) Tiago Santiago informou que a maior parte do roteiro (95%) de Prova de Amor era de sua autoria. Os outros 5%, ele foi buscar na novela A Pequena Órfã (TV Excelsior, 1968) e em clássicos da literatura: O Conde de Monte Cristo, Oliver Twist e O Príncipe e o Mendigo – este último também inspirou uma novela homônima produzida pela Record em 1972. Da trama de A Pequena Órfã, o autor tirou a história de Nininha (Júlia Magessi), menina que é obrigada pela megera Elza (Vanessa Gerbelli) a pedir esmolas na rua e encontra amparo nos braços do bom velhinho Gui (Rogério Fróes). Este entrecho já havia servido de inspiração para a novela Sonho Meu, de Marcílio Moraes, na Globo, em 1993 Leonardo Vieira, que viveria Daniel, um dos protagonistas, chegou a gravar as chamadas da novela. Porém, durante aulas de artes marciais para a composição do personagem, o ator sentiu dores na virilha e foi diagnosticada uma hérnia inguinal, o que provocou seu afastamento. O papel ficou com Marcelo Serrado. Após a alta médica, Leonardo Vieira voltou às gravações da trama para interpretar outro personagem, o vilão Lopo Jr. Boa parte das gravações da novela foram em externas, em ruas (Leblon, Barra da Tijuca, Recreio e Vargem Grande), praia (Grumari) e locações (como uma mansão no Leblon). Prova de Amor teve corpos seminus e cenas mais apimentadas do que nas novelas anteriormente vistas na Record. Foi uma tentativa da emissora de, à época, apagar a ideia de que sua programação é vinculada à Igreja Universal do Reino de Deus – segundo seus executivos (a maioria ligada à igreja), sem poder de veto. A novela misturou à sua história depoimentos de pais em busca de filhos desaparecidos – uma campanha semelhante à que Glória Perez desenvolvera em Explode Coração, na Globo, em 1996. Prova de Amor foi cenário de propaganda das outras produções da Record. As atrizes Lucélia Santos e Paloma Duarte e o autor Lauro César Muniz pegaram o táxi do personagem Padilha (André Mattos) e falaram sobre a estreia da nova novela Cidadão Brasileiro. Mais tarde foi a vez de Beatriz Segall, Marcos Mion, Almir Sater e Ewerton de Castro, que apareceram no mesmo táxi fazendo propaganda de Bicho do Mato, a substituta de Prova de Amor no horário. No capítulo 222, exibido em 08/07/2006, o público pôde opinar no chamado “final interativo”. Nesta noite, os telespectadores escolheram com quem a personagem Teresa (Cláudia Alencar) deveria ficar: com seu atual namorado Hélio (Roberto Pirilo) ou com seu ex-marido Cadu (Raul Gazola). Anteriormente o público opinou sobre o destino da personagem Pati, de Renata Dominguez, pois a atriz teve que sair da novela para estrelar a trama substituta, Bicho do Mato. Primeira novela do veterano ator Perfeito Fortuna e dos jovens atores Guilherme Boury, Anna Markun, Nanda Ziegler e Shaila Arsene (então com 7 anos). Por seu trabalho em Prova de Amor e A Escrava Isaura, Tiago Santiago foi eleito pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) a revelação na TV em 2005. A novela foi reapresentada entre 04/08/2008 e 15/05/2009, às 17h30. Por causa da baixa audiência, a partir de 29/10/2008 mudou de horário: passou para antes do Programa da Tarde, às 16 horas. Ganhou nova reprise entre 27/07/2015 e 10/05/2016, às 14:45. REGISTROS https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=114156&PageNo=1 (RECORD PREPARA ARSENAL CONTRA BANG BANG DA GLOBO, 16/10/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=114497&PageNo=2 (TRABALHO, 26/10/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=114531&PageNo=2 (MUITA AÇÃO E (AINDA) POUCA TRAMA, 27/10/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=115368&PageNo=4 (TENDÊNCIA, 25/11/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=115501&PageNo=4 (RECORD ESTICA NOVELA QUE INCOMODA GLOBO, 29/11/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=116681&PageNo=6 (PROVA DE AMOR INCOMODA ATÉ O JN, 16/01/2006) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=116735&PageNo=7 (NOVELA DA RECORD SUPERA JORNAL NACIONAL, 19/01/2006) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=116747&PageNo=7 (VITÓRIA DA RECORD SOBRE JN SOME NO IBOPE, 20/01/2006) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=116761&PageNo=7 (RECORD ACHA IBOPE "ESTRANHO", 21/01/2006) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=118950&PageNo=11 (ORKUT É TERMÔMETRO DA RECORD, 07/04/2006) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=121943&PageNo=15 (ENTRELINHAS, 13/07/2006) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=145316&PageNo=16 (VEXAME, 14/08/2008) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=147773&PageNo=16 (BURACO, 30/10/2008) AUDIÊNCIA ORIGINAL REPRISE 1 REPRISE 2
  6. Audiências de Domingo (03/01/1999) Começando os trabalhos de 1999... Faustão começa 1999 com Mais Audiência que 1998. Destaque também para o Clássico DENNIS O PIMENTINHA... E Também para o SAI DE BAIXO, reprisando episódios em 1998 Média-Dia (07h-00h)  19, 8 10, 7  Média-Manhã (07h-12h)  7, 3 4, 1 Média Tarde (12h-18h)  20, 7 9, 6  Média-Noite (18h-00h) 29, 3 17, 4 07h01 Globo Comunidade 2, 5 07h30 Pequenas Empresas, Grandes Negócios 3, 0 08h05 Globo Rural 7, 2 09h00 Esporte Espetacular 8, 9 11h59 A Turma do Didi 14, 0 12h31 Planeta Xuxa 19, 0 14h20 Temperatura Máxima: "Dennis, o Pimentinha" 25, 7 16h06 Domingão do Faustão 21, 8 (SBT 13, 9) 20h29 Fantástico 35, 6 22h35 Sai de Baixo 33, 4 23h48 Domingo Maior: "Assassinos da Estrada" 17, 1 07h22 Pesca e Cia 1, 8 08h28 Siga Bem Caminhoneiro 2, 7 09h09 Sérgio Reis do Tamanho do Brasil 4, 6 10h09 Desenhos 5, 0 10h38 Domingo em Ação 6, 8 11h59 Silvio Santos 7, 0 12h00 Tempo de Alegria 6, 2 14h01 Fantasia Com Carla Perez 9, 7 16h00 Domingo Legal 13, 9 (Globo 21, 8) 20h32 Tentação 12, 3 21h17 Em Nome do Amor 21, 3 22h47 Sorteio Telesena 20, 0 22h59 Topa Tudo Por Dinheiro 21, 2 00h09 De Frente Com Gabi 6, 2
  7. Uma nova e exitosa tentativa da Band em revigorar a sua teledramaturgia, agora em um nicho promissor e bastante comercial: musical infanto juvenil. É verdade que, de modo geral, a trama forçava a barra e era bastante infantil, entretanto, era totalmente fiel à sua proposta, portanto, não nos cabe criticar por não ser uma obra mais realista, afinal, a novela tinha a sua premissa calcada na fantasia, na fábula, ao mesmo tempo em que buscava atrair um público jovem, sem malícias ou apelações. Foi um sucesso, marcou a carreira de Juliana Silveira, em seu personagem mais marcante (apesar de não ter sido propriamente o melhor). Foi uma produção que cumpriu o que prometeu e trouxe ainda mais, rendendo até mesmo uma segunda temporada. Em minha percepção particular, não é uma obra que faz o meu estilo, mas é um sucesso que merece ser reconhecido, teve o seu potencial devidamente explorado e foi um momento em que a Band conseguiu beneficiar o seu comercial e lucrar. Uma reprise não daria conta do recado hoje devido ao fato de a emissora não dar conta do recado, não por culpa da novela. Título: Floribella - Temporada 1 De: Patricia Moretzsohn e Jaqueline Vargas Direção: Elizabetta Zenatti Sacha Horário: 20h15 Emissora: Band Data: 04/04 a 25/11/2005 Duração: 170 capítulos Outras Versões: não houveram (no Brasil) Reprises: 16/10/2006 a 08/06/2007 (Disney Channel); 05/11/2007 a 17/06/2008 (14h15/13h50, 162 capítulos); Audiência: Original - 3,8; Reprise - 1,0 SINOPSE Maria Flor Miranda (Juliana Silveira) é uma jovem sonhadora que tem uma maneira única de encarar a vida, com seu jeito descontraído, estabanado e com seu próprio dicionário. Flor perdeu a mãe muito nova e acredita que seu pai esteja viajando em alto mar, e que um dia voltará. Então, desde muito pequena ela aprendeu a se virar sozinha, contanto apenas com a ajuda de sua madrinha Titina (Zezé Motta) e o filho dela, Batuca (Andre Luiz Miranda), seu melhor amigo e quase irmão. Em seus momentos vagos, ela comparece aos ensaios da banda de Di Caprio (Bruno Miguel), Tati (Ursula Corona), Juju (Elaine Porto) e Batuca, mas briga com a vocalista do grupo e fica em seu lugar. Na casa dos Fritzenwalden, depois de Bruna (Mariah Rocha) ter feito a governanta Helga (Vic Mititello) ser internada, os irmãos ficam sozinhos e organizam uma festa para celebrar a última noite de liberdade e chamam a banda de Flor para tocar. Eles são órfãos e o responsável por eles é o mais velho, Frederico (Roger Gobeth). Para cuidar dos irmãos e dos negócios da família, Fred teve que abandonar os estudos na Alemanha e seus sonhos, transformando-se em um homem rígido e severo, infeliz e resignado com seu destino. Na festa, ele chega e se encontra com Flor. Ela acaba indo trabalhar de babá dos Fritzenwalden. Semelhantemente à Cinderela, onde o príncipe encontra o sapatinho de cristal, a princesa e descobre a felicidade, Fred revive sua alegria por causa de Flor. A rotina dos mais novos também muda com sua chegada, quando descobrem que ela é vocalista de um grupo musical. Então eles entram na banda, sonhando com um futuro completamente diferente do imaginado por Fred para eles. Tudo muda quando Malva (Suzy Rego), madrinha de Frederico e viúva de Armando Bittencourt, fica sabendo que o marido deixou toda a herança para sua filha bastarda, Maria Flor. Então, Malva decide eliminar Flor e casar Frederico de uma vez por todas com sua filha mais velha, a bela e cruel Delfina (Maria Carolina Ribeiro). No estado emocional em que Frederico se encontra, teria sido fácil para Malva alcançar seu objetivo. Mas então, Flor apaixona-se por Frederico e ele por ela. Mas apesar de todos os esforços de Malva e Delfina para separar o casal, o amor entre eles só aumenta. Depois que Flor descobre ser filha de Armando e irmã de Delfina e Sofia, Malva tem a ideia de usar isso contra Flor. Delfina se finge de moribunda e faz seu "último pedido" a Flor: que ela deixe Frederico. Fragilizada, Flor aceita e pede para que Frederico case-se com Delfina. Mas Frederico acaba descobrindo e mentira e desmascara Delfina e Malva em plena cerimônia. Com pressa para anular seu casamento civil