Jump to content


Search the Community

Showing results for tags 'novela'.



More search options

  • Search By Tags

    Type tags separated by commas.
  • Search By Author

Content Type


Forums

  • Entertainment
    • TV News
    • International TV & Streaming
    • On Air
  • Geral
    • General Area
    • Music
    • Movies
    • Politics
  • Feedback
    • Compra de pontos
    • Site Questions
    • Announcements and Updates
    • Archive

Blogs

There are no results to display.

There are no results to display.

Calendars

  • Community Calendar

Find results in...

Find results that contain...


Date Created

  • Start

    End


Last Updated

  • Start

    End


Filter by number of...

Joined

  • Start

    End


Group


Website URL


Twitter


Instagram


Spotify


Snapchat


Last.fm


TVShow Time


Banco de Séries


Filmow


Skype


Localização


Interesses

Found 84 results

  1. Luc

    novela Amor Sem Igual

    A HISTÓRIA Dono da Brás Sports – empresa que descobre, lapida e exporta jovens jogadores de futebol – Ramiro (Juan Alba) é um homem milionário e poderoso, que está doente e precisa de transplante de medula para viver, embora os filhos, Tobias (Thiago Rodrigues) e Fernanda (Bárbara França), sejam incompatíveis. Ele revela que teve uma filha ilegítima e que irá procura-la na esperança dela ser compatível, o que irrita Tobias, que gerencia sozinho a empresa e deseja ser o único herdeiro, contando com a ajuda de Bernardo (Heitor Martinez) para encontrar antes a nova irmã e dar um fim nela para garantir a morte do pai. A tal filha é Angélica (Day Mesquita), moça humilde e sofrida, que adotou o nome de Poderosa e se tornou prostituta ao lado da amiga Furacão (Dani Moreno) para sobreviver. Após quase ser morta, ela é salva por Miguel (Rafael Sardão), um agricultor honesto e bondoso, despertando uma grande paixão proibida entre os dois, uma vez que ele é um rapaz de família tradicional, enquanto ela evita se envolver com alguém pela vida que tem. Para garantir sua segurança, Angélica passa a trabalhar no Privê Sampa Clube, se tornando rival de Ioná (Malu Falangola), que inveja seu sucesso com os clientes. Miguel é filho dos nordestinos Oxente (Ernani Moraes) e Zenaide (Andréa Avancini) e tem como irmãos Maria Antônia (Michelle Batista), José Antônio (César Cardadeiro), Júnior (Miguel Coelho) e Pedro (Guilherme Dellorto) – que se apaixona por Fernanda, mas tem que enfrentar a arrogância de Ramiro e as armações de Leandro (Gabriel Gracindo), namorado da inocente Fabiana (Manuela do Monte), que tenta conquistar também a herdeira pelo dinheiro. Ainda há outras histórias, como a de Donatella (Sthefany Brito), uma estudante de enfermagem que se prostitui vestida de médica a noite, realizando fetiches de clientes ricos. Ajudante de Miguel na plantação, Hugo (José Victor Pires) vê a oportunidade de se tornar futebol ao ser recrutado pela Brás Sports. Amor Sem Igual é uma novela de Cristianne Fridmann, com direção de Rudi Lagemann e tem estreia prevista para 10 de dezembro, às 20h30, na RecordTV. Confira abaixo a primeira chamada da trama:
  2. O amor de mãe é um sentimento que move o mundo, transforma as relações, une as pessoas. Cada mãe é única, cada família é uma. Porém, as mães se reconhecem quando o assunto é o que sentem pelos filhos. E é isso que acontece com Lurdes (Regina Casé), Thelma (Adriana Esteves) e Vitória (Taís Araujo), mulheres que exercem a maternidade em toda sua plenitude, cada uma à sua maneira. Lurdes (Lucy Alves/Regina Casé), há 26 anos, saiu do vilarejo onde morava no Rio Grande do Norte rumo ao Rio de Janeiro com os filhos pequenos Magno (João Guilherme Fonseca), Ryan (Pietro Buonnafina) e a recém-nascida Érica. No caminho, ela encontrou um bebê abandonado na estrada e o levou consigo. Foi assim que Camila se juntou à família. O que moveu Lurdes a sair de sua cidade natal a acompanha até hoje: encontrar Domênico (Eros Lazari quando criança), um de seus quatro filhos biológicos, que foi vendido pelo pai aos dois anos de idade. Todos os filhos de Lurdes a admiram muito. Magno (Juliano Cazarré), o mais velho, é casado com Leila (Arieta Corrêa), que está em coma há anos, e cuida sozinho da filha Brenda (Clara Galinari). É no hospital onde Leila está internada que ele conhece Betina (Isis Valverde) e os dois se aproximam. Ryan (Thiago Martins) é músico, dá aulas para bebês e toca em churrascarias, enquanto Camila (Jéssica Ellen) se dedica aos estudos. Ela é a única formada da família e transformar o mundo através da educação é o objetivo central em sua vida. Érica (Nanda Costa) não quer mudar o mundo como sua irmã, ela quer conquistá-lo. É uma jovem autêntica e exuberante que cativa o rico empresário Raul (Murilo Benício), que vai conhecer um mundo muito distante do seu ao se envolver com a filha de Lurdes. Thelma (Adriana Esteves) ficou viúva há mais de 20 anos e vive para o