Jump to content


LuizB

Entenda o vocabulário egípcio usado pelo mordomo Crô, de 'Fina Estampa'

Recommended Posts

Crodoaldo Valério, o engraçado mordomo vivido por Marcelo Serrado em "Fina Estampa", tem uma relação de amor e ódio com sua patroa, Tereza Cristina (Christiane Torloni). Pela frente, chama a patroa de nomes como "Rainha do Nilo", "Filha de Osíris", entre outros apelidos inspirados na Grécia e no Egito antigos. Mas, quando está com raiva da dondoca, diz que a socialite não passa de uma "jacaroa do Nilo". Crô, como é chamado por Tereza, faz todas as vontades de sua ama. "Apesar dos problemas, um não vive sem o outro", explica Marcelo Serrado, que se inspirou em um amigo para compor o visual do personagem, que usa o cabelo para o alto. "A gente coloca um gel super potente que levo horas no banho para retirar", brinca o ator.

Entender o que Crodoaldo -que na realidade deveria se chamar Clodoaldo, mas o funcionário do cartório errou a grafia na hora de fazer o registro- quer dizer com todos os apelidos dados a Tereza Cristina não é fácil. Marcelo conta que todos eles saíram da cabeça do autor, Aguinaldo Silva. "Não coloquei nenhum caco [improviso]. Todas as ideias são do Aguinaldo", afirma. O UOL preparou um glossário com as principais expressões utilizadas por Crô quando ele se refere à patroa. Veja na tabela a seguir: 

 

TERMOS GREGOS E EGÍPCIOS NO VOCABULÁRIO DE CRÔ

 

Cleópatra – Também conhecida como a Rainha do Nilo, seduziu Júlio César assim que ele chegou ao Egito, em 48 a.C.. Júlio César a levou para Roma, onde permaneceu até o assassinato dele, em 44 a.C.. Três anos depois, no Egito, conheceu Marco Antônio, com quem se casou em 37 a.C., e teve três filhos. A união feria as leis romanas, pois Marco Antônio já era casado com a irmã de Otávio Augusto. O senado romano declarou guerra ao casal em 31 a.C., derrotando-o na batalha naval de Actium. Cleópatra induz o marido ao suicídio, mandando dizer que está morta, e também se mata em Alexandria, fazendo-se picar por uma serpente.

 

Filha de Osíris – Osíris é o deus mais conhecido do Antigo Egito devido ao grande número de templos que lhe foram dedicados por todo o reino. É também um deus que julgava a alma dos egípcios e decidia se eles iam para o paraíso, lugar onde só há fartura.

 

Pitonisa de Tebas – Tem relação com a história de Édipo, que nasceu em Tebas e era filho de Laios. Laios se casou com Jocasta e teriam sido felizes como reis de Tebas se não fosse um problema: não conseguiam ter filhos. Por essa razão, foram consultar o Oráculo de Delfos. No templo, a pitonisa délfica revelou que teriam um filho dentro de pouco tempo, mas que ele estava destinado a matar o pai e se casar com a mãe. Os dois tiveram Édipo e a profecia da pitonisa délfica se cumpriu.

 

Sereia da Núbia - Núbia é uma antiga região no nordeste da África, situada ao longo do rio Nilo. A Núbia constituiu ao longo de milênios um ponto de encontro entre as civilizações egípcias e os povos negros da África. Cercada, porém, pelo deserto, num trecho mais estreito do vale, jamais apresentou produção agrícola e população comparáveis às do baixo Nilo. Por volta de 3100 a.C., a I dinastia egípcia se apoderou de parte da Núbia, que passou a abastecer o império de ouro, pedras preciosas e diorito. A partir de então, a história da Núbia permaneceu ligada à do Egito.

 

Divina Ísis - Ísis foi uma deusa da mitologia egípcia, cuja adoração se estendeu por todas as partes do mundo greco-romano. Foi cultuada como modelo da mãe e da esposa ideais, protetora da natureza e da magia. Era a amiga dos escravos e dos oprimidos. Ísis é considerada a deusa da maternidade e da fertilidade.

 

Nefertiti - As origens familiares de Nefertiti são pouco claras. O seu nome significa “a mais bela chegou”, o que levou muitos investigadores a considerarem que Nefertiti teria uma origem estrangeira, tendo sido identificada por alguns autores como Tadukhipa, uma princesa do Império Mitanni (império que existiu no que é hoje a região oriental da Turquia), filha do rei Tushratta.

 

https://televisao.uol.com.br/novelas/fina-estampa/2011/08/24/entenda-o-vocabulario-egipcio-usado-pelo-mordomo-cro-de-fina-estampa.jhtm

 

Faça login ou cadastre-se para visualizar

Share this post


Link to post
Share on other sites

Como a gente pode gostar dessa gay em 2011?

 

Chaveiro de madame e de hétero abusivo. Nojo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this  

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.



×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Terms of Use.