com Delfina, Fred tem que ir a Alemanha, mas antes disso todos os amigos organizam um casamento simbólico entre Flor e Fred. ELENCO 1- JULIANA SILVEIRA – Maria Flor 2- ROGER GOBETH – Frederico Fritzenwalden 3- SUZY RÊGO – Malva Torres Bettencourt 4- ZEZÉ MOTTA – Titina (Cristina Ramos) 5- ÍGOR COTRIN – Mateus Lopes 6- MARIA CAROLINA RIBEIRO – Delfina 7- DRICA RABELLO – Sofia 8- VICK AMOR MILITELLO – Helga Beethoven 9- GUSTAVO LEÃO – Guto (Augusto) 10- GABRIEL LASMAR – Betinho (Alberto) 11- ANDRÉ LUIZ MIRANDA – Batuca (Daniel) 12- BRUNO MIGUEL – Di Caprio (Leonardo) 13- ÚRSULA CORONA – Tati (Tatiana) 14- ELIENE PORTO – Juju (Júlia) 15- DANIEL ÁVILA – Adriano 16- GUSTAVO OTTONI – Gérard 17- SUZANA ABRANCHES – Amélia 18- MARIAH ROCHA – Bruna 19- JOHNNY MASSARO – JP (João Pedro) 20- JOÃO VÍTHOR – Joca (Joaquim) 21- ISABELLA CUNHA – Renatinha 22- ÉRICA OLIVIERO – Willy Jean 23- PAULO REIS – Raul 24- CLARA GARCIA – Marinez Torres 25- BRUNO PADILHA – Luciano 26- FELIPE MARTINS – Juarez 27- RODRIGO PRADO – Rodrigo 28- MATEUS ROCHA – Miguel 29- ELIANA FONSECA – Selma 30- CAMILO BEVILACQUA – Eduardo Miranda 31- TATIANA MUNIZ – Paloma 32- ANA FERRAZ – Rosa 33- PEDRO JONES – Vassili 34- LEONARDO BRANCHI – Ramiro 35- LETÍCIA COLIN – Marta 36- GILBERTO HERNANDEZ – Pacheco 37- ÉRICA OLIVEIRA – Willie Jean 38- JAQUELINE VARGAS – Marcela Ramos 39- MARINA AZZÉ – Jasmim 40- JOSÉ STEINBERG – Vladislau 41- PAULO GIARDINI 42- RÚBEM DE BEM 43- PABLO PADILLA – Fernando 44- MIGUEL NADER – Policial 45- CACO BARESI 46- FÁBIO KELDANI 47- PIÉRRE BAITELLE 48- MURILO ELBAS – comparsa de Delfina 49- JÚLIO BRAGA – advogado de Malva 50- ISAAC BERNART – Marc 51- ÁLVARO DINIZ 52- ADRIANO PETERMAN 53- BERNARDO MARINHO – Gui 54- CAROS SIMÕES 55- KÁTIA SAULES 56- MAGNO CAMPELA 57- CLÁUDIO AMADO 58- PEDRO NICOLL – Moranguito 59- NORMA BLUM – Corina Falecidos 1- Vic Mititello (2017) TRILHA SONORA 01. FLORIBELLA 02. POR QUE? 03. TIC-TAC 04. POBRES DOS RICOS 05. E ASSIM SERÁ 06. PRIMEIRO ENCONTRO 07. MIAU MIAU 08. MEU VESTIDO AZUL 09. VOCÊ VAI ME QUERER 10. VEM PRA MIM 11. CRIANÇAS NÃO MORREM 12. GAROTO LINDO CURIOSIDADES Mais uma tentativa da Band de voltar à teledramaturgia, após um hiato de seis anos (a última novela foi Meu Pé de Laranja Lima, em1998). O projeto Floribella, uma parceria da emissora com a produtora RGB, era uma novela-musical brasileira inspirada em Floricienta, produção argentina que virou febre neste país em 2004, conquistando milhares de fãs. A idéia original foi da argentina Cris Morena, responsável por sucessos como Chiquititas. No Brasil, a novela foi adaptada por Patrícia Moretzsohn e Jaqueline Vargas. A emissora lançou a trama como não sendo apenas uma novela, mas todo um projeto que incluia o CD com as canções de sua trilha e o espetáculo musical montado depois. Essa foi a primeira produção da Band totalmente baseada no Rio de Janeiro – uma tentativa de desvencilhar a emissora da pecha de “paulista” que sempre carregou. A produtora alugou os estúdios da Tycoon, na Barra da Tijuca – onde a Globo gravava novelas no começo dos anos 1990, na era pré-Projac. As gravações foram feitas no Pólo de Cinema e Vídeo, Rio de Janeiro, onde foram construídos 20 cenários, numa área de 1.200 metros quadrados, e uma rua cenográfica. “Floribella é uma novela musical. Por isso, terá muito clipe, show. A edição será ágil. Acho que isso vai atrair um novo telespectador”, disse Patrícia Moretzsohn, uma das roteiristas. A novela foi uma mistura de A Noviça Rebelde com Chiquititas, Menudos e MTV. Teve um visual popular bem moderno, graças a alguns poucos efeitos especiais, e a uma edição ágil. O roteiro buscou bastante inspiração em contos de fadas e o tom da novela foi bastante infantil. Ainda que pretendesse soar “jovem” – com gírias, roupas, música -, a história e, sobretudo, a maneira de contá-la, remetiam a uma espécie de encantamento infantil. Para começar, quase todos os personagens eram órfãos – inclusive os protagonistas Flor, a moça pobre, e o príncipe encantado Fred. No conto de fadas é importante que pais e mães não estejam muito por perto, para garantir a existência autônoma e, portanto, a possibilidade de aventura dos personagens. Também o mal, nas figuras da madrasta e meia-irmã invejosas. Malva (Suzy Rêgo, com uma mecha branca no cabelo, à la Malvina Cruela) e Delfina, as opositoras de Flor no caminho em direção ao príncipe, até davam aquelas risadas malignas. Por fim, fadas-madrinhas, como a personagem de Zezé Motta, apareciam nas horas de aperto. Para fazer Flor, a protagonista Juliana Silveira teve de aprender a cantar. Fez aulas de canto e dedicou-se ao trabalho em estúdio por quase dois meses. Primeira novela das atrizes Letícia Colin e Mariah Rocha (atuaram antes em Malhação). E dos atores Johnny Massaro, Pierre Baitelli e Gustavo Leão. Em janeiro de 2006, a Band estreou a nova temporada de Floribella. A novela passou a ser reprisada no canal de TV a Cabo Disney Channel, a partir de 16/10/2006, de segunda a sexta-feira, ao meio-dia. Reprisada também entre 05/11/2007 e 17/06/2008, em 162 capítulos. Devido à baixa audiência, essa exibição acabou mudando de de horário, das 14h15 para as 13h50 – continuando prejudicada pelos programas religiosos transmitidos na programação vespertina da Band. REGISTROS https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=108164&PageNo=2 (CINDERELA QUE CANTA, DANÇA E... VENDE, 03/04/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=108301&PageNo=2 (BAND FAZ FLORIBELLA E PERDE IDENTIDADE, 06/04/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=108343&PageNo=2 (COM UM JEITO MALHAÇÃO DE SER, 07/04/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=112502&PageNo=6 (HIT JUVENIL, 28/08/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=113885&PageNo=6 (FLORIBELLA É MINA DE OURO DA BAND, 08/10/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=115256&PageNo=7 (A DESPEDIDA, MAS SÓ ATÉ JANEIRO, 20/11/2005) AUDIÊNCIA ORIGINAL REPRISE 1
  8. Audiências de Domingo (27/12/1998) Encerrando os Trabalhos do Ano de 1998. Próxima Etapa será todos os Domingos de 1998... FAUSTÃO Fechou 1998 com boa Audiência... Na média Geral Anual, ele ficou com 22 Pontos, contra 20 do SBT. Teve 19 Derrotas, 3 Empates e 30 Vitórias. Destaque para o Especial de Sandy e Júnior e o Fantástico... Média-Dia (07h-00h)  21, 3 10, 5  Média-Manhã (07h-12h)  10, 1 3, 8 Média Tarde (12h-18h)  22, 2 8, 4  Média-Noite (18h-00h) 29, 7 18, 2 07h01 Globo Comunidade 3, 5 07h30 Pequenas Empresas, Grandes Negócios 3, 5 08h06 Globo Rural 6, 7 09h00 Esporte Espetacular 13, 5 12h04 Renato Aragão Especial 15, 0 12h40 Planeta Xuxa 22, 1 14h30 Sandy e Júnior Especial 27, 2 15h32 Temperatura Máxima: "Uma Linda Mulher" 23, 2 17h35 Domingão do Faustão 21, 7 (SBT 16, 7) 20h30 Fantástico 36, 8 22h46 Sai de Baixo: "Ano Novo, Fralda Nova" 34, 7 23h43 Domingo Maior: "Um Mundo Perfeito" 17, 7 07h20 Pesca e Cia 1, 6 08h25 Siga Bem Caminhoneiro 1, 0 09h06 Sérgio Reis do Tamanho do Brasil 4, 5 10h07 Desenhos 5, 0 10h38 Domingo em Ação 6, 3 11h59 Silvio Santos 8, 0 12h00 Tempo de Alegria 6, 4 14h00 Fantasia Com Carla Perez 7, 7 15h56 Domingo Legal 14, 3 (Globo 22, 2) 20h34 Tentação 14, 2 21h25 Em Nome do Amor 21, 8 22h49 Sorteio Telesena 22, 0 23h04 Topa Tudo Por Dinheiro 19, 7 00h24 De Frente Com Gabi 5, 7 @[email protected] @Tempestade [email protected] C.
  9. Audiências de Domingo (20/12/1998) Faustão tem o TERCEIRO EMPATE de 98. Média-Dia (07h-00h)  21, 4 12, 0  Média-Manhã (07h-12h)  9, 0 4, 1 Média Tarde (12h-18h)  17, 7 11, 6  Média-Noite (18h-00h) 35, 4 18, 9 06h56 Globo Comunidade 2, 5 07h26 Pequenas Empresas, Grandes Negócios 5, 0 08h00 Globo Rural 8, 0 09h00 Esporte Espetacular 11, 1 11h59 A Turma Do Didi 16, 0 12h29 Planeta Xuxa 20, 7 14h38 Domingão do Faustão 16, 2 (SBT 16, 1) 18h11 Futebol 38, 3 20h33 Fantástico 36, 4 23h00 Sai de Baixo: "Quem Paga o Parto" 30, 0 00h09 Domingo Maior: "O Dragão Chinês" 15, 7 07h19 Pesca e Cia 1, 8 08h22 Siga Bem Caminhoneiro 2, 3 09h02 Sérgio Reis do Tamanho do Brasil 5, 0 10h03 Desenhos 6, 5 10h34 Domingo em Ação 5, 8 11h59 Silvio Santos 5, 0 12h05 Tempo de Alegria 6, 2 13h48 Fantasia Com Carla Peres 9, 1 15h52 Domingo Legal 16, 7 (Globo 25, 7) 20h25 Tentação 14, 7 21h15 Em Nome do Amor 23, 7 22h41 Sorteio Telesena 25, 5 22h57 Topa Tudo Por Dinheiro 23, 4 00h17 De Frente Com Gabi 10, 4
  10. Título: Essas Mulheres Horário: 19h30 De: Marcilio Moraes e Rosane Lima Direção: Fabio Junqueira, João Camargo e Flavio Colatrello Jr Emissora: Record Data: 02/05 a 22/10/2005 Duração: 149 capítulos Outras versões: O Preço de um Homem (Tupi, 1972); Senhora (Globo, 1975); Sinhazinha Flô (Globo, 1977-78) Reprises: 1) 09/10 a 31/10/2007 (17h30, 17 capítulos); 2) 21/10/2007 a 14/03/2008 (Fox Life); 3) 2013 (Rede Família); 4) 30/07/2018 a 26/03/2019 (15h55, 169 capítulos) Audiência: Original - 8,7; Reprise 1 - 2,8; Reprise 2 - ND; Reprise 3 - ND; Reprise 4 - 5,4 Para manter a consolidação de sua teledramaturgia, a Record investiu novamente em romances literários, com uma aposta no clássico, em um bom elenco e em uma boa produção. Foi um grande acerto, afinal, Essas Mulheres é uma novela correta, convincente, simples e agradável de se assistir, com um trio de protagonistas forte, com situações que envolvem o telespectador, cumprindo a tarefa de trazer uma boa novela. Pode não ter atingido um sucesso da mesma magnitude da antecessora A Escrava Isaura, mas nem por isso foi um fracasso, longe disso, afinal, conseguiu segurar a vice-liderança em diversas situações, o que na época era um grande ganho e trouxe segurança para a emissora continuar apostando em suas novelas, tanto que ganhou novas chances de reprise, mesmo a primeira não tendo dado certo e acredito que ganhará novas chances futuras e, se bem utilizada, dará certo. SINOPSE A trama se passa em 1880, na cidade do Rio de Janeiro, seguindo a vida de três mulheres fortes e determinadas. Aurélia (Christine Fernandes), Maria da Glória (Carla Regina) e Mila (Miriam Freeland) são grandes