filho Danilo (Chay Suede). O jovem sobreviveu ao incêndio que matou seu pai graças ao amor incondicional da mãe, que se arriscou entre as chamas para salvá-lo. A vida de Thelma muda quando, durante um exame de rotina, descobre um aneurisma cerebral inoperável e começa uma corrida contra o tempo para conseguir realizar seus sonhos. Mas todos os desejos da sua lista envolvem Danilo, que não sabe da doença e vive um momento de se emancipar da mãe superprotetora. Ele decide sair debaixo das asas da mãe, que não se conforma com a independência do filho e fará o que tiver ao seu alcance para mudar essa realidade. Vitória (Taís Araújo) é uma advogada que ganha muito dinheiro defendendo políticos e empresários corruptos. Seu principal foco é o trabalho, e sua maior frustração é não conseguir engravidar. A busca incessante pela gravidez acaba destruindo o seu casamento com Paulo (Fabrício Boliveira). Após a separação, ela segue com o projeto de adotar uma criança e, enquanto espera a chegada do filho, conhece Davi (Vladimir Brichta). A atração entre os dois é forte e depois de uma noite juntos ela se surpreende ao descobrir estar grávida, o que faz com que o contato com o pai da criança precise ir muito além de um encontro casual. Amor de Mãe marca a estreia de Manuela Dias, autora das minisséries Justiça e Ligações Perigosas, na faixa das 21h. A trama é dirigida por José Luiz Villamarim e estreia no dia 25 de novembro, substituindo A Dona do Pedaço.
  3. Criado em 23 de novembro de 2009, o TLN Network finalmente retorna ao Brasil, pouco mais de 6 anos após ter deixado de transmitir sua programação pela OiTV. Agora, juntamente com o Las Estrellas, ela retorna através da GuigoTV, uma plataforma de IPTV paga e legalizada disponível no Google Play e App Store. Para assinar e ter acesso aos canais, quem contratar a GuigoTV em abril, garante o valor de R$5 pelo pacote adicional por 2 anos. O pacote adicional está disponível apenas para os assinantes do plano Guigo Total. O Guigo Total está em promoção de lançamento por R$15 para os próximos 5.000 assinantes. O valor normal do Guigo Total é de R$30 mensais, de acordo com o site da operadora, em que os interessados podem obter maiores informações. Imagens coletadas dos canais TLN Network e Las Estrellas em suas transmissões pela GuigoTV neste domingo (31) Atualmente, o TLN Network exibe as seguintes telenovelas: HORÁRIOS DE EXIBIÇÃO: 02h00 - 06h35 - 11h10 - 15h45 - 20h20 NOVELAS JÁ EXIBIDAS ANTERIORMENTE NO HORÁRIO: CÚMPLICES DE UM RESGATE AMY, A MENINA DA MOCHILA AZUL LUZ CLARITA CARINHA DE ANJO GOTINHA DE AMOR VOVÔ E EU AMIGOS PARA SEMPRE ALEGRIFES E RABUJOS VIVA ÀS CRIANÇAS SONHOS E CARAMELOS POUCAS POUCAS PULGAS AMY, A MENINA DA MOCHILA AZUL (reprise) MARIA BELÉM CÚMPLICES DE UM RESGATE (reprise) CARINHA DE ANJO (reprise) O DIÁRIO DE DANIELA VOVÔ E EU (reprise) VIVA ÀS CRIANÇAS (reprise) AMY, A MENINA DA MOCHILA AZUL (rereprise) ALEGRIFES E RABUJOS (reprise) POUCAS POUCAS PULGAS (reprise) HORÁRIOS DE EXIBIÇÃO: 02h55 - 07h30 - 12h05 - 16h40 - 21h15 NOVELAS JÁ EXIBIDAS ANTERIORMENTE NO HORÁRIO: MARIA JOSÉ PRECIOSA A ALMA NÃO TEM COR MARIANA DA NOITE MUNDO DE FERAS NO LIMITE DA PAIXÃO POR TEU AMOR MARIMAR AMBIÇÃO ROSA SELVAGEM (reprise) GAROTAS BONITAS (reprise) FERIDAS DE AMOR (reprise) CAMALEÕES MAR DE AMOR REBELDE BRASIL REBELDE (reprise) PRIMEIRO AMOR: A MIL POR HORA CUIDADO COM O ANJO HORÁRIOS DE EXIBIÇÃO: 03h50 - 08h25 - 13h00 - 17h35 - 22h10 - 01h00 NOVELAS JÁ EXIBIDAS ANTERIORMENTE NO HORÁRIO: MARIA DO BAIRRO ROSA SELVAGEM SIGO TE AMANDO MARIA ISABEL ESMERALDA A USURPADORA ROSALINDA O PRIVILÉGIO DE AMAR (reprise) A MENTIRA MANANCIAL RUBI (reprise) AMOR REAL MARIANA DA NOITE (reprise) SALOMÉ (reprise) A OUTRA (reprise) MENINA AMADA MINHA (reprise) PAIXÃO A MADRASTA (reprise) AMANHÃ É PARA SEMPRE (reprise) A QUE NÃO PODIA AMAR UM REFÚGIO PARA O AMOR HORÁRIOS DE EXIBIÇÃO: 04h45 - 09h20 - 13h55 - 18h30 - 23h05 NOVELAS JÁ EXIBIDAS ANTERIORMENTE NO HORÁRIO: SALOMÉ AMIGAS E RIVAIS GAROTAS BONITAS CAMILA REBELDE A FEIA MAIS BELA A USURPADORA (reprise) PAIXÃO E PODER MARIA DO BAIRRO (reprise) MARIMAR (reprise) AMBIÇÃO (reprise) A MENTIRA (reprise) LAÇOS DE AMOR (reprise) ROSA SELVAGEM (rereprise) AMOR REAL (reprise) ABISMO DE PAIXÃO A DONA HORÁRIOS DE EXIBIÇÃO: 05h40 - 10h15 - 14h50 - 19h25 - 00h00 NOVELAS JÁ EXIBIDAS ANTERIORMENTE NO HORÁRIO: LAÇOS DE AMOR O PRIVILÉGIO DE AMAR RUBI FERIDAS DE AMOR A OUTRA A MADRASTA MENINA AMADA MINHA ABRAÇA-ME MUITO FORTE AMANHÃ É PARA SEMPRE MUNDO DE FERAS (reprise) TERESA AS TONTAS NÃO VÃO AO CÉU BELA A FEIA MANANCIAL (reprise) O PRIVILÉGIO DE AMAR (rereprise) NO LIMITE DA PAIXÃO (reprise) QUERO AMAR-TE O QUE A VIDA ME ROUBOU A COR DA PAIXÃO (incompleta) CONFIRA AS CHAMADAS JÁ CAPTURADAS E POSTADAS DA PROGRAMAÇÃO DO TLN NETWORK NESTE DOMINGO: Créditos ao @Hugo_oigreS e a @Rosana Shameless pelas imagens e informações coletadas.
  4. Rennê

