Jump to content
×
×
  • Create New...


Globo muda toda cúpula e reforça área de entretenimento com especialistas


Recommended Posts

Nos últimos 40 anos, a Rede Globo teve quatro diretores-gerais. O mais conhecido e lembrado foi o Boni. Ele entrou na Globo em 1968 e um ano depois se tornou diretor-geral da Central Globo de Produções. Em 1980, tornou-se vice-presidente de Operações da emissora, cargo que na época equivalia ao de diretor-geral. Saiu da empresa em 1998.

 

Em seu lugar, assumiu Marluce Dias da Silva. Ela foi diretora geral entre 1998 e 2002. Era uma administradora, trabalhava na área de recursos humanos antes de assumir o cargo.

 

Octavio Florisbal assumiu interinamente o cargo em setembro de 2002, sendo efetivado nesta posição em 2004. Ficou até o final de 2012. Era um homem do marketing e da área comercial.

 

O último foi o jornalista Carlos Henrique Schroder, que ocupou a posição entre janeiro de 2013 e dezembro de 2019.

 

O cargo de diretor-geral foi extinto e ele se tornou diretor de criação e produção de conteúdo do Grupo Globo. Um ano depois, agora no finzinho de novembro, foi anunciado que ele vai deixar a empresa.

 

Ao longo de 2020, abaixo de Schroder estavam os responsáveis por jornalismo, esporte e entretenimento. Mas na prática era ele próprio que cuidava do entretenimento.

 

Para esta função, foi nomeado o diretor Ricardo Waddington, um conhecido diretor de novelas e programas de variedades, que há dois anos ocupava a função de diretor de produção da empresa.

 

É uma mudança significativa. Schroder era muito bem visto entre criadores e artistas, mas não era do meio. Sempre foi jornalista. Waddington é uma pessoa da área, especializada.

 

A Globo ainda não informou se manterá o cargo de diretor de criação e produção de conteúdo, mas já anunciou uma série de mudanças em consequência da saída de Schroder a partir do ano que vem.

 

Sergio Valente, diretor de comunicação, deixa a empresa no fim do ano e será substituído por Manuel Falcão. Monica Albuquerque, diretora de desenvolvimento e acompanhamento artístico também sai e seu cargo será extinto.

 

E, o mais importante, José Luiz Villamarim assume a direção de teledramaturgia, no lugar de Silvio de Abreu, que também deixa a Globo no início de 2021. Nos últimos anos, Silvio era o responsável por decisões sobre novelas, séries e programas de humor.

 

A nomeação de Villamarim também é uma sinalização importante. E não apenas por uma questão geracional. Silvio de Abreu está com 77 anos. Villamarim tem 57. É um diretor refinado, mas sintonizado com o gosto popular.

 

Villamarim integrou o núcleo de Waddington na direção de "Avenida Brasil" (2012) e, depois, na direção-geral das minisséries "O Canto da Sereia" (2013) e "Amores Roubados" (2014). Também dirigiu "Justiça" (2016), "Nada Será como Antes" (2016), "Onde Nascem os Fortes" (2018), além do remake de "O Rebu" (2014) e está dirigindo Amor de Mãe (2020).

 

É possível esperar boas novidades com esta mudança.

 

uol.com.br/splash/colunas/mauricio-stycer/2020/11/30/globo-muda-toda-cupula-e-reforca-a-area-de-entretenimento-com-especialistas.htm

Edited by Fadokimi
Link to post
Share on other sites


Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.






Important Information

By using this site, you agree to our Terms of Use.