amigas que frequentam as aulas de etiqueta juntas, porém a vida não demora muito para colocá-las em rumos completamente diferentes. Aurélia vivia com sua mãe (Silvia Salgado) e irmão (Leonardo Miggiorin) em uma casa de favor, porém eles são expulsos quando seu tio Lemos (Paulo Gorgulho) vende o imóvel sem piedade, forçando-os a ir morar de aluguel e ela trabalhar como empregada para a arrogante Adelaide (Adriana Garambone) – que a humilha constantemente e lhe rouba Fernando Seixas (Gabriel Braga Nunes), jornalista com quem ela vivia um romance. O rapaz abandona a moça pelo alto dote de Adelaide, que poderá salvar sua família da falência, fazendo com que Aurélia fique amargurada e jure se vingar. Seu pai (Celso Frateschi) – que não vivia com eles por ser filho de um grande senhor de engenho (Sergio Mamberti) e nunca ter tido coragem de assumir a família clandestina – é assassinado em uma das vindas para o Rio visitá-los e, logo em seguida, sua mãe também morre, deixando-a orfã. Enquanto isso, Maria da Glória decide entregar-se para maquiavélico Cunha (Roberto Bontempo) em troca de dinheiro para comprar os remédios para seu viúvo e doente pai e comida para sua irmã mais nova – o que faz com que o patriarca expulse-a de casa. Para não envergonhar mais a família, a moça forja sua morte e assume o nome de Lúcia Bicallo, tornando-se a maior cortesã do Rio de Janeiro, atendendo apenas milionários e arrancando deles grandes fortunas. Ela é venerada por Ferreira (Daniel Boaventura), que liquida seu dinheiro por ela, mas vive um romance com o diplomata Paulo (João Vitti), que sabe a verdade e sonha em tirá-la desta vida, apesar das ameaças de Cunha, que não aceita perder sua fonte de lucro. Paralelamente, Mila se tornou uma mulher à frente de seu tempo, sendo abolicionista e feminista, além de uma exímia pintora sem medo de se aventurar. Ela se apaixona pelo médico negro Dr. Augusto (Alexandre Moreno), o que gera o ódio de sua mãe, a conservadora Leocádia (Ana Beatriz Nogueira), que transforma sua vida em um inferno. Durante este tempo, Aurélia recebe a herança milionária de seu avô paterno, que lhe reconheceu como neta antes de também morrer e deixou uma das maiores fortunas do Brasil. Ela desaparece por um ano e volta ao Rio de Janeiro na companhia da família real, mostrando a todos que se tornou a grande senhora da alta sociedade, pronta para se vingar de Fernando. A moça manda oferecer-lhe uma fortuna para que se case com uma mulher misteriosa e bela, sem deixar que ele saiba que é ela. Ao aceitar o acordo, Aurélia revela toda a verdade e tem Fernando em suas mãos para se vingar a cada dia de casado, mostrando-lhe toda amargura de um amor desperdiçado. Núcleos – núcleo de AURÉLIA CAMARGO (Christine Fernandes), pobre no início da história, amargará ainda mais dificuldades depois da morte de seu pai, quando terá de trabalhar duro para ajudar na casa, tornando-se criada da sua maior rival. Forte e decidida, sua vida se modificará completamente quando receber a inesperada herança do avô: a mãe EMÍLIA (Silvia Salgado), sempre preocupada com o futuro da filha. Mulher batalhadora e firme, porém de saúde frágil o pai PEDRO (Celso Frateschi), filho natural de um coronel com uma escrava, que luta para ser reconhecido, por isso não ousa contrariar o pai o avô CORONEL LOURENÇO (Sérgio Mamberti), homem simples da fazenda, rude e solitário, dono de uma grande fortuna, que não conhece a família do filho o irmão PEDRINHO (Leonardo Miggiorin), adolescente alegre e vivaz que gostaria de assumir o papel de homem da casa, mas ainda não tem maturidade para tal a criada DAMIANA (Paixão de Jesus), ex-escrava, muito afetuosa e prestativa, que assume a família de como se fosse sua, envolvendo-se em todos os assuntos o capataz de Lourenço, LOBATO (Milhen Cortaz), obediente e amigo do patrão. – núcleo de MARIA DA GLÓRIA (Carla Regina), amiga de Aurélia. Incompreendida pelo pai, é expulsa de casa e vai passar por uma transformação, assumindo uma nova identidade, LÚCIA, tornando-se a cortesã mais admirada e requintada da Côrte: o pai RODRIGO (Carlo Briani), imigrante de gênio difícil, intransigente, coloca à frente do amor paternal o princípio de honra. Expulsa-a de casa e a renega a irmã mais nova ANA (Camila dos Anjos), adolescente alegre e sensível – sofre com o sumiço da irmã, e se vê apaixonada por Pedrinho, mas não ousa contrariar o pai que é contra o namoro. – núcleo de MILA DUARTE (Miriam Freeland), amiga de Aurélia e Glória, testa os limites impostos às mulheres de sua época, com os quais não pode se conformar. Pintora, numa época em que apenas os homens expunham suas obras, vai usar o pseudônimo de Paulo Almeida e escandalizar a sociedade. Adoecida, vive uma tumultuada e conflituosa paixão com um médico negro: o pai DUARTE (Ewerton de Castro), ministro da Côrte a mãe LEOCÁDIA (Ana Beatriz Nogueira), entra sempre em conflitos sérios com a filha o irmão GERALDO (Theodoro Cochrane), um boêmio, mas amigo a prima JÚLIA (Raquel Nunes), doce e terna, tem dúvidas sobre sua origem. – núcleo de ADELAIDE (Adriana Garambone), rica e poderosa é a grande rival de Aurélia, humilhando-a sempre que pode. Dissimulada e afeita a armar intrigas para atingir seus objetivos: o pai ARTUR TAVARES DO AMARAL (Luiz Carlos de Moraes), um pouco distante, desconhece o verdadeiro gênio da filha. Banqueiro é um homem absorvido pelo seu trabalho, mas gosta de se dedicar à caridade a PROFESSORA ORDÁLIA (Luciene Adami), que no início dá aulas de piano a Adelaide, Aurélia, Glória e Mila. Vai apaixonar-se por Artur e enfrentará a ira de Adelaide. – núcleo de MANOEL LEMOS (Paulo Gorgulho), tio de Aurélia, mantém uma fachada de comerciante honesto e próspero, mas está envolvido com contrabando e com o aliciamento de mulheres. Colocará em risco a felicidade e a fortuna de Aurélia, além de oprimir Glória e ameaçar quem a ele se opuser: a mulher MARLI (Ingra Liberato), insatisfeita com o relacionamento procura não se envolver com os negócios do marido a filha BELA (Talita Castro), amiga de Adelaide, moça fútil e preconceituosa, está sempre do lado de seu pai, mesmo que ele esteja errado. – núcleo de FERNANDO SEIXAS (Gabriel Braga Nunes), jovem e ambicioso jornalista e abolicionista. Bonito e sedutor, é o alvo do amor obssessivo de Adelaide, que é preterida por Aurélia. Fernando aceitará casar-se com Aurélia quando ela ficar rica – na verdade ela comprará o seu amor. Apesar da negociata, os dois se amam, mas têm dificuldade de realizar esse amor. Adelaide fará de tudo para tirá-lo de Aurélia: a mãe CAMILA (Ana Rosa), dócil e trabalhadora, enfrenta com resignação as dificuldades materiais da família. Sua vida gira em torno do filho, a quem enche de mimos as irmãs MARIQUINHA (Maria Stella Tobar), para a época, já passou da idade de se casar, por isso, alimenta certa amargura em relação à vida, mal disfarçada em maturidade e NICOTA (Natália Rodrigues), cheia de energia e bom humor, jovem, está na idade certa para se casar, só lhe falta o dote o jovem jornalista TADEU (Cássio Reis), tem um cargo subalterno no jornal onde trabalha Fernando. Simpático e atrapalhado, apaixona-se por Nicota. – núcleo da casa das cortesãs, onde Lúcia torna-se a principal cortesã: CUNHA (Roberto Bomtempo), é o braço direito de Lemos, a quem serve nos negócios escusos FIRMINA MASCARENHAS (Tânia Alves), ex-cortesã, mulher de muita experiência e conhecimento da vida mundana, requisitada por Lemos para treinar Glória as cortesãs NINA (Mariana Clara) e LAURA (Maristane Dresch). – núcleo de SIMÃO (Luciano Quirino), negro liberto, divertido e esperto. Perseguido por Lemos, é obrigado a passar-se por morto: a namorada JESUÍNA (Valquíria Ribeiro), escrava liberta, bonita, atraente e bem humorada a irmã RAIMUNDA (Lena Roque), escrava na casa de Mila, mulher bondosa e prendada que protege Mila, embora não compreenda muito bem suas excentricidades o sobrinho MARTIM (Fernando Oliveira), filho de Raimunda, cheio de energia e inteligente, trabalha em todo tipo de bicos pela rua e junta dinheiro para comprar a alforria da mãe. – demais personagens: EDUARDO ABREU (Marcos Winter), rapaz sensível, bondoso, mas entediado com a vida. Vive de rendas geradas por uma herança de família. Sofre com uma paixão não correspondida por Aurélia PAULO SILVA (João Vitti), vem da província para a Corte para se preparar para a carreira diplomática, a mando do pai, INÁCIO SILVA DE MACEDO (Antônio Petrin). Rapaz ingênuo e romântico, apaixona-se pela cortesã Glória, e juntos viverão um trágico romance ALFREDO MOREIRA (Marcos Breda), é o melhor amigo de Fernando e seu confidente. Trabalha como chefe de redação da Gazeta Liberal. Simpático, inteligente e vibrante, dedica-se à vida boêmia DR. TORQUATO RIBEIRO (Petrônio Gontijo), médico dedicado, porém um pouco desiludido e melancólico. Apaixonado por Adelaide, ela acabará se casando com ele apenas para atingir seus objetivos FERREIRA PINTO (Daniel Boaventura), dono da Gazeta Liberal. Oportunista e pragmático, dirige seu jornal em função de seus interesses, mas cultiva um jeito bonachão e gosta de viver à larga. Apaixona-se por Glória DR. AUGUSTO (Alexandre Morenno), negro, supera todas as dificuldades e se forma em medicina, com brilhantismo. Interessa-se por doenças nervosas, que vai estudar na Europa. Quando retorna, é chamado em uma emergência a cuidar de Mila, por quem se apaixona e com quem vive um tumultuado romance. Augusto guarda um grande segredo que poderá arruinar sua carreira, se desvendado. ELENCO 1- CHRISTINE FERNANDES – Aurélia Camargo 2- GABRIEL BRAGA NUNES – Fernando Seixas 3- CARLA REGINA – Maria da Glória (Lúcia) 4- MYRIAN FREELAND – Mila Duarte (Paulo Almeida) 5- PAULO GORGULHO – Manoel Lemos 6- ADRIANA GARAMBONE – Adelaide 7- ROBERTO BOMTEMPO – Cunha 8- MARCOS WINTER – Eduardo Abreu 9- MARCOS BREDA – Alfredo Moreira 10- DANIEL BOAVENTURA – Ferreira Pinto 11- PETRÔNIO GONTIJO – Torquato Ribeiro 12- JOÃO VITTI – Paulo Silva de Macedo 13- ALEXANDRE MORENNO – Dr. Augusto 14- EWERTON DE CASTRO – Duarte 15- ANA BEATRIZ NOGUEIRA – Leocádia 16- CARLO BRIANI – Rodrigo 17- ANA ROSA – Camila 18- TÂNIA ALVES – Firmina Mascarenhas 19- LUIZ CARLOS DE MORAES – Artur Tavares do Amaral 20- LUCIENE ADAMI – Profª Ordália 21- INGRA LIBERATO – Marli 22- TALITA CASTRO – Bela 23- MARIA ESTELA TOBAR – Mariquinha 24- NATHALIA RODRIGUES – Nicota 25- CÁSSIO REIS – Tadeu 26- LEONARDO MIGGIORIN – Pedrinho 27- CAMILA DOS ANJOS – Ana 28- THEODORO COCHRANE – Geraldo 29- RAQUEL NUNES – Júlia 30- LUCIANO QUIRINO – Simão 31- VALQUÍRIA RIBEIRO – Jesuína 32- GÉSIO AMADEU – Sebastião 33- FERNANDO OLIVEIRA – Martim 34 LENA ROQUE – Raimunda 35- PAIXÃO DE JESUS – Damiana 36- MILHEN CORTÁZ – Lobato 37- RÔMULO ESTRELA – Romualdo 38- MARISTANE DRESCH – Laura 39- MARIANA CLARA – Nina 40- REJANE ARRUDA – Lúcia 41- RODOLFO VALENTE – Mateus 42- LÍVIA GRACIANO – Germana 43- PABLO RODRIGUES – Nicolino 44- LUCIANO FARIA – Teodoro 45- TÉRCIO GENNARI – Hermes 46- ALEXANDRE BAMBA – capataz 47- ANTÔNIO PETRIN – Inácio Silva de Macedo (pai de Paulo Silva) 48- ARIEL MOSHE – Dr. Braz 49- BRUNO GIORDANO – Delegado 50- CELSO FRATESCHI – Pedro Camargo (pai de Aurélia) 51- CIDA MENDES – Eudóxia 52- CLEMENTE VISCAÍNO – juiz 53- JOSMAR MARTINS – Cirurgião Feijó 54- PADÚ NAIROBI – criado de Adelaide 55- PASCOAL DA CONCEIÇÃO – Dr. Peçanha 56- SELMA EGREI – Irmã Carolina 57- SÉRGIO MAMBERTI – Coronel Lourenço Camargo (avô de Aurélia, pai de Pedro) 58- SILVIA SALGADO – Emilia (mãe de Aurélia) 59- STELLA FREITAS – Eunice 60- TÁCITO ROCHA – Barão de Alcobaça 61- VERUSKA SOUZA – Leonor (criada de Adelaide) Falecidos 1- Fabio Junqueira (diretor, 2008) Sem notícias 1- Padú Nairobi 2- Veruska Souza TRILHA SONORA 01. POP ZEN – Família Caymmi (tema de abertura) 02. ESSAS MULHERES – Joana 03. UMA CHANCE EM MIL – J. Neto 04. CORAÇÕES ANIMAIS – Zé Ramalho 05. DUAS DE MIM – Sandra de Sá 06. MOTIVOS BANAIS – Fagner (tema de Torquato) 07. CONTIGO UM POUQUINHO – Alex Cohen 08. É PRA SEMPRE TE AMAR – Guilherme & Santiago 09. VIDA – Cláudio Nucci (tema de Aurélia, Mila e Maria da Glória) 10. LUGAR DE COBRA É NO CHÃO – Chico Buarque (tema de Simão) 11. SUAVE É A NOITE – Silvinha Araújo (tema de Emília e Pedro) 12. A JANELA DA CIDADE – Alexandre Leão 13. AGORA SEI QUE TE AMO – M. Pop (tema de Ana e Pedrinho) 14. VALSA BRASILEIRA – Luiz Melodia 15. EU AMO – Alvinho da Matta (tema de Fernando) 16. O MEU JEITO DE AGIR – Yasmin 17. COM VOCÊ, SEM VOCÊ – Banda Interativa 18. VALSINHA – Cantrix 19. ORATIO – Corciolli CURIOSIDADES Com o sucesso da novela A Escrava Isaura, a Record continuou a investir em dramaturgia, com grandes contratações da concorrência. Ambientada no século 19, Essas Mulheres teve gravações em Tiradentes e São João Del Rey, em Minas Gerais. A história uniu três obras de José de Alencar: “Senhora”, “Lucíola” e “Diva”. A Globo já havia juntado três outros romances do escritor em uma adaptação novelística: “Til”, “A Viuvinha” e “O Sertanejo” foram a base da novela Sinhazinha Flô, em 1977. E o próprio romance “Senhora” já havia sido adaptado pela Globo, em 1975. Norma Blum e Cláudio Marzo viveram os protagonistas dessa obra, Aurélia Camargo e Fernando Seixas – vividos por Christine Fernandes e Gabriel Braga Nunes em Essas Mulheres. Primeiro trabalho do novelista Marcílio Moraes na Record. Ele recebeu de Herval Rossano, então diretor de dramaturgia da emissora, a encomenda de uma novela de época. “A ideia foi de Herval Rossano para outra equipe, que não acertava no texto. Então ele me pediu para dar continuidade e garantiu a liberdade para reformulações”, contou o autor a Flávio Ricco e José Armando Vannucci para o livro “Biografia da Televisão Brasileira”. Herval Rossano, que dirigiria a novela após o término de A Escrava Isaura, desentendeu-se com a Record e acabou se desligando da emissora. Direção segura (direção geral de Flávio Colatrello), belíssima reconstituição de época e um nível técnico comparado às melhores produções da Globo, Essas Mulheres não chegou a ser um grande sucesso de audiência, mas teve o reconhecimento merecido e deu margem a grandes interpretações – como o vilão Lemos, vivido por Paulo Gorgulho. “Alinhavamos estes ‘perfis de mulher’, ligando pontos e personagens em comum, tendo como pano de fundo a vida na corte, o Rio do século 19. Na prática, é uma novela tradicional com trama principal e duas paralelas, que às vezes convergem”, explicou Rosane Lima (que escreveu a novela com Marcílio Moraes), à época do lançamento. “Há coerência na escolha dos romances porque são antecipadores da modernidade no traço da personagem mulher. Transgridem e enunciam inovação no comportamento, no sentimento, no casamento”, explicou Maria José Paulo, então professora de literatura brasileira da PUC-SP. Nos tempos da TV ao vivo, e quando a telenovela ainda não era diária, o romance “Diva” foi adaptado pela TV Paulista, em 1952. Antes de ter sido adaptado pela Globo (em 1975), o romance “Senhora” o foi pela TV Paulista, em 1953, e pela TV Tupi, em 1962 – mas ainda não eram novelas diárias. “Senhora” também rendeu uma adaptação modernizada, produzida pela Tupi em 1972: a novela O Preço de um Homem, com Arlete Montenegro e Adriano Reys nos papéis principais. Essas Mulheres começou a ser reprisada em 09/10/2007, às 17 horas. Porém, devido aos baixos índices de audiência, foi retirada da programação em 31/10, com apenas 17 capítulos exibidos, sem prévio aviso e desfecho. A emissora declarou oficialmente que a reapresentação da novela “estava atrapalhando o crescimento da emissora”, o que causou espanto e indignação nos fãs da obra. A novela voltou à grade da Record TV entre 30/07/2018 e 26/03/2019, às 15h45. Essas Mulheres retornou pela TV a cabo em duas ocasiões. Primeiro no canal Fox Life, entre 21/10/2007 e 14/03/2008, às 7 horas com reapresentação às 13 horas. Depois pela Rede Família, canal pertencente a Igreja Universal do Reino de Deus (dona da Rede Record), a partir de 24/06/2013, às 17h30. REGISTROS https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=106166&PageNo=1 (RECORD COMEÇA A PRODUZIR "ESSAS MULHERES", 28/01/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=109054&PageNo=2 (RECORD USA JOSÉ DE ALENCAR PARA FATURAR, 01/05/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=109109&PageNo=2 (NOVELA QUE ESTREIA HOJE TEM 30 CAPÍTULOS PAGOS, 02/05/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=109152&PageNo=2 (ESSAS MULHERES É SIMPLES E FUNCIONA, 04/05/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=109165&PageNo=3 (NA LUTA PELA CONSOLIDAÇÃO, 05/05/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=111652&PageNo=6 (ENTRELINHAS, 03/08/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=113080&PageNo=7 (RECORD SE GABA DE BATER SBT, MAS NÃO ALCANÇA ISAURA, 14/09/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=114537&PageNo=8 (ESSAS MULHERES, 31/10/2005) https://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=135495&PageNo=8 (INFELIZ, 11/10/2007) AUDIÊNCIA ORIGINAL REPRISE 1 REPRISE 2 REPRISE 3 REPRISE 4
  11. Última tentativa na faixa que a Record idealizou, sem os resultados esperados e encurtada, com aviso na semana em que sairia do ar, dando um final apressado para a trama, de forma mirabolante. O enredo é promissor, mas não há registros para vermos sua condução. Nos dias de hoje poderia render uma novela nova, com suas devidas atualizações e adequações. Título: Venha Ver o Sol na Estrada Horário: 19h30 De: Leilah Assumpção Direção: Antunes Filho Emissora: Record Data: 02/04 a 27/07/1973 Duração: 85 capítulos Outras versões: não houveram Reprises: não houveram Audiência: 3,2 SINOPSE Descendentes de uma família rural, os Lourenço tentam se recuperar da falência econômica. O pai era o chefe da casa, mas com a derrocada financeira, a família se desequilibra. Em seguida, todos passam a procurar o seu caminho. Milena (Márcia de Windsor) é uma nova rica que não aceita a condição de “rainha do lar” e choca suas amigas da sociedade com seu comportamento de pseudolibertação. Nesse ponto, ela mostra a frustração de inúmeras mulheres que, pressionadas pelo casamento, enveredam pelos caminhos da futilidade. ELENCO 1- Márcia de Windsor .... Milena 2- Jairo Arco e Flexa .... Vicente 3- Jussara Freire .... Celina 4- Laura Cardoso 5- Betina Vianny 6- Carmem Silva .... Vovó Tonica 7- Chico Martins .... Vadico 8- Cléo Ventura .... Raquel 9- Francisca Maria .... Carminha 10- Goulart de Andrade 11- Hemílcio Fróes .... Araújo 12- Ivan Lima .... Marcelo 13- Ivete Bonfá .... Madame Peixoto 14- Jacques Lagoa 15- Jorge Gomes 16- Márcia Real .... Belinda 17- Maria Celeste .... Eugênia 18- Ney Latorraca 19- Francarlos Reis 20- Renato Master 21- Turíbio Ruiz Falecidos 1- Márcia de Windsor (1982) 2- Ivete Bonfá (1991) 3- Chico Martins (2003) 4- Hemilcio Froes (2005) 5- Carmem Silva (2008) 6- Francarlos Reis (2009) 7- Goulart de Andrade (2016) 8- Jairo Arco e Flexa (2018) 9- Antunes Filho (diretor, 2019) 10- Márcia Real (2019) Sem notícias 1- Francisca Maria 2- Jorge Gomes CURIOSIDADES Curiosa incursão na teledramaturgia da teatróloga Leilah Assumpção e do diretor Antunes Filho – famosos pela obra no teatro. Antunes Filho deve não ter gostado da experiência, pois declarou mais tarde abominar o gênero. Não conseguiu o sucesso que seus idealizadores faziam no palco. No entanto, verificou-se um fenômeno: a novela tinha alguns adeptos inveterados, muitos dos quais não acostumados com o gênero: os fãs da obra de Leilah Assumpção e Antunes Filho. Com os resultados abaixo do esperado, a emissora comunicou a Leilah que a novela sairia do ar antes do previsto, e que ela deveria encerrar os trabalhos em uma semana. Ao receber a notícia, a autora teve que resolver os conflitos apressadamente, lançando mão de clichês, como o cego que recupera a visão e o cadeirante que volta a andar. Fábio Costa em “Novela, a Obra Aberta e Seus Problemas”. Leilah escreveu posteriormente duas minisséries para a Globo: Avenida Paulista (1982) e Moinhos de Vento (1983). Bem antes do programa jornalístico Comando da Madrugada, Goulart de Andrade atuou nessa novela. Primeira novela da atriz Jussara Freire. REGISTROS AUDIÊNCIA