    novela Bom Sucesso

    Bom Sucesso, próxima novela das 7, trata do valor de cada minuto da vida e traz a mensagem de perseverança, fé e garra. Escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm e com direção artística de Luiz Henrique Rios, trio que repete parceria de Malhação Sonhos e Totalmente Demais, a sucessora de Verão 90 apresenta a história de Paloma (Grazi Massafera), uma mulher determinada, sonhadora e com uma fé inabalável. Costureira, ela trabalha e cria três filhos sozinha. Mora no bairro de Bonsucesso, no subúrbio do Rio de Janeiro, e ama frequentar a quadra da escola de samba da região, a Unidos de Bom Sucesso. Apesar da dura rotina, Paloma consegue manter uma grande paixão: a leitura. E, ao mergulhar no universo dos livros, se transporta para os mundos fantásticos que as histórias proporcionam. A relação de Paloma com a leitura é tão forte que ela batiza os filhos com nomes de clássicos personagens literários: Alice (Bruna Inocencio), Gabriela (Giovanna Coimbra) e Peter (João Bravo). Alice, a mais velha, é uma jovem tímida e estudiosa que sonha passar no vestibular. Ela é filha do grande amor de Paloma, Ramon (David Junior), que há quase vinte anos foi morar nos Estados Unidos atrás do sonho de se tornar um jogador de basquete profissional. Gabriela e Peter são filhos de outro relacionamento de Paloma. Gabriela adora basquete, deseja ser jogadora profissional e é fã de Ramon. Já Peter quer ser influenciador digital e passa mais tempo fazendo vídeos do que estudando. Do outro lado da trama está Alberto (Antonio Fagundes), o dono da editora de livros Prado Monteiro, que no momento passa por uma grave crise financeira. Pai de Nana (Fabiula Nascimento) e Marcos (Romulo Estrela), ele é um homem rico, autoritário e rabugento que tem uma doença terminal e nunca soube valorizar a família. Casada com Diogo (Armando Babaioff), Nana é perfeccionista e administra a editora, enquanto o irmão, um bon vivant, abandona tudo e abre um bar em Búzios, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Após receber o resultado de um exame, o mundo de Paloma vira do avesso quando ela acha que tem seis meses de vida. A sensação de que seus dias entraram em contagem regressiva lhe desperta a ânsia de viver sem pensar no amanhã. É o estopim que a faz cometer “loucuras”: se despede do seu grande amor da juventude, briga com uma cliente, destrói a vitrine da loja onde trabalha, se embriaga e dá um show no trem da Central do Brasil e, finalmente, tem uma noite de amor com um homem desconhecido: Marcos, justamente o filho de Alberto. Com a descoberta de que o exame foi trocado, a história de Paloma tem uma nova reviravolta e ela decide conhecer Alberto, a pessoa que tem a doença terminal. Uma amizade capaz de abrir horizontes e dar um novo significado à vida de ambos começa a ser construída. Paloma faz Alberto redescobrir o prazer da vida no tempo que lhe resta. Já Alberto lhe apresenta seu mundo, repleto de histórias e novas experiências. A amizade de Paloma e Alberto Eles têm histórias de vida completamente distintas, mas se conectam por um acaso do destino e se reconhecem na paixão em comum pela leitura. Tão rico e plural, o universo da literatura é capaz de produzir uma infinidade de narrativas e encantar milhões de leitores de classes, credos e vivências diferentes, como Paloma e Alberto. Moradora do bairro de Bonsucesso, na zona norte do Rio de Janeiro, Paloma (Grazi Massafera) sabe aproveitar a vida como ninguém. Costuma se divertir na quadra da escola de samba Unidos de Bom Sucesso, se deliciar com o tempero único da feijoada do Cacique de Ramos e renovar sua fé na Igreja da Penha. Do outro lado da cidade, Alberto (Antonio Fagundes) vive uma vida de conforto e segurança financeira. Apesar da editora Prado Monteiro estar à beira da falência, Alberto conseguiu construir um império. Sua personalidade rabugenta e sua monótona vida social, porém, o impedem de ir além dos muros da mansão no bairro Jardim Botânico, na zona sul do Rio de Janeiro. O destino se encarrega do encontro de Paloma e Alberto quando o exame de saúde deles é trocado. Ela acha que tem seis meses de vida e ele acredita que está curado. Quando o diagnóstico real vem à tona, Paloma decide ir atrás de quem está com os dias contados. É aí que uma linda relação começa. Paloma e Alberto passam a conviver diariamente e vão construir uma amizade que vai trazer novas experiências, valores e perspectivas para cada um dos dois. Triângulo amoroso Paloma (Grazi Massafera) mergulha em um mundo novo de possibilidades e transita por infinitos universos quando está lendo. Vai da comédia ao drama, da fábula ao romance, em uma viagem que só parece possível diante das histórias que lê. Após viver anos em função da criação dos filhos e do trabalho, sua vida amorosa dá uma reviravolta digna das melhores narrativas românticas quando se vê entre Ramon (David Junior) e Marcos (Romulo Estrela). Ramon é o porto seguro, amor de uma vida inteira. Ele e Paloma se conheceram em Bonsucesso, na época da escola e, apesar dele ter ido morar nos Estados Unidos e dos quilômetros de distância que os separaram, um nunca esqueceu do outro. Além do sentimento que os mantêm conectados, ele também é o pai da primogênita da costureira, Alice (Bruna Inocencio), com quem conviveu poucos meses antes de viajar para o exterior em busca do sonho de se tornar jogador de basquete e garantir uma estabilidade financeira. Determinado e empenhado, Ramon conseguiu se formar em Educação Física nos Estados Unidos, mas uma contusão o deixou longe das quadras e ele passou a trabalhar como roupeiro do time Chicago Bulls. Ramon fica mais de quinze anos fora do Brasil até descobrir que Paloma está com os dias de vida contados. Já Marcos é a fantasia, uma paixão avassaladora. Ele é filho de Alberto (Antonio Fagundes) e irmão de Nana (Fabiula Nascimento) e, apesar da mesma paixão pelos livros que o pai, não se acostumou com sua intransigência na administração da editora Prado Monteiro. Independente e bon vivant, largou tudo e caiu no mundo atrás de uma vida de aventuras, amores e boemia, até parar na cidade de Búzios, onde abriu o Bar do Peter Pan. É na cidade que ele conhece Paloma. Ela está por lá para fazer faxina em uma casa e colocar a cabeça no lugar após receber o diagnóstico de que tem apenas seis meses de vida. Os dois têm um encontro arrebatador e inesquecível, e o que era para ser algo pontual se transforma em uma convivência constante quando eles se reencontram na mansão Prado Monteiro, já no Rio. É onde Paloma passa a trabalhar como acompanhante de Alberto e descobre o parentesco deles. Vida de artista Celebridade amada por uma legião de fãs, Silvana Nolasco (Ingrid Guimarães) é uma atriz extravagante que bomba nas redes sociais. Egocêntrica e barraqueira, chega a contratar paparazzi para forjar flagrantes nos lugares que frequenta e não sair das colunas de fofoca. Mas, no fundo, é sensível e insegura. Tem um affair com Marcos em Búzios e depois reencontra o rapaz, que lhe propõe fazer uma biografia de sua vida. Exibida, adora a ideia de ter seus segredos mais ocultos nas páginas de um livro. Bom Sucesso, escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm, tem colaboração de Charles Peixoto, Claudia Sardinha, Fabricio Santiago, Felipe Cabral e Isabela Aquino. Direção artística de Luiz Henrique Rios, direção geral de Marcus Figueiredo e direção de Luiz Felipe Sá, Ana Paula Guimarães, Dayse Amaral, Jeferson De e Joana Clark. Produção de Samantha Santos. A próxima novela das 7 estreia dia 29/7. https://gshow.globo.com/novelas/bom-sucesso/noticia/bom-sucesso-conheca-a-historia-da-nova-novela-das-7.ghtml Chamadas
  5. Luc

    novela Éramos Seis

    "Os nossos laços se fortalecem com o tempo e com o tempo tudo se transforma: o afeto, a nossa força, os nossos sonhos. Tudo o que me importa é ter quem ama por perto. Porque quando éramos todos, éramos um só." Éramos Seis, próxima novela das 6, é uma história atemporal sobre valores e laços familiares que atravessará três décadas. Escrita por Angela Chaves com direção artística de Carlos Araújo, a trama baseada na novela original escrita por Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho, livremente inspirada no livro de Maria José Dupré. É dividida em três fases: começa em 1920 e vai até 1940 para contar a luta de Lola (Gloria Pires) para manter os integrantes do clã Lemos unidos frente às dificuldades econômicas que atravessa. Casada com Júlio (Antonio Calloni), Lola é uma esposa devotada e mãe de quatro filhos: Carlos (Xande Valois/ Danilo Mesquita), o mais velho e motivo de orgulho para os pais; Alfredo (Pedro Sol/ Nicolas Prattes), rebelde que vive se metendo em confusões e tem ciúmes do irmão; Isabel (Maju Lima/ Giullia Buscacio), determinada e independente, é a favorita do pai - por ser a única filha mulher; e Julinho (Davi de Oliveira/André Luiz Frambach), o caçula da família - que desde criança demonstra habilidade para lidar com dinheiro. A história começa com Lola e Júlio passando sufoco para poder pagar as parcelas do casarão que compraram em São Paulo. O primeiro bem do casal sai mais caro do que eles previam por causa dos altíssimos juros do financiamento bancário. O imóvel acaba gerando um impasse entre eles: para ela, o local é a alma da família. Para ele, um empecilho para melhorar de vida. Para sustentar a família, Júlio passa o dia trabalhando na loja de tecidos de Assad (Werner Schünemann). Funcionário exemplar, almeja ser promovido pelo patrão e, assim, chegar ao final do mês mais tranquilo financeiramente. Por sua vez, Lola se dedica à confecção e venda de peças de tricô para reforçar o orçamento enquanto cuida da casa e da educação dos filhos com a ajuda de Durvalina (Virgínia Rosa). Éramos Seis vai ao ar de segunda a sábado, na faixa das 18 horas.
  6. A nova novela com texto original do SBT, “As Aventuras de Poliana”, obra da autora Iris Abravanel, já possui o elenco completo, definido pela Direção Artística da emissora, para substituir “Carinha de Anjo”. Alguns artistas são velhos conhecidos do público. A nova atração irá ao ar às 20h30 e tem previsão de estreia para o primeiro semestre de 2018. O elenco de “As Aventuras de Poliana”, com direção-geral de Reynaldo Boury, já está sendo preparado por uma equipe de profissionais em diferentes workshops dentro da emissora. A diretora de elenco Márcia Ítalo e o preparador de elenco Ariel Moshe trabalham a interpretação dos atores. A fonoaudióloga Camila Mercatelli, o professores de canto, Jeferson Nogueira Alves, de violão, Lucas Zacarias Frezza, de percussão, Pelé (Everton Nascimento), e de cavaco, Juninho(José Isanio), treinam as habilidades musicais. Os atores ainda passam por aulas com o coreógrafo Eudóxio Junior e são acompanhados pela psicóloga Rosa Naccarato. A produção musical está sob os cuidados de Arnaldo Saccomani e Laércio Ferreira. Elenco Infantojuvenil Sophia Valverde, Igor Janssen, Lucas Bugatti, Theo Medon, Davi Campolongo, as gemeas Camilly e Mariany Oliveira, Manuela Kfouri, Vincenzo Richy, Vitor Britto, Graciely Junqueira, Lawran Couto, Joao Guilherme, Larissa Manoela, Isabela Moreira, Henry Fiuza, Enzo Krieger, Duda Pimenta, Bia Vannutti, os gemeos Kauan e Vinicius Siqueira , Pietra Quintela, Isabela Fernandes,Valentina Oliveira, Alanys Santos e Flavia Pavanelli Elenco Adulto: Milena Toscano, Dalton Vigh ,Miryam Rios ,Victor Pecoraro , Marat Descartes, Cris Carniato, Otávio Martins, Clarisse Abujamra, Mylla Christie, Kiara Sasso,Lazaro Menezes,Murilo Cezar,Eduardo Semerjian,Daniela Paschoal , Pedro Lemos, Guilherme Boury, Eliana de Souza, Letícia Cannavale, Ivan Parente, Letícia Tomazella ,Nando Cunha, Maria Gal ,Gabriela Petry, Emilio Farias, Lisandra Cortez,Lílian Blanc, Jitman Vibranovsky,Raquel Bertani ,Luciana Vidal ,Helder Sossa ,Rafaela Ferreira Sinopse: Após um acidente de carro que mata o seu pai, um missionário evangélico, Poliana é levada pelo conselho tutelar para casa de sua tia que sequer sabia de sua existência. Lá a empregada doméstica Nancy se torna uma espécie de babá para a menina. Ela começa a trabalhar como empregada doméstica na casa da dondoca milionária Luiza (Milena Toscano),que forma um triângulo amoroso com Otto (Dalton Vigh) e Afonso (Victor Pecoraro) quando sua mãe, Branca (Lilian Blanc), fica gravemente doente. Apesar de nunca ter trabalhado na vida, Nancy é obrigada a pedir trabalho para Luiza porque Branca, além da doença, também fica viúva, o que a impossibilita de bancar as despesas dos seus irmãos mais novos: Mirela (Larissa Manoela), Valdisney (Pedro Lemos) e Yasmin (Bia Lanutti). Personagens(Atores) Poliana(Sophia Valverde) Alice (Kiara Sasso) Lorenzo(Lazaro Menezes) Joao Feijao(Igor Jansen) Josefa(Luciana Vidal) Luiza (Milena Toscano) Nancy (Rafaela Ferreira) Ruth (Miryam Rios) Mirella(Larissa Manoela)* Lucca Tube(Joao Guilherme) Raquel(Bella Moreira) Yasmin(Bia Lannutti)* Filipa(Isabela Fernandes)* Lorena(Pietra Quintela) Fernanda(Cris Carniato) Eric (Lucas Burgatti)* Hugo(Henry Fiuza)* Brenda(Flavia Pavanelli) Vinicius Gomes(Vincenzo Richy) Lindomar Gomes(Ivan Parente) Arlete Gomes(Letícia Tomazella) Guilherme(Lawrran Couto) Marcelo(Murilo Cezar) Mario(Theo Medon) Gael(Kauan Siqueira) Benicio(Vinicius Siqueira) Bento(Daniel Campolongo) Malu (Camilly Oliveira) Mavi(Mary Oliveira) Gabriela(Graciely Junqueira) Luigi(Enzo Krieger) Polidroide(Manu Kfouri) Otto (Dalton Vigh) Afonso(Victor Pecoraro) Durval(Marat Descartes) Roger(Otávio Martins) Glória(Clarisse Abujamra) Verônica(Mylla Christie) Salvador(Eduardo Semerjian) Joana(Daniela Paschoal) Waldisney(Pedro Lemos) Sergio(Guilherme Boury) Helo(Eliana de Souza) Claudia(Letícia Cannavale) Ciro(Nando Cunha) Kessya(Duda Pimenta) Jefferson(Vitor Britto) Gleice(Maria Gal) Sophie(Gabriela Petry) Iuri(Emilio Farias) Débora(Lisandra Cortez) Blanca(Lílian Blanc) Antônio(Jitman Vibranovsky) Nadine(Raquel Bertani) Tião(Helder Sossa) Leticia(Valentina Oliveira) Paola(Alanys Santos) Fontes:
  7. Mathis