  12. Audiências de Domingo (25/10/1998) Faustão Marca a sua Décima QUINTA Derrota de 98... Destaques para a estréia de A TURMA DO DIDI, E a reprise do CRIANÇA DO ESPERANÇA 98. Também no SBT, EM NOME DO AMOR Explode na Audiência Média-Dia (07h-00h) 20, 5 16, 0  Média-Manhã (07h-12h)  10, 4 5, 4 Média Tarde (12h-18h)  20, 3 13, 7  Média-Noite (18h-00h) 29, 0 27, 2 06h53 Globo Comunidade 1, 5 07h21 Pequenas Empresas, Grandes Negócios 4, 0 07h59 Globo Rural 8, 2 09h03 Esporte Espetacular 13, 5 11h58 A Turma do Didi - Estréia 20, 5 12h27 Planeta Xuxa 24, 2 14h23 Criança Esperança 98 - Reapresentação 20, 4 16h21 Domingão do Faustão 19, 3 (SBT 27, 0) 20h29 Fantástico 37, 8 22h46 Sai de Baixo: "Dolores Pra Cá, Dolores Pra Lá" 27, 2 23h57 Domingo Maior "Fuga Alucinante" 16, 3 07h24 Pesca e Cia 2, 2 08h23 Siga Bem Caminhoneiro 3, 3 09h04 Sérgio Reis do Tamanho do Brasil 7, 7 10h02 Domingo em Ação 7, 3 11h52 Silvio Santos 8, 0 12h05 Tempo de Alegria 8, 2 15h28 Domingo Legal 25, 1 (Globo 19, 3) 20h29 Tentação 22, 7 21h22 Em Nome do Amor 30, 4 22h24 Sorteio Telesena 22, 0 22h39 Topa Tudo Por Dinheiro 24, 3 23h57 De Frente Com Gabi 9, 7 @Marquinhos [email protected] @Tempestade Noturn[email protected]
  13. Audiências de Domingo (06/12/1998) Faustão tem a DÉCIMA NONA Derrota de 98. Média-Dia (07h-00h)  20, 7 12, 7  Média-Manhã (07h-12h)  8, 7 5, 1 Média Tarde (12h-18h)  17, 2 12, 9  Média-Noite (18h-00h) 34, 2 18, 9 07h02 Globo Comunidade 3, 5 07h31 Pequenas Empresas, Grandes Negócios 4, 0 08h03 Globo Rural 8, 0 09h00 Esporte Espetacular 10, 8 12h09 A Turma do Didi 15, 0 12h37 Planeta Xuxa 19, 5 14h33 Domingão do Faustão 16, 5 (SBT 16, 6 | 17 |) 18h09 Futebol 37, 7 20h33 Fantástico 35, 3 22h55 Sai de Baixo: "Contatos Imediatos da Terceira Idade" 27, 5 23h58 Domingo Maior: "Bomba Relógio" 12, 8 07h24 Pesca e Cia 2, 7 08h24 Siga Bem Caminhoneiro 3, 0 09h04 Sérgio Reis do Tamanho do Brasil 5, 5 10h04 Desenhos 6, 5 10h35 Domingo em Ação 7, 8 11h59 Silvio Santos 7, 0 12h12 Tempo de Alegria 7, 7 13h53 Fantasia com Carla Peres 12, 6 15h55 Domingo Legal 15, 7 (Globo 26, 6) 20h25 Tentação 15, 7 21h12 Em Nome do Amor 24, 2 22h48 Sorteio Telesena 25, 0 22h57 Topa Tudo Por Dinheiro 23, 8 00h13 De Frente Com Gabi 8, 2
  14. Audiências de Domingo (21/06/1998) Globo tem Recordes com o DOMINGÃO DO FAUSTÃO e FANTÁSTICO Média-Dia (07h-00h) 26, 0 9, 8  Média-Manhã (07h-12h)  12, 4 3, 3 Média Tarde (12h-18h)  24, 3 11, 5  Média-Noite (18h-00h) 38, 9 13, 5 07h05 Globo Comunidade 2, 0 07h34 Pequenas Empresas, Grandes Negócios 3, 7 08h11 Globo Rural 9, 4 09h28 Copa 98 - Alemanha X Iugoslávia 19, 1 11h26 Esporte Espetacular 18, 2 12h30 Copa 98 - Argentina X Jamaica 23, 1 14h26 Domingão do Faustão 21, 0 (SBT 11, 8) 15h59 Copa 98 - EUA X IRA 29, 2 17h57 Domingão do Faustão - Continuação 38, 1 (SBT 7, 0) 19h57 Fantástico 45, 7 22h17 Sai de Baixo: "Voa Ribaldinho Voa" 36, 0 23h23 Placar da Copa 19, 0 00h13 Domingo Maior: "Beleza Fatal" 9, 8 **MÉDIA GERAL: DOMINGÃO DO FAUSTÃO: 30, 8 (31) 07h30 Pesca e Cia 3, 2 08h32 Siga Bem Caminhoneiro 2, 5 09h28 Copa 98 - Alemanha X Iugoslávia 4, 0 11h26 Sérgio Reis do Tamanho do Brasil 4, 5 12h03 Silvio Santos 4, 0 12h13 Tempo de Alegria 7, 9 14h53 Domingo Legal 15, 4 (Globo 26, 7) 17h53 GP - Fórmula Indy 6, 9 20h09 Tentação 9, 7 20h40 Sorteio Gol Show 18, 6 22h01 Sorteio Telesena 17, 0 22h15 Topa Tudo Por Dinheiro 18, 6 23h54 De Frente Com Gabi 6, 2
  15. Ainda com uma ambição de fazer sucesso na faixa, a Record trouxe Ivani Ribeiro e o marido com um pseudônimo, entretanto, não correspondeu às expectativas, em parte ao grande sucesso da Globo no horário, ainda com a concorrência da Tupi, aliada à falta de tradição da Record. O protagonista vilão talvez não tenha sido dos mais agradáveis para a época. Não há registros para melhor avaliar, mas podemos ver uma obra mais ousada para a época, com um certo potencial. Título: O Leopardo Horário: 19h De: Ivani Ribeiro e Darcio Ferreira Direção: Waldemar de Moraes Emissora: Record Data: 04/09 a 16/12/1972 Duração: 90 capítulos Outras versões: não houveram Reprises: não houveram Audiência: 3,1 SINOPSE Vito de Almeida (Altair Lima), um homem egoísta e dominador, sentindo-se desprezado por Ângela (Maria Estela), passa a subjugá-la, por meio de chantagem. Ela submete-se, a fim de proteger o irmão, acusado por ele. Ângela compara Vito a um leopardo, tal a sua frieza e perversa determinação contra as suas presas. Ela é forçada a desmanchar o noivado para casar-se com seu impiedoso carrasco. Porém, com o tempo, Vito passa a amar profundamente a pobre moça. ELENCO 1- Altair Lima.... Vito de Almeida 2- Maria Estela.... Ângela 3- Rodolfo Mayer.... Padre Júlio 4- Laura Cardoso.... Carmem 5- Fernando Baleroni.... Nonô 6- Lia de Aguiar.... Ester 7- Rogério Márcico.... Odilon 8- Silvana Lopes.... Amália 9- David Neto.... Laerte 10- Lucy Meirelles.... Celina 11- Jonas Mello.... Otávio 12- Eduardo Abbas.... Ataliba 13- Régis Monteiro.... Edgar 14- Marlene Costa.... Iara 15- Cristina Martinez.... Vivi 16- Floriza Rossi.... Zuleica 17- Douglas Mazolla.... Cuca 18- Kate Hansen.... Marília 19- Márcia Real.... Odete 20- Cléo Ventura 21- Cristina Mara 22- Elisa D'Agostino 23- Jovelthy Archângelo 24- Osmano Cardoso 25- Roberto Bolant 26- Thilde Francheschi Falecidos 1- Osmano Cardoso (1976) 2- David Neto (1979) 3- Fernando Baleroni (1980) 4- Lucy Meirelles (1982) 5- Rodolfo Mayer (1985) 6- Eduardo Abbas (1992) 7- Darcio Ferreira (autor, 1995) 8- Ivani Ribeiro (autor, 1995) 9- Lia de Aguiar (2000) 10- Altair Lima (2002) 11- Waldemar de Moraes (diretor, 2011) 12- Maria Estela (2017) 13- Marcia Real (2019) Sem notícias 1- Cristina Martinez 2- Floriza Rossi 3- Douglas Mazolla 4- Cristina Mara 5- Elisa D'Agostino 6- Jovelthy Archangelo 7- Thilde Francheschi CURIOSIDADES Ivani Ribeiro escreveu O Leopardo para a Record sob o pseudônimo de Arthur Amorim, já que era contratada da Tupi. Tratava-se da adaptação de um de seus trabalhos para o rádio. Simultaneamente, a autora estreava a novela Camomila e Bem-Me-Quer, na Tupi. Seu marido, Dárcio Ferreira roteirizava O Leopardo, enquanto Ivani supervisionava o texto dele e escrevia a nova trama da Tupi. Um lançamento bombástico da TV Record com superelenco e muita promoção. Mas a repercussão não acompanhou a expectativa. Ao seu final, a emissora deixou de apresentar novelas no horário das sete da noite. A novela nada tem a ver com o célebre romance de Giuseppe Tomasi di Lampedusa (Il Gattopardo), que por sua vez já havia rendido um filme de sucesso, em 1963: O Leopardo, de Luchino Visconti, com Burt Lancaster, Alain Delon e Claudia Cardinale. REGISTROS AUDIÊNCIA
  16. A Record encontrou nas tramas de época um nicho, entretanto, não conseguiu levar seus planos adiante por muito tempo, não obtendo sucesso de público. Não há registros para vermos o andamento da trama, entretanto, vemos um enredo bastante antigo e maniqueísta, voltado ao dramalhão. Uma reedição até funcionaria bem, tendo seus devidos cuidados. Título: Os Fidalgos da Casa Mourisca Horário: 19h De: Dulce Santucci Direção: Randal Juliano Emissora: Record Data: 02/05 a 02/09/1972 Duração: 107 capítulos Outras versões: não houveram Reprises: não houveram Audiência: 4,1 SINOPSE O velho fidalgo Dom Luís Negrões de Vilar dos Corvos (Rodolfo Mayer), da Casa Mourisca, vê a sua vida destruída por sucessivas tragédias. Afundado em dívidas, assiste à morte da mulher e da filha mais nova. Os dois filhos, Jorge (Geraldo Del Rey) e Maurício (Ademir Rocha), pretendem inverter a situação e erguer novamente o nome da casa e da família e devolver a prosperidade àquelas paragens. Sua afilhada, Berta da Póvoa (Maria Estela), é uma rapariga elegante, virtuosa, de bons costumes, que regressa a casa depois de ser educada na cidade. É filha de Tomé da Póvoa, o antigo caseiro de Dom Luís, que conseguiu singrar na vida com muito trabalho e dedicação. Jorge apaixona-se por Berta sendo que o seu amor é correspondido, porém, a diferente condição social dos dois – Jorge é fidalgo e Berta é plebeia – impede-os de dar largas ao seu amor e de casarem. Por isso, e por entre juras de amor eterno, combinam secretamente que devem seguir caminhos diferentes. Devido à debilitada condição de Dom Luís, o fidalgo é amparado pela sua afilhada. Ele nutre um carinho muito grande por Berta, reconhecendo-lhe características de personalidade muito nobres. Jorge entretanto vai recuperando a prosperidade das terras e devolvendo o bom nome à casa, enquanto que Maurício inicia-se na vida diplomática em Lisboa, ao cuidado da prima dos Bacelos, com quem acabaria por se casar. Dom Luís acaba por descobrir o amor entre Jorge e Berta e, para espanto de todos, concede que o casamento se faça. Jorge e Berta puderam assim viver o seu amor e Dom Luís ver a prosperidade e a felicidade regressar à sua herdade. ELENCO 1- Rodolfo Mayer .... Dom Luís 2- Geraldo Del Rey .... Jorge 3- Ademir Rocha .... Maurício 4- Maria Estela .... Berta 5- Laura Cardoso .... Gabriela 6- Eduardo Abbas 7- Fernando Baleroni 8- Floriza Rossi 9- Lia de Aguiar 10- Lucy Meirelles 11- Luiz Carlos Braga 12- Maracy Mello 13- Maria Cecília 14- Marcus Toledo 15- Rogério Márcico 16- Sebastião Campos 17- Zéluiz Pinho 18- Roberto Bolant Falecidos 1- Fernando Baleroni (1980) 2- Lucy Meirelles (1982) 3- Rodolfo Mayer (1985) 4- Eduardo Abbas (1992) 5- Geraldo Del Rey (1993) 6- Dulce Santucci (autora, 1995) 7- Lia de Aguiar (2000) 8- Zeluis Pinho (2004) 9- Randal Juliano (diretor, 2006) 10- Maria Estela (2017) Sem notícias 1- Floriza Rossi 2- Maria Cecilia 3- Marcus Toledo CURIOSIDADES Fracassada tentativa de reeditar o sucesso de As Pupilas do Senhor Reitor, do mesmo autor original, o português Júlio Diniz. No Rio de Janeiro foi apresentada pela TV Rio. REGISTROS AUDIÊNCIA