    novela Topíssima

    Topíssima será exibida pela Record a partir de 21 de maio de 2019, substituindo a reprise de A Terra Prometida. Será a 31ª novela exibida pela emissora desde a retomada da dramaturgia em 2004. Escrita por Cristianne Fridman com colaboração de texto de Aline Garbati, Camilo Pellegrini, Carla Piske, Jussara Fazolo, Fabiana Reis, Marco Borges e Stephanie Mendes, sob direção geral de Rudi Lagemann. A atriz Camila Rodrigues e o ator Felipe Cunha farão o casal protagonista Sophia e Antonio.
  8. Exibida originalmente pelo SBT entre os dias 3 de agosto de 2015 e 13 de dezembro de 2016, em 357 capítulos Substituiu Chiquititas e deu lugar à Carinha de Anjo Escrita por Íris Abravanel, com supervisão de Rita Valente e dirigida por Reynaldo Boury Larissa Manoela interpreta as personagens principais Manuela e Isabela Juliana Baroni, Duda Nagle e Maria Pinna foram os protagonistas adultos Reprisada pelo SBT desde o dia 7 de janeiro, no lugar de Chiquititas
  9. Fadokimi

    novela Ouro Verde

    Chamadas da apresentação da Band: Abertura (Versão TVI) Tema da novela (Versão Band) Abertura (Versão Band) Vídeo do Emmy (Eleita melhor novela do mundo de 2018) Sinopse: Jorge Monforte (Diogo Morgado) é um empresário brasileiro, dono do império Ouro Verde (Brasil), um dos líderes mundiais no mercado agropecuário. Acaba de adquirir uma importante participação no Banco Brandão Ferreira da Fonseca (BBFF), uma empresa familiar liderada pelo poderoso banqueiro português Miguel Ferreira da Fonseca (Luís Esparteiro), conquistando um assento no restrito conselho de administração da instituição. A novidade não é bem acolhida na família do banqueiro, que suspeita das reais intenções daquele estrangeiro. O que não passa pela cabeça de ninguém é que Jorge Monforte seja a nova identidade de Zé Maria Magalhães, dado como morto há 15 anos, que volta agora para fazer justiça pela morte da sua família. Elenco: Diogo Morgado - José Maria Magalhães (Zé Maria) / Jorge Monforte (Protagonista) Joana de Verona - Beatriz Ferreira da Fonseca (Bia) (Protagonista) Luís Esparteiro - Miguel Ferreira da Fonseca (Antagonista) Sílvia Pfeifer - Mónica Brandão Ferreira da Fonseca (Co-Protagonista) Ana Sofia Martins - Vera Andrade (Co-Antagonista) Pedro Carvalho - Tomás Ferreira da Fonseca (Co-Protagonista) Manuela Couto - Amanda Nascimento Ferreira da Fonseca (Co-Protagonista) Nuno Homem de Sá - Otelo Monteiro/Ferreira da Fonseca (Co-Antagonista) Dina Félix da Costa - Rita Ferreira da Fonseca (Co-Antagonista) Bruno Cabrerizo - João Laurentino da Silva (Antagonista) Participação Especial Úrsula Corona - Valéria de Scarpa Adriano Toloza - Edu Gracindo Júnior - Januário Cavalcantti Zezé Motta - D. Nénem e Rui Mendes - José Ferreira da Fonseca Informação geral: Autora Maria João Costa Diretor Hugo de Sousa Produtor Plural Entertainment Emissora de televisão original TVI Formato de exibição 576i (SDTV) - 16:9 N.º de episódios 221 no total Horário: | Segunda à Sábado de 20:30 às 21:10 (logo depois de Jornal da Band) Patrocínio:
  10. Estrelada por Angelique Boyer e Michel Brown, com Participação Especial de Alexis Ayala, chega Na Zap Novelas, Em Angola e Moçambique, a Recente produção mexicana Amar a Morte (Amar a Muerte). Ocupando a Vaga de Maria Madalena, a exibição de Amar a Morte vai ao ar a partir do dia 27 de fevereiro, as 20h em Angola, e 21h, em Moçambique, Dublada em PT-BR com exclusividade para a Zap Novelas. Confira a Promo Dublada em Português:
  11. Os bastidores de Andando Nas Nuvens; trama de sucesso às 19h estreou há 19 anos - No primeiro capítulo deAndando Nas Nuvens, exibido em 22 de março de 1999, uma pane no sistema de energia do hospital em que Otávio Montana (Marco Nanini) está internado o faz despertar após 18 anos dormindo! Otávio fora acometido por uma encefalite letárgica, conhecida como a doença do sono, desde a queda que sofreu, do alto de uma varanda, ao presenciar o assassinato de seu pai, Gregório Montana (Ary Coslov, diretor da trama, em participação especial). - A encefalite letárgica também foi tema do filme Tempo de Despertar (1990), no qual um jovem médico (Robin Williams) estudava o tratamento mais adequado para vítimas da moléstia (dentre elas, o personagem de Robert de Niro). O autor de Andando Nas Nuvens, Euclydes Marinho, conferiu o longa, por sugestão de Daniel Filho. E optou então pela abordagem da encefalite letárgica ao invés de um coma causado, como exemplo, por um acidente vascular encefálico (AVE) - o popular derrame cerebral - que deixaria sequelas em Otávio. - O projeto estava engavetado na Globo desde 1997, quando fora cogitado para substituir Zazá, também às 19h, e recusado por José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni. Na época, Euclydes já contava com time de colaboradores escalados - Ângela Carneiro, Denise Bandeira e Maria Helena Nascimento (recentemente promovida ao horário das 21h). - A ideia surgiu quando um amigo de Marinho entrou em coma. O autor começou a imaginar o que aconteceria com o camarada após a retomada de consciência, ao se deparar com as mudanças ocorridas em sua vida, alheias à sua vontade. - Na ocasião, Andando Nas Nuvens ainda atendia por 'A Última Noite do Século'; provavelmente, uma referência ao fato de Otávio "dormir" em 1981, século XX, e despertar já na eminência do século XXI. - Batizar o folhetim não foi tarefa fácil. Além de 'Última Noite', foram cogitados os títulos 'A Volta por Cima', 'Alto Astral', 'As Cinco Fases