  17. MÉDIA-DIA 25,4 6,8 1,9 1,3 0,8 0,3 PICOS 67 (21h30/21h44) 20 (22h15/22h29) 13 (23h00/23h14) 6 (12h30/12h59) 4 (várias vezes) 4 (14h45/15h14) 3 (12h15/12h29) 06h59 – Bom Dia Brasil: 4 (46%) 07h29 – Bom Dia São Paulo: 6 (45%) 07h59 – Xou da Xuxa: 11 (51%) 13h00 – Globo Esporte: 16 (42%) 13h11 – Jornal Hoje: 21 (54%) 13h36 – Vale a Pena Ver de Novo - Pão Pão, Beijo Beijo: 24 (61%) 15h03 – Sessão da Tarde - Sem Medo de Viver: 14 (51%) 17h00 – Rede Nacional de Transmissão - PSDB: 13 (60%) 17h30 – Teletema - Armadilhas: 27 (66%) 17h58 – O Sexo dos Anjos (penúltimo capítulo): 55 (83%) 18h53 – Top Model: 62 (86%) 19h45 – SPTV: 65 (90%) 19h57 – Jornal Nacional: 66 (88%) 20h30 – Rede Nacional de Transmissão - PSDB: 58 (91%) 21h01 – Tieta: 64 (87%) 22h03 – Festival 25 Anos - Picardias Estudantis: 30 (49%) 23h43 – Jornal da Globo: 13 (46%) 00h13 – Festival de Sucessos - Glória e Derrota: 5 (39%) 07h00 – TV Educativa: 2 (25%) 07h11 – TJ Manhã: 2 (22%) 07h31 – Show da Simony: 4 (32%) 08h30 – Bozo: 4 (28%) 10h39 – Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si: 6 (22%) 12h58 – Chapolin: 12 (32%) 13h27 – Oradukapeta: 10 (27%) 15h58 – Show Maravilha: 8 (28%) 16h59 – Rede Nacional de Transmissão - PSDB: 6 (26%) 17h29 – Show Maravilha: 8 (19%) 18h02 – Chaves: 7 (10%) 18h29 – TJ São Paulo: 4 (6%) 18h56 – Economia Popular: 5 (7%) 18h59 – TJ Brasil: 4 (6%) 19h41 – Cortina de Vidro: 5 (7%) 20h24 – Primeira Fila: 4 (5%) 20h29 – Rede Nacional de Transmissão - PSDB: 2 (4%) 20h59 – Asas de Aço: 3 (4%) 21h53 – Sessão Desenho: 3 (4%) 22h00 – A Praça é Nossa: 17 (27%) 23h22 – História do Crime: 10 (31%) 00h31 – Jô Soares Onze e Meia: 3 (27%) 01h42 – TJ Noite: 1 (32%) 07h00 – Jeannie é um Gênio: 1 (11%) 07h29 – A Feiticeira: 2 (13%) 08h00 – Dia Dia: 0 (3%) 09h52 – Cozinha Maravilhosa da Ofélia: 0 (2%) 10h25 – Os Imigrantes: 1 (7%) 11h18 – Rituais da Vida: 1 (3%) 11h51 – Legião da Boa Vontade: 2 (6%) 11h56 – Bandeira 1: 2 (5%) 12h34 – Esporte Total: 2 (6%) 13h14 – Flash: 1 (3%) 14h00 – Bill Cosby: 2 (4%) 14h33 – Circo da Alegria: 1 (4%) 16h59 – Rede Nacional de Transmissão - PSDB: 0 (2%) 17h37 – Canal Livre: 1 (1%) 19h04 – Jornal de São Paulo: 2 (2%) 19h23 – Agrojornal: 2 (3%) 19h31 – Jornal Bandeirantes: 2 (2%) 20h30 – Rede Nacional de Transmissão - PSDB: 2 (3%) 21h00 – Futebol - Pré-Jogo: 1 (2%) 21h22 – Campeonato Paulista - Noroeste x Palmeiras: 8 (12%) 23h38 – Jornal da Noite: 1 (4%) 00h11 – Flash: 1 (7%)
  18. Audiências de Domingo (29/11/1998) Faustão Atinge a Liderança... Planeta Xuxa marca excelente Audiência Média-Dia (07h-00h) 22, 0 12, 5  Média-Manhã (07h-12h)  10, 0 4, 7 Média Tarde (12h-18h)  19, 8 12, 1  Média-Noite (18h-00h) 34, 1 19, 3 06h59 Globo Comunidade 3, 0 07h28 Pequenas Empresas, Grandes Negócios 4, 5 08h02 Globo Rural 9, 0 09h00 Esporte Espetacular 12, 4 11h59 A Turma do Didi 16, 0 12h26 Planeta Xuxa 22, 4 14h24 Domingão do Faustão 19, 0 (SBT 15, 1) 18h20 Futebol 35, 0 20h28 Fantástico 36, 8 22h46 Sai de Baixo: "Um Conde Chamado Desejo" 32, 5 23h49 Domingo Maior: "O Exterminador de Cyborgs" 16, 0 07h09 Pesca e Cia 2, 2 08h13 Siga Bem Caminhoneiro 4, 3 08h54 Sérgio Reis do Tamanho do Brasil 6, 5 09h50 Desenhos 5, 5 10h16 Domingo em Ação 6, 0 11h34 Silvio Santos 5, 0 11h46 Tempo de Alegria 7, 1 13h54 Fantasia Com Carla Perez 11, 1 15h54 Domingo Legal 15, 8 (Globo 25, 8) 20h30 Tentação 15, 7 21h17 Em Nome do Amor 23, 7 22h40 Sorteio Telesena 26, 0 22h51 Topa Tudo Por Dinheiro 25, 3 00h16 De Frente Com Gabi 9, 4 @Mulato
  19. Uma obra faroeste que espantou o público da faixa, acusada inclusive de plágio do clássico Jerônimo. Não há registros para melhor avaliarmos a trama, mas podemos ver que pode ter facilmente caído na linhagem trash, mesmo para os padrões da época. Título: Sol Amarelo Horário: 19h De: Raimundo Lopes Direção: Zeluis Pinho e Waldemar de Moraes Emissora: Record Data: 15/12/1971 a 08/04/1972 Duração: 100 capítulos Outras versões: não houveram Reprises: não houveram Audiência: 4,5 SINOPSE Januário (Geraldo Del Rey) quer vingar a morte da noiva, barbaramente assassinada na porta da igreja. Sua perseguição visa apanhar o feroz Zé Touro (Rogério Márcico), que amedronta a pequena região de Rosário. ELENCO 1- GERALDO DEL REY – Januário 2- ROGÉRIO MÁRCICO – Zé Touro 3- LAURA CARDOSO – Santa 4- MARIA ESTELA – Zilda 5- FERNANDO BALERONI 6- LIA DE AGUIAR 7- RODOLFO MAYER 8- MARIA ISABEL DE LIZANDRA 9- JONAS MELLO 10- MARIA CECÍLIA 11- SEBASTIÃO CAMPOS 12- LUCY MEIRELLES 13- ZÉLUIZ PINHO 14- MARCELINO BURU 15- ARNALDO FERNANDES 16- RÚBENS TEIXEIRA 17- MARACI MELLO 18- EDUARDO ABBAS 19- OSVALDO MESQUITA Falecidos 1- Fernando Baleroni (1980) 2- Lucy Meirelles (1982) 3- Rodolfo Mayer (1985) 4- Eduardo Abbas (1992) 5- Geraldo Del Rey (1993) 6- Lia de Aguiar (2000) 7- Zeluis Pinho (diretor, 2004) 8- Waldemar de Moraes (diretor, 2011) 9- Maria Estela (2017) 10- Maria Isabel de Lizandra (2019) Sem notícias 1- Maria Cecilia 2- Marcelino Buru 3- Arnaldo Fernandes 4- Osvaldo Mesquita TRILHA SONORA 01. SOL AMARELO (TEMA DE ABERTURA) – Orquestra 02. POR AMOR EU ME PERDI – Marilene 03. LETRA DE OURO – Vithal 04. SOL AMARELO (TEMA DE AMOR) – Orquestra 05. CANTIGA DE SANTA – Marilene 06. CÂNDIDA – Fernando Lona 07. SOL AMARELO (TEMA DRAMÁTICO) – Orquestra 08. NÃO TENHO TEMPO DE AMOR – Vithal 09. SOL AMARELO – Marilene e Fernando Lona 10. VILA ROSÁRIO – Vithal 11. SOL AMARELO (TEMA DE ENCERRAMENTO) – Orquestra CURIOSIDADES Outra obscura e mal sucedida incursão ao estilo bangue-bangue. Com exceção de Irmãos Coragem (Globo, 1970/1971), nenhuma outra foi ao encontro do público. Sol Amarelo chegou a ser acusada de plagiar a famosa radionovela As Aventuras de Jerônimo, o Herói do Sertão, de Moisés Weltman, com muitos elementos semelhantes. A ambientação era a mesma: um “faroeste” no interior do Brasil. O protagonista Januário (Geraldo Del Rey), assim como Jerônimo, era um justiceiro, e sua caracterização lembrava a imagem humanizada de Jerônimo nos quadrinhos: camisa escura com um lenço claro no pescoço. Apesar de Sol Amarelo, um ano após sua estreia, a TV Tupi lançou uma adaptação da radionovela de Weltman: Jerônimo, o Herói do Sertão, com Francisco Di Franco como o protagonista. No mesmo dia da estreia de Sol Amarelo, às 19 horas, estreava a trama das 20 horas, Quarenta Anos Depois. AUDIÊNCIA
  20. Uma trama mais voltada ao perfil das 19 horas global que conhecemos hoje, com uma trama mais leve e dinâmica, com mistérios e diversos acontecimentos. Era uma época em que a Globo enfim conseguiu fortalecer a faixa de novelas e teve um crescimento expansivo, o que levou a novela a não fazer tanto sucesso quanto as antecessoras, mas passou com bons números. Não há registros para melhor avaliar a novela, mas é visto que foi bem feita e teve um enredo com potencial. Título: Editora Mayo, Bom Dia Horário: 19h De: Walther Negrão Direção: Carlos Manga Emissora: Record Data: 12/04 a 07/08/1971 Duração: 102 capítulos Outras versões: não houveram Reprises: não houveram Audiência: 10,7 SINOPSE A trama desenvolve-se no ambiente da Editora Mayo, uma empresa em fase de prosperidade, com a engrenagem publicitária que cria e destrói ídolos, a concorrência egoísta pela fama envolvendo artistas, redatores, fotógrafos, repórteres e modelos, desonestidades com as rendas da editora entre os sócios, intrigas, fofocas, chantagens, exploração e utilização de pessoas que querem projetar-se como artistas. Ainda muitos mistérios, principalmente envolvendo o copeiro Chicão (Fernando Baleroni) e sua filha Jô (Debora Duarte). O suspense é alastrado quando Ray (Luiz Gustavo) também consegue emprego de copeiro, apesar de sua larga cultura. ELENCO 1- LUIZ GUSTAVO – Ray 2- DÉBORA DUARTE – Jô 3- FERNANDO BALERONI – Chicão 4- NATHÁLIA TIMBERG – Maria do Carmo 5- RODOLFO MAYER – Américo Mayo 6- GERALDO DEL REY – Rúbem 7- MAURO MENDONÇA – Mateus 8- ADRIANO STUART – Aranha 9- KARIN RODRIGUES – Ítala 10- LÍDIA COSTA – Carolina 11- ADEMIR ROCHA – André 12- PEPITA RODRIGUES – Bia 13- CÉLIA HELENA – Alice 14- MÍRIAN MEHLER – Cláudia 15- FLORA GENY – Helena 16- RÚBENS MORAL 17- CÉLIA COUTINHO – Mimi 18- WILMA DE AGUIAR – Marta 19- WLADIMIR NIKOLAIEFF 20- EDMUNDO LOPES 21- PERRY SALLES 22- HERALDO GALVÃO 23- SEBASTIÃO CAMPOS 24- SILVIO DE ABREU – Subdelegado Damasceno Righi Salomão Falecidos 1- Fernando Baleroni (1980) 2- Rodolfo Mayer (1985) 3- Flora Geny (1991) 4- Geraldo del Rey (1993) 5- Célia Helena (1997) 6- Lidia Costa (2004) 7- Perry Salles (2009) 8- Adriano Stuart (2012) 9- Carlos Manga (diretor, 2015) 10- Wilma de Aguiar (2017) Sem notícias 1- Ademir Rocha 2- Rubens Moral 3- Edmundo Lopes TRILHA SONORA 01. EDITORA MAYO, BOM DIA 02. VERA VERINHA CURIOSIDADES Apresentou-se uma nova proposta conduzida alegremente. A Record fazia um investimento tentacular. Trazia Walther Negrão da Globo e reunia a dupla de Beto Rockfeller, Luiz Gustavo e Débora Duarte. Entretanto, a concorrência às 19 horas era grande em 1971: Minha Doce Namorada na Globo e A Fábrica na Tupi. Tanto que a Record não deu continuidade de imediato ao horário: Editora Mayo, Bom Dia terminou em agosto e a produção seguinte (Sol Amarelo) só estreou em dezembro. Produção paulista da TV Record, Editora Mayo, Bom Dia estreou no Rio de Janeiro pela TV Rio, às 21 horas, em 10/05/1971, quase um mês após a exibição do primeiro capítulo em São Paulo (14/04), juntamente com outra estreia da Record paulista, Os Deuses Estão Mortos (às 18h30). Sobre a novela, o autor Walther Negrão declarou ao livro “Autores, Histórias da Teledramaturgia” (do Projeto Memória Globo): “Marcos Rey (novelista na TV Record no início dos anos 1970) tinha proposto uma novela que fazia críticas à Editora Abril – por isso a novela se chamava Editora Maio, Bom Dia. Quando os Machado de Carvalho, donos da Record, perceberam, não quiseram mais a novela. Mas já tinham chamadas no ar e um grande elenco escalado. Então eles me convidaram para resolver essa questão. O Marcos Rey não queria mudar a novela. Ele tinha um problema pessoal com a Editora Abril, e isso ficava óbvio na trama. A história mostrava o dono de uma grande editora que tinha uma mulher chamada Sultana. E a