do Amor', 'Feliz por um Triz', 'Folhetim', 'Louco Varrido', 'Maluco Beleza', 'Na Crista da Onda' e 'Quebra-Cabeça'. - Foi a primeira novela de Euclydes Marinho. Em Brilhante (1981), atuou apenas como colaborador de Gilberto Braga. Em Mico Preto (1990), dividiu os roteiros com Leonor Bassères e Marcílio Moraes. Sobre esta última, ele declarou ao Estado de São Paulo, na época da estreia de 'Andando': "Mico Preto não era de ninguém; ninguém sabia o que era aquilo". - O desenvolvimento do enredo estava atrelado ao convite feito a Marco Nanini. Caso o ator - afastado das novelas desde Pedra Sobre Pedra (1992) - recusasse, Euclydes optaria por um "plano B": Otávio Montana morreria no capítulo 15 e a trama se debruçaria sobre o famigerado "quem matou?". - Nestes sete anos, Nanini se manteve no vídeo em projetos menores, como episódios de A Comédia da Vida Privada (1995) e a minissérie O Auto da Compadecida, exibida em janeiro de 1999. Da substituta de 'Compadecida', Chiquinha Gonzaga, a produção de Andando Nas Nuvens recrutou Caio Blat (Thiago), Carla Regina (Ana Paula), Marcello Novaes (Raul), Susana Vieira (Gonçala) e Taumaturgo Ferreira (Atila) - todos com apenas dias de descanso entre o término de uma e o início de outra. Marcos Palmeira também emendou, praticamente, o tímido Alexandre Toledo, de Torre de Babel (finalizada em janeiro) e o atrapalhado Chico Mota. - Isadora Ribeiro chegou a gravar como Oneide, esposa de Alex (Otávio Augusto), amigo de Otávio que o acolhe após o despertar. A atriz, contudo, acabou substituída por Isabela Garcia - numa das personagens mais inexpressivas de sua carreira. - Após despertar, Otávio se depara com toda sorte de dispositivos dos quais nunca tinha sequer ouvido falar: videocassete, CD, celular, computador, notebook, internet... E também com as três filhas, já crescidas. A primogênita Júlia (Débora Bloch), intrépida jornalista, com mais idade do que o pai tinha - e ainda acredita ter - quando despencou da varanda. Ainda, Beth (Vivianne Pasmanter), no encalço de um bom partido após o casamento falido com Nicolau (Carlos Evelyn, irmão de Deborah Evelyn e então cunhado do diretor Dennis Carvalho). E Celi (Mariana Ximenes), com vocação para noviça. - Malu Mader foi o primeiro nome pensado para Júlia Montana, formando par com Marcos Palmeira - o que ocorreria anos depois, em Celebridade (2003). A atriz, contudo, acabou remanejada para Força de um Desejo, produção das 18h. Em 1997, Cláudia Raia foi cotada para o papel. - Diretor-geral de criação da Globo na época, Daniel Filho exigiu a presença de Fernanda Souza no elenco. A atriz, que estava no auge da popularidade graças a Mili, sua personagem em Chiquititas (1997), do SBT, atendeu ao chamado, respondendo por Joana, a retraída filha da extrovertida Janete (Eliane Giardini), irmã de Chico Mota. - Mariana Ximenes também veio do SBT. Mais precisamente de Fascinação, exibida no ano anterior, na qual também se envolvia com o personagem de Caio Blat. Os tipos, contudo, foram invertidos: em 'Andando', a noviça Celi foge das investidas de Thiago, que, decidido a perder a virgindade com seu primeiro amor, desperta a desconfiança do pai sobre sua sexualidade. Em Fascinação, era Emília (Ximenes) quem corria atrás de Gustavo. - No primeiro tratamento da sinopse, Janete era chamada Anair. E Chico Mota atendia por Chico Vargas. 'Vargas' passou a ser o nome do falecido marido de Janete. - Numa homenagem ao clássico de 1978, dirigido por Daniel Filho, a academia de dança de Janete foi batizada Dancin' Days. Para a personagem, Eliane Giardini fez aulas com Jayme Arôxa, hoje jurado do Dancing Brasil - atração de Xuxa Meneghel na Record TV. - Outras "referências novelísticas" marcaram as locações. O bairro da Urca, famoso por conta de A Gata Comeu (1985), abrigava boa parte das gravações. A casa no Cosme Velho que servia de sobrado para a família Montana também hospedou o casal Zuleika e Rômulo (Eva Wilma e Cláudio Corrêa e Castro), de História de Amor (1995). Também de 'História', a construção que serviu de locação para a clínica do Dr. Carlos Moretti (José Mayer), vista também em Roda de Fogo (1986), Zazá (1997), Brida (1998) e, posteriormente, Como Uma Onda (2004). Nos cenários, fotos de Vivianne Pasmanter como Laura, de Por Amor (1997), então seu último trabalho. - O Rio de Janeiro foi reverenciado a todo momento. Segundo o diretor Dennis Carvalho, a novela possuía um clima "bossa nova", que resgatava o charme da Cidade Maravilhosa. - Paisagens cariocas davam o tom da abertura, que trazia cartões postais, como o Pão de Açúcar, em movimento. Lembrava, de leve, a vinheta de Estúpido Cupido (1976). - O tom da novela remetia aos sitcoms de sucesso da TV americana. Marinho também admitiu a inspiração em comédias românticas dos anos 1940 e 1950. - Outra referência: o colunista social do Correio Carioca, Jacques Delon (Antônio Pedro), tomou como base o perfil do folclórico Ibrahim Sued, que ocupava a mesma função na redação do jornal O Globo. - Cerca de R$ 90 mil foram gastos em cada capítulo da produção. - O lançamento contou com um making-of, exibido pelo canal Multishow, da Globosat, no domingo anterior à estreia (21), 19h. - Cláudio Marzo emprestou seu charme ao vilão Antônio San Marino, responsável pela morte de Gregório. Empresário do ramo da comunicação - desde que assumiu a redação do jornal da família Montana, Correio Carioca -, San Marino almejava seguir carreira na política, contando com o auxílio do marqueteiro Bob Lacerda (Felipe Camargo). - Enquanto Cláudio Marzo revivia o par de Cambalacho (1986) e Bambolê (1987) com Susana Vieira, Felipe Camargo reeditava o romance com Lúcia Veríssimo, aqui como a terapeuta Flora, já visto em Mandala (1987). - Dentre as polêmicas de bastidores, destaque para a campanha antitabagismo, liderada por Daniel Filho, em meio ao empenho do Ministério da Saúde em advertir o consumidor sobre os malefícios do cigarro. Chico Mota, fumante inveterado, enfrenta diversas situações, hilárias, na tentativa de largar o vício. Na mesma época, Nana, personagem de Nívea Maria em Suave Veneno, às 20h, também deixou o tabagismo de lado. - Ainda, críticas - por parte da imprensa especializada em TV - ao núcleo jovem. Diferente de outras produções, nas quais os adolescentes estão sempre em ebulição, Celi, Joana e Thiago prezavam pela castidade. Surgiu então Valéria (Isabel Guéron), que "desvirginou" o rapaz. Em contrapartida, Mariana Ximenes, Fernanda Souza e Caio Blat ocupavam todas as revistas destinadas ao público infanto-juvenil, tamanho sucesso! - Susana Vieira queixou-se, educadamente, do perfil de Gonçala. "O público reclama que apareço pouco. É um desperdício para mim e para a TV. Fico muito parada, gravo pouco. Estou acostumada a "ralar" mais. Mas sou obediente ao autor. Estou no barco e vou com ele", em entrevista a O Globo, de 23 de maio de 1999. De fato, Gonçala San Marino era um pouquinho "de menos" para quem acabara de interpretar Branca Letícia de Barros Mota, em Por Amor. - Otávio Augusto também se aborreceu com Alex, conforme relatado pelo próprio, também ao jornal O Globo (26 de setembro de 1999): "Ele é um quinto coadjuvante. Nesta trama, os atores superaram os personagens e a própria história". - Segundo Otávio, o ciúme da mulher Oneide prejudicaria o casamento de Alex. A dona de casa então se envolveria com Tião Alemão (Tony Tornado), dono do bar Berlim, vizinho à redação do Correio Carioca. Nada disso aconteceu. - Já Judite (Nicette Bruno) e Lúcia Helena (Júlia Lemmertz) cresceram - e muito! - ao longo da narrativa. A mãe e a ex-mulher de Chico Mota viviam às turras, até o envolvimento do jornalista com Júlia. Unidas, elas fizeram um verdadeiro inferno na vida da primogênita dos Montana. Obcecada por intervenções cirúrgicas, Lúcia Helena chegou a operar os seios para deixá-los maiores do que os de sua rival. E também forçou a filha, a pré-adolescente Constância (Gabriela Martins), a aporrinhar a madrasta. - Júlia Lemmertz atuou grávida durante boa parte da trama. Já na reta final, a atriz passou a usar de objetos de cena para esconder a barriga. A direção também passou a privilegiar closes e enquadramentos que escondessem a gestação. - A produção apostou em participações especiais. Atores iam e vinham, conforme as necessidades do enredo, movimentando a narrativa. Neste contexto, destaque para Bruna Lombardi como Frida, cientista que pesquisava a fórmula do amor, entrevistada por Chico e Júlia; Milton Gonçalves como um delegado; Regina Maria Dourado como Ieda, mãe de Raul; e Zezé Polessa como Bonitona, motoqueira que ajuda Otávio a fugir da clínica psiquiátrica. - Andando Nas Nuvens demorou a decolar! A novela se aproximou de índices considerados alarmantes pela Globo, na ocasião - abaixo dos 30 pontos. Segundo publicações da época, Marinho chegou a "trocar ideias" a respeito da condução com autores tarimbados, como Gilberto Braga, Manoel Carlos, Ricardo Linhares, Silvio de Abreu e Walther Negrão. - A novela já estava estabilizada, indo de 35 a 40 pontos, quando entrou em sua "segunda fase". Foi quando San Marino conseguiu dispensar Gonçala, deixando-a sem um tostão. Também enviou Otávio para uma clínica psiquiátrica; este tiro, porém, saiu pela culatra já que o "desmemoriado" se lembrou do que acontecera na noite da morte de seu pai, após tomar outro choque elétrico. - Neste momento, 'Andando' apostou numa narrativa mais folhetinesca: Beth casou-se com o primogênito de San Marino, Arnaldinho (Márcio Garcia), alegando esperar um filho dele - na verdade, herdeiro de Raul; já Júlia, cuja semelhança com a mãe, Eva, impressionava, tornou-se alvo das investidas de San Marino, seu verdadeiro pai - também genitor de Joana, a quem Janete pede auxílio após perder a academia, por conta das dívidas do namorado Atila, não podendo mais sustentar a filha. - Com a volta de Eva, vivendo sob a identidade da Condessa Astrid Von Brandenburg, estabeleceu-se um imbróglio: um retrato da personagem fora pintado tomando por base os traços de Débora Bloch, já que Júlia era muito parecida com a mãe. Logo, era preciso encontrar uma atriz que guardasse as devidas semelhanças com Bloch. Renata Sorrah fora escolhida para o papel. A mudança física de Eva foi justificada com uma cirurgia plástica, na intenção de fugir de San Marino. Testemunha da morte de Gregório, Eva fugiu com o dinheiro do sogro, temendo ser o próximo alvo do vilão, seu amante. - Nos capítulos finais, Ary Coslov voltou à cena, então como um garçom. Ao vê-lo, Otávio exclama: "Que garçom estranho, parece meu pai!". O caco, inserido pelo ator, acabou mantido na edição final. Dennis Carvalho também participou da trama, em off: era voz do comissário que anunciou a chegada de Júlia ao Brasil, no primeiro capítulo. - Karla Karenina, reverenciada como Dita, a empregada de Silvana (Lilia Cabral) em A Força do Querer (2017), participou de Andando Nas Nuvens como Iracema, arrumadeira na casa dos San Marino. Karla já era conhecida do