esposa do Sr. Victor Civita (da Abril) se chamava Silvana. O editor da novela tinha dois filhos, com nomes que começavam com a letra R, semelhantes aos filhos de Civita. Não havia nenhuma sutileza. Só havia um jeito de mudar tudo. Sugeri rebatizar a editora para Mayo, com Y, como se fosse um sobrenome, tirando a conotação de mês. O público não percebeu a mudança nas chamadas. E fiz outra história. Até porque, nem conhecia a história do Marcos Rey. Eu tinha recém-saído da Abril, onde era muito bem tratado, e não tinha nenhum motivo para criticá-la”. O futuro autor de novelas Silvio de Abreu, que começou a carreira artística como ator, participou do elenco de Editora Mayo, Bom Dia. O seu personagem, o Subdelegado Damasceno, já havia estado na trama anterior de Negrão, A Próxima Atração, na Globo. Era o primeiro caso de um personagem que reaparece em uma novela posterior. O próprio Silvio de Abreu, anos mais tarde, usou esse recurso em suas tramas. Negrão voltou com Damasceno Righi Salomão (um investigador com esse nome) em duas outras novelas, interpretado por dois outros atores: Milton Gonçalves em Fera Radical (1988) e Emílio Orciollo em Sol Nascente (2016-2017). Foi atuando nesta novela que Silvio de Abreu conheceu o diretor Carlos Manga, que depois o levou para o cinema. Antes de começar a escrever para a televisão, Silvio foi roteirista e diretor de cinema, por influência de Manga. A Censura do Regime Militar não viu com bons olhos a participação do costureiro Clodovil Hernandes em Editora Mayo, Bom Dia. De acordo com o pesquisador Cláudio Ferreira no livro “Beijo Amordaçado – A Censura às Telenovelas Durante a Ditadura Militar”: “O censor Dalmo Paixão justificou a supressão de uma cena: ‘O personagem Clodovil faz com uma das mãos gestos irreverentes e obscenos.’ A censora Lenir de Azevedo Souza não foi menos enfática, mas não acertou o nome do estilista e indicou o corte na cena ‘em que aparece o costureiro Cordovil (sic) com jeitinho afeminado’.” De qualquer forma, os censores logo se acostumaram com a presença de Clodovil em novelas, com sua participação em Marron-Glacé e Plumas e Paetês, na Globo (1979 a 1981), e em Sabor de Mel, na Bandeirantes (1983). AUDIÊNCIA
  21. Trama com maiores investimentos para o padrão da emissora, com um tema audacioso e espinhoso para a época, tratando de divórcio e uma certa empoderação. Não há muitos relatos em relação à Censura e nem mesmo registros para podermos avaliar a novela, que fez sucesso e teve a sua duração bastante esticada. Hoje o tema é bastante comum e talvez não aguentasse uma novela inteira sozinha, ainda mais desse tamanho, mas sempre é um enredo aproveitável (principalmente se utilizar como pano de fundo da própria época). Título: Algemas de Ouro Horário: 19h De: Benedito Ruy Barbosa e Dulce Santucci Direção: Dionizio Azevedo, Regis Cardoso, Walter Avancini e Waldomiro Baroni Emissora: Record Data: 03/03/1969 a 21/03/1970 Duração: 330 capítulos Outras versões: não houveram Reprises: não houveram Audiência: 15,1 SINOPSE Linda (Lolita Rodrigues) é uma mulher a frente do tempo que, ao perceber que seu casamento com Alexandre (Ivan Mesquita) chegou ao fim, prefere se separar amistosamente e aguentar as duras penas de ser taxada de desquitada, do que viver na infelicidade. A decisão não é bem aceita pelos filhos do casal, Moacir (Fúlvio Stefanini), Lene (Márcia Maria), Marcos (Roberto Bolant) e Lu (Reny de Oliveira), que se chocam ainda mais quando a mãe decide se jogar em um novo amor com Custódio (David Netto). Já Alexandre se envolve com a misteriosa Tide (Susana Vieira). ELENCO 1- LOLITA RODRIGUES – Linda 2- IVAN MESQUITA – Alexandre 3- FÚLVIO STEFANINI – Moacir 4- ROBERTO BOLANT – Marcos 5- MÁRCIA MARIA – Lene (Marlene) 6- RENY DE OLIVEIRA – Lu 7- ALTAIR LIMA – Cláudio 8- SUSANA VIEIRA – Tide (Clotilde) 9- ADRIANO STUART – Bira 10- ROLANDO BOLDRIN – Cícero 11- MARIA ESTELA – Glória 12- GEÓRGIA GOMIDE – Roberta 13- SÉRGIO MAMBERTI – Miro 14- YOLANDA CARDOSO – Maria Aparecida 15- DIONÍSIO AZEVEDO – Agenor 16- LAURA CARDOSO – Leonor 17- FERNANDO BALERONI – Delegado Brancatto 18- JARDEL MELLO 19- DAVID NETO – Custódio 20- ADEMIR ROCHA – Toninho 21- CÉLIA RODRIGUES – Clotilde 22- LINDA GAY – Joana 23- WANDA KOSMO – Adélia 24- TERESA CAMPOS – Antonieta 25- ÍRIS BRUZZI – Ana Lúcia 26- HAROLDO BOTTA – Claudinho 27- MARILI GOMES – Verinha 28- MÁRIO ROQUETE – Mário 29- J. FRANÇA – Emanuel 30- LUCY MARTINS – Denise 31- JONAS BLOCH – Otávio 32- ARNALDO WEISS – Marenga 33- MONETTI BARONI – Valéria 34- NANCY HELENA – Maria Isabel 35- LIA DE AGUIAR – Naná 36- EDY CERRI – Tina 37- IVANICE SENNA – Paula 38- MANOEL LUÍS ARANHA – Fábio 39- NAIR SILVA ABADE – Tiana 40- ANA LUIZA CARAVELAS – Maísa 41- RONALD ANTONUCCI – Garô 42- MÁRCIO ANTONUCCI – Zorba 43- BENEDITA SILVA – Jesuína 44- IVAN LIMA 45- MARIA APARECIDA LUPIFIERI – Jumara 46- ROGÉRIO MÁRCICO – Brandini 47- ANTÔNIO GHIGONETTO – Humberto 48- NILO MÁRCIO – Cláudio (jovem) Falecidos 1- David Netto (1979) 2- Fernando Baleroni (1980) 3- Arnaldo Weiss (1989) 4- Linda Gay (1990) 5- Dionizio Azevedo (diretor, 1994) 6- Dulce Santucci (autora, 1995) 7- Lia de Aguiar (2000) 8- Walter Avancini (diretor, 2001) 9- Altair Lima (2002) 10- Regis Cardoso (diretor, 2005) 11- Waldomiro Baroni (diretor, 2006) 12- Jardel Mello (2006) 13- Yolanda Cardoso (2007) 14- Célia Rodrigues (2008) 15- Wanda Kosmo (2008) 16- Antonio Ghigonetto (2010) 17- Georgia Gomide (2011) 18- Ivan Mesquita (2011) 19- Marcia Maria (2012) 20- Adriano Stuart (2012) 21- Marcio Antonucci (2014) 22- Maria Estela (2017) Sem notícias 1- Tereza Campos 2- Marili Gomes 3- Mario Roquete 4- J. França 5- Lucy Martins 6- Monetti Baroni 7- Nancy Helena 8- Ivanice Senna 9- Manoel Luiz Aranha 10- Nair Silva Abade 11- Ana Luiza Caravelas 12- Benedita Silva 13- Ivan Lima 14- Maria Aparecida Lupifieri 15- Nilo Marcio CURIOSIDADES Algemas de Ouro foi o projeto mais audacioso da emissora até então, tanto pelo alto investimento nos cenários, quanto por trazer um elenco que contava com alguns dos principais nomes da teledramaturgia brasileira, como Susana Vieira, Laura Cardoso, Rolando Boldrin, Lolita Rodrigues e Fúlvio Stefanini.[4] Susana acumulou diversos trabalho simultaneamente, uma vez que havia protagonizado a telenovela anterior, A Última Testemunha, e também estava escalada para Seu Único Pecado, que estrearia em outubro, fazendo com que a atriz estivesse em duas novelas ao mesmo tempo. Benedito Ruy Barbosa não terminou de escrever a novela, uma vez que seu contrato se encerrou em dezembro de 1969 e o autor preferiu assinar com a Rede Tupi visando um salário maior. Coube à Dulce Santucci – que fazia exatamente o caminho contrário, vinda da Tupi para a Record também por um salário mais alto – escrever os três últimos meses da história. Dulce pediu um referencial para Benedito de como ele imaginava o desfecho dos personagens para que pudesse continuar a trama. REGISTROS AUDIÊNCIA
  22. Novela bem no molde do dramalhão vivido em outro país, com realidades distantes, coisas bem típicas de Gloria Magadan, mas nas mãos de Janete Clair. Não há registros para avaliar, mas a novela sequer teve um final, sendo cancelada, não propriamente por audiência, mas pelas más condições de trabalho impostas, com salários atrasados e diversas dificuldades para a sua execução. Título: Os Acorrentados Horário: 19h30 De: Janete Clair Direção: Daniel Filho Emissora: Record Data: 03/03 a 31/05/1969 Duração: 78 capítulos Outras versões: não houveram Reprises: não houveram Audiência: 12,8 SINOPSE Na Jamaica, um guerrilheiro, Rodrigo (Leonardo Villar), busca refúgio num convento onde violenta a irmã Amparo de Fátima (Leila Diniz), que, grávida, é expulsa e passa a desenvolver uma relação de amor e ódio com seu algoz. ELENCO 1- LEILA DINIZ – Irmã Amparo de Fátima 2- LEONARDO VILLAR – Rodrigo 3- DINA SFAT – Isabel 4- BETTY FARIA – Sônia Maria 5- SÉRGIO GALVÃO – Henry 6- YARA CÔRTES – Mônica 7- OSWALDO LOUREIRO – William 8- GENY PRADO – Helena 9- PAULO GONÇALVES – Frederico 10- RENATO MASTER – Blasco Ibañez 11- ÊNIO CARVALHO – Pedro 12- ADALBERTO SILVA – Santiago 13- LÉA GARCIA – Irmã Serafina 14- IVONE HOFFMAN – Irmã Lúcia 15- MONAH DELACY – Madre Superiora 16- DILÉIA COELHO Falecidos 1- Leila Diniz (1972) 2- Janete Clair (autora, 1983) 3- Paulo Gonçalves (1986) 4- Dina Sfat (1989) 5- Geny Prado (1998) 6- Yara Cortes (2002) 7- Renato Master (2004) 8- Oswaldo Loureiro (2018) Sem notícias 1- Adalberto Coelho 2- Dileia Silva CURIOSIDADES Novela da TV Rio exibida em horário nobre no Rio de Janeiro, e em São Paulo, exibida pela Record em horário inferior, ao meio-dia. De acordo com uma revista da época, a novela estreou na TV Rio no dia 2 de dezembro de 1968, às 18h30. Já o livro Memória da Telenovela Brasileira, de Ismael Fernandes, consta janeiro de 1969, provavelmente a data da estreia em São Paulo, pela TV Record. No período em que escrevia os últimos capítulos de Passo dos Ventos e os primeiros de Rosa Rebelde, Janete Clair prestou uma ajuda a Daniel Filho que, fora da Globo, tentava dirigir a já decadente TV Rio. Escondida da Globo, a autora elaborou a trama de Os Acorrentados para ser exibida na emissora concorrente – um dos seus trabalhos mais obscuros. Os Acorrentados foi ao ar em São Paulo um pouco depois de sua exibição no Rio. E quando era apresentada na Record, já estava no ar Rosa Rebelde na Globo, com a mesma autora e diretor. Com elenco estelar, foi primeira novela de Betty Faria. A novela não teve um final. A TV Rio começou a atrasar os pagamentos, alguns atores abandonaram as gravações e Daniel Filho foi recontratado pela Globo. Daniel Filho comenta em seu livro Antes que me Esqueçam: “Os scripts eram absolutamente convencionais, bem novelescos, e fui catando ator por ator para compor o elenco. (…) Procurei também uma outra atriz que praticamente não tinha feito televisão e era fantástica no cinema. Chamava-se Dina Sfat. Na época ela estava fazendo um filme – Macunaíma – e teve que se desdobrar para também fazer a novela. E a Leila (Diniz) me pediu para que desse lugar para uma sua amiga que nunca tinha feito novela: Betty Faria (…) as condições de trabalho eram no mínimo terríveis. (…) No Rio a novela dava uma audiência que podíamos classificar de nenhuma. Em São Paulo, menos ainda… Era inacreditável: um elenco ótimo, uma história razoável e a maestria da Janete Clair (ainda que por baixo do pano).” A novela teve música original composta por Mário Litwin. Um luxo na época, pois somente nos anos 1970 a Globo passaria a convidar compositores para criar a trilha sonora de suas novelas. REGISTROS AUDIÊNCIA
  23. MÉDIA-DIA 22,1 6,2 3,0 1,3 1,2 0,8 0,5 (0) PICOS 69 (19h15/19h29) 15 (12h45/12h59) 12 (22h45/22h59) 5 (23h00/23h14) 6 (21h45/21h59) 3 (várias vezes) 3 (16h15/16h29) 06h59 – Bom Dia Brasil: 4 (61%) 07h31 – Bom Dia São Paulo: 4 (43%) 07h59 – Xou da Xuxa: 9 (55%) 12h20 – Diário da Constituinte: 6 (19%) 12h25 – SPTV: 6 (22%) 12h38 – Globo Esporte: 11 (37%) 12h59 – Jornal Hoje: 17 (50%) 13h24 – Vale a Pena Ver de Novo - Livre para Voar: 26 (67%) 14h22 – Sessão da Tarde - A Virgem de Fátima: 21 (64%) 16h23 – Sessão Aventura - Águia de Fogo: 13 (42%) 17h22 – Sessão Comédia - Caras e Caretas: 22 (55%) 17h53 – Direito de Amar: 38 (72%) 18h40 – Hipertensão: 65 (90%) 19h42 – SPTV: 59 (81%) 19h53 – Diário da Constituinte: 53 (73%) 19h59 – Jornal Nacional: 55 (76%) 20h33 – O Outro: 52 (75%) 21h28 – Chico Anysio Show: 35 (57%) 22h30 – Wallenberg - O Herói Solitário: 17 (40%) 23h31 – Jornal da Globo: 10 (42%) 00h06 – Globo Economia: 8 (40%) 00h13 – SPTV: 8 (38%) 00h22 – Classe A - Gilda: 8 (46%) 07h02 – TV Educativa: 1 (13%) 07h20 – Patati Patatá: 2 (25%) 07h34 – Sessão Desenho: 6 (34%) 12h01 – Diário da Constituinte: 5 (19%) 12h08 – Chaves: 11 (36%) 12h30 – Sessão Sorteio: 15 (50%) 12h55 – Sessão Desenho: 11 (30%) 14h26 – Jogo de Amor: 4 (13%) 15h26 – Viviana: 3 (10%) 16h23 – Show Maravilha: 8 (22%) 18h19 – Carrossel: 7 (11%) 18h46 – Cidade 4: 1 (2%) 19h10 – Diário da Constituinte: 2 (3%) 19h15 – Noticentro: 4 (5%) 19h50 – Show da Lucy: 9 (12%) 20h24 – Joe Forrester: 6 (8%) 21h28 – Caldeirão da Sorte: 11 (16%) 21h30 – Esquadrão Classe A: 10 (17%) 22h41 – Carro Comando: 9 (24%) 23h50 – O Samurai Fugitivo: 5 (25%) 00h52 – Jornal 24 Horas: 1 (11%) 07h15 – Patati Patatá: 0 (5%) 07h28 – O Manto Sagrado: 0 (3%) 07h44 – A Hora da Eucaristia: 1 (9%) 08h00 – Igreja da Graça de Deus: 2 (15%) 08h32 – Bom Dia Criança: 0 (2%) 10h56 – À Moda da Casa: 0 (0%) 11h12 – Comer Bem: 0 (0%) 11h28 – Jornal do Interior: 1 (3%) 11h59 – Record em Notícias: 3 (10%) 12h59 – Diário da Constituinte: 2 (5%) 13h05 – Record nos Esportes: 1 (3%) 13h31 – A Mulher dá o Recado: 1 (3%) 15h00 – São Paulo à Tarde: 3 (8%) 18h29 – Defenda-se: 2 (3%) 18h59 – Jornal da Record: 4 (6%) 19h53 – Natureza: 8 (11%) 20h23 – James West: 7 (10%) 21h24 – Bang Bang à Italiana: 9 (18%) 23h25 – Cassie e Co.: 3 (14%) 00h23 – Futebol (gravado): 1 (8%)
  24. Empolgada com o sucesso de seus lançamentos, a Record investiu em uma segunda faixa de novelas (19h30), colada em A Última Testemunha, trazendo um dramalhão básico cercado de um certo mistério e suspense, que trouxe o seu diferencial, com uma protagonista não tão boba, o que é muito para a década de 1960 e, ainda, renderia uma boa novela nos dias atuais, perfeitamente adaptável a realidade de hoje, com nuances para a protagonista poder ter seus ares de anti-heroína ou vilã. Fez um relativo sucesso, mas não há registros para avaliarmos. A própria Record, se não tivesse tão enraizada nos valores atuais, poderia revisitar essa história e trazer algo novo e diferente, usando uma boa estratégia, porém, sabemos que isso não ocorrerá. Poderia partir de outra emissora a ideia. Título: Ana Horário: 19h30 De: Sylvan Paezzo Direção: Fernando Torres Emissora: Record Data: 07/10/1968 a 28/02/1969 Duração: 105 capítulos Outras versões: não houveram Reprises: não houveram Audiência: 9,5 SINOPSE Ana (Maria Estela) é abandonada pelo marido, César (Rolando Boldrin), que junta-se a outra mulher, Margot (Aracy Cardoso). Ela se emprega então como arrumadeira na casa dos pais de Margot, para acirrar os conflitos. ELENCO 1- MARIA ESTELA – Ana 2- ROLANDO BOLDRIN – César 3- ARACY CARDOSO – Margot 4- ÍRIS BRUZZI – Carmem 5- WÁLTER AVANCINI – Tiago 6- MÍRIAM MEHLER – Sônia 7- GERMANO FILHO – Raimundo 8- SÉRGIO MAMBERTI – Tenório 9- SÔNIA OITICICA – Antonieta 10- EDY CERRI – Patrícia 11- ANTÔNIO PITANGA – Antônio 12- CÉLIA RODRIGUES – Cida 13- JOVELTHY ARCHÂNGELO – Alex 14- HAROLDO BOTTA – Marcelinho 15- BEATRIZ SEGALL – Mercedes 16- MARCOS PAULO – Vladimir 17- JARDEL MELLO – Américo 18- CLÁUDIO FABIAN – Luiz Augusto 19- YOLANDA CARDOSO – Maria 20- RENATO RESTIER – Frederico 21- LEONOR NAVARRO 22- PAULO VILLAÇA 23- AMÉLIA SEISSEL 24- ENZO CARNOTTI 25- LUIZ D´AVILA Falecidos 1- Leonor Navarro (1980) 2- Renato Restier (1984) 3- Paulo Villaça (1992) 4- Germano Filho (1998) 5- Sylvan Paezzo (autor, 2000) 6- Walter Avancini (2001) 7- Yolanda Cardoso (2007) 8- Sonia Oiticica (2007) 9- Celia Rodrigues (2008) 10- Jardel Mello (2008) 11- Fernando Torres (diretor, 2008) 12- Marcos Paulo (2012) 13- Maria Estela (2017) 14- Aracy Cardoso (2018) 15- Beatriz Segall (2018) Sem notícias 1- Jovelthy Archangelo 2- Claudio Fabian 3- Amelia Seissel 4- Enzo Carnotti 5- Luiz D´Avila CURIOSIDADES A Record estava empolgada com novelas e lançara um segundo horário. Era mais um investimento para o futuro na conquista de adeptos. A novela tinha seu script carregado de lugares-comuns, em que até um medalhão – no melhor estilo de clichê antigo – servia de suspense e mistério. Wálter Avancini participou dessa novela apenas como ator, dessa vez. No Rio de Janeiro, a novela foi exibida pela TV Rio. AUDIÊNCIA
  25. Novela pouco típica do que costumamos ver de Benedito Ruy Barbosa, em um cunho de um dramalhão social, com pitadas de suspense, causando certa comoção e polêmica, em situações que hoje até podem ser ultrapassadas, mas que para a época deram o que falar e garantiram o sucesso da trama. Não há registros para avaliar, mas vemos uma sinopse instigante, ainda mais para a década de 60. Talvez rendesse um remake, mas só se fosse passando na mesma época ou antes, para os dias de hoje acabaria sendo uma obra data. Título: A Última Testemunha Horário: 19h De: Benedito Ruy Barbosa Direção: Walter Avancini Emissora: Record Data: 05/08/1968 a 28/02/1969 Duração: 150 capítulos Outras versões: não houveram Reprises: não houveram Audiência: 15,0 SINOPSE A trama procurava responder a três indagações. Pode uma cega surdo-muda (Biba - Reny de Oliveira) testemunhar a verdade? Pode uma professora do interior (Maria Tereza - Suzana Vieira) se salvar dos ataques da grande cidade? Deve um juiz (Rogério - Ivan Mesquita) aplicar cegamente a lei, sem considerar as circunstâncias? ELENCO 1- SUSANA VIEIRA – Maria Tereza 2- RENY DE OLIVEIRA – Biba 3- AGNALDO RAYOL – Otávio 4- LOLITA RODRIGUES – Constância 5- IVAN MESQUITA – Rogério 6- MÁRCIA DE WINDSOR – Estela 7- ALTAIR LIMA – Maurício 8- LAURA CARDOSO – Mariana / Juliana 9- PERCY AIRES – Adolfo 10- GEÓRGIA GOMIDE – Mirtes 11- FÚLVIO STEFANINI – Geraldo 12- ELIZABETH GASPER 13- DAVID NETO – Nestor 14- TERESA CAMPOS – Maria das Dores 15- VERINHA DARCI – Isabel 16- MÁRCIA MARIA – Anita 17- ADRIANO STUART – Paco 18- MAURÍCIO DO VALLE – Antônio 19- MARIA CECÍLIA – Beatriz 20- HELENA INÊS – Mina 21- HENRIQUE CÉSAR – Fernando 22- GERMANO FILHO – Gustavo 23- TEODORO MARCOS – José Carlos 24- AYRES PINTO – Neco Falecidos 1- Verinha Darcy (1979) 2- David Netto (1979) 3- Marcia de Windsor (1982) 4- Percy Aires (1992) 5- Mauricio do Valle (1994) 6- Germano Filho (1998) 7- Walter Avancini (diretor, 2001) 8- Ivan Mesquita (2001) 9- Altair Lima (2002) 10- Georgia Gomide (2011) 11- Marcia Maria (2012) 12- Adriano Stuart (2012) 13- Henrique César (2018) Sem notícias 1- Maria Cecilia CURIOSIDADES A Record iniciava um ciclo de novelas no momento em que sua programação musical estava no auge. O elenco recrutava atores da Tupi e da Excelsior – alguns se encontravam afastados. A novela levantou uma questão que foi amplamente discutida pela sociedade: uma pessoa deficiente poderia ser testemunha de um crime? No caso, uma cega surdo-muda: a jovem Biba, vivida por Reny de Oliveira. Estreia de Reny de Oliveira na televisão. A atriz vinha do teatro, onde interpretou o mesmo papel: a cega surdo-muda Helen Keller, da peça “O Milagre de Anne Sullivan”, baseada no romance “A História de Minha Vida”, de Helen Keller, que também inspirou essa novela. O autor Benedito Ruy Barbosa baseou-se na história real de Helen Keller, uma jovem cega surdo-muda que foi alfabetizada pela professora Anne Sullivan e tornou-se uma celebridade nos Estados Unidos. Na novela, a professora Maria Teresa (Susana Vieira) ensina o alfabeto dos surdo-mudos para Biba e a menina é testemunha de um crime. A personagem Estela (Márcia de Windsor) foi assassinada e Biba “presenciou” tudo. O mistério estava em saber quem era o assassino e como Biba provaria a acusação. A novela levantou uma questão polêmica: pode uma pessoa surdo-muda e cega testemunhar a verdade? Em seu depoimento, no último capítulo, comunicando-se através de sua professora, Biba sente o cheiro que sentiu na noite do crime e aponta Nestor (David Neto), marido de Estela, como o assassino. A menina não o havia visto, mas pelo olfato conseguiu provar a verdade. A versão cinematográfica da história havia feito muito sucesso na época. O filme O Milagre de Anne Sullivan, de Arthur Penn, lançado em 1962, tinha Anne Bancroft e Patty Duke como as protagonistas Anne Sullivan e Helen Keller. Estreia da apresentadora Márcia Maria como atriz O lançamento da novela teve grande promoção, mas num horário (19 horas) de concorrência renhida: Antônio Maria na Tupi, Passo dos Ventos na Globo, e Legião dos Esquecidos na Excelsior. No Rio de Janeiro, a novela foi exibida pela TV Rio, canal 13, às 20h30. REGISTROS AUDIÊNCIA


×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Terms of Use.

×