público, por conta de sua presença na Escolinha do Professor Raimundo (1990). - O Casseta & Planeta, Urgente! transformou Andando Nas Nuvens em 'Fernando Nas Nuvens', uma referência ao então presidente Fernando Henrique Cardoso, parodiado por Hubert. FHC surgiu na mesma situação de Otávio Montana: despertando de um sono profundo e se deparando com o Brasil que não conhecia. - A trilha sonora popularizou o grupo Fat Family, responsável pelo tema de abertura, 'Gulosa'. Para a vinheta, os integrantes regravaram a canção, substituindo o trecho "quero ser a dona do seu prazer" por "quero andar nas nuvens com você". Também Maurício Manieri, alçado ao estrelato com 'Minha menina', tema de Beth e das vinhetas de intervalo. - Outro êxito: a mochila de couro transpassada que Júlia usava para transportar seu notebook. A peça, da Zoomp, custava uma pequena fortuna: R$ 259,00. http://www.tvhistoria.com.br/NoticiasTexto.aspx?idNoticia=5252
  12. Homem desconhecido da família dá entrevista revelando farsa da morte Beto fica estarrecido com farsa revelada na TV A bomba estourou! Depois que Doralice (Roberta Rodrigues) descobre que Beto (Emilio Dantas) está vivo, a notícia começa a se espalhar. A família liga a TV e se depara com um homem desconhecido revelando para um repórter: "É uma farsa! Tudo uma farsa! Beto Falcão é um pilantra, um mentiroso que enganou o Brasil inteiro! Ele está vivo! Ele mentiu! Andando por aí, como se nada tivesse acontecido... " Clóvis (Luis Lobianco) não entende como isso foi acontecer, e Naná acredita que foi obra de Doralice. Dodô (José de Abreu) mostra otimismo com a situação, mas a matriarca da família Falcão se desepera: "Minha Nossa Senhora, vai ser o nosso fim! Que vai ser da gente agora, Beto?" A cena irá ao ar no capítulo desta quinta-feira (31) de Segundo Sol. Fonte: https://gshow.globo.com/novelas/segundo-sol/vem-por-ai/noticia/vaza-noticia-na-tv-de-que-beto-esta-vivo.ghtml
  13. Segundo Sol: Na pior, Karola vai morar em favela com cheiro de esgoto Karola (Deborah Secco) trocará a cobertura luxuosa em que mora por uma vida sofrida na favela. Ela vai dividir um barraco com a mãe de Katiandréa (Camila Lucciola), uma das garotas de programa de Laureta (Adriana Esteves). Acostumada à vida boa, a vilã se chocará ao descobrir que o novo lar não tem esgoto, muito menos ar-condicionado. "Um abrigo para mendigos é melhor que isso aqui", desabafará. A mudança de endereço fará parte de um plano que Laureta bolará para ajudar a comparsa. Com medo de ser desmascarada por Luzia (Giovanna Antonelli), depois de brigar feio com a marisqueira em Boiporã e deixá-la à beira da morte, ela terá de abrir mão de tudo para convencer Beto Falcão (Emilio Dantas) de que o ama de verdade, e não ficou com ele apenas pelo dinheiro arrecadado com a falsa morte. "Se o seu amor lhe deixa cego, Beto, fica com essa psicopata! Fica com ela, com seu dinheiro, sua cobertura, suas músicas, não quero mais nada de você. Cansei de ser sempre a pior pessoa do mundo! Eu tô indo embora. Boa sorte", soltará Karola durante uma discussão com o marido, em que ele confessará que ama Luzia. Depois de armar o teatro para o cantor e a família dele, Karola contará tudo para Laureta. "Mas já tô arrependida, sinto que me lasquei, facilitei o lado deles, acho adoraram ter se livrado de mim!", admitirá a golpista. "Você vai ver, ainda vão lhe pedir de joelhos pra você voltar! Aquela gente jamais imaginou que você fosse capaz de abrir mão de tudo, você surpreendeu todo mundo", falará a cafetina. "Espantados eles ficaram mesmo, tinha que ver a cara do velho Dodô [José de Abreu]", rirá a personagem de Deborah Secco. "Mas daí a me pedirem pra voltar, não imagino... Tô arriscando demais! Olha o que você me fez fazer, mulher!". "Você tinha que arriscar, sua reputação tava em baixa, Karola, você tava mais desacreditada que quenga virgem! Agora você virou o jogo, mexeu com a consciência culpada daquela família... Mas tem que ir firme, até o fim", recomendará Laureta. "Tô firme. E vou ficar aonde? Num hotel?", questionará. "Afff! Não, mulher, pense! Você está por baixo, arrasada, sofrida! Você vai ficar na casa da mãe de Katiandréa em Periperi", explicará a cafetina, em referência ao bairro do subúrbio de Salvador. Karola ficará inconformada, mas topará. O local é descrito por João Emanuel Carneiro como "a parte mais miserável de Periperi. Casebres muito simples, ruas de terra, carros velhos". Karola e Katiandréa entrarão em uma casa que parece uma favela. Serão recebidas pela mãe da prostituta, Dona Candinha (o nome da atriz não foi divulgado). "Karola, essa é Candinha, minha mãe. Mãe, essa é a Karola, uma amiga minha. Ela vai alugar um quarto aqui. Ela quer com PF [prato feito], né Karola?", começará a garota de programa, que abrirá uma panela no fogão, revelando uma "gororoba com aparência horrível". "Katiandréa, parece que vocês cozinharam uma ratazana! Eu só tô conseguindo respirar pela boca, que cheiro é esse? Não me diga que é essa comida!", reclamará Karola. "É o córrego, dia de calor é um inferno", explicará Candinha. "Daqui a pouco você acostuma! Pior são os mosquitos... Se morder no pé ou na perna, é dengue, tome cuidado", avisará Katiandréa. "Ou chicungunha!", falará a dona da casa. "Feche a janela e ligue o ar! Eu tô derretendo", dirá Karola, sem noção. Candinha rirá e dirá que só tem um ventilador, no quarto dela. "Katiandréa, como é que você deixa sua mãe morando num buraco desses? Dona Candinha, como é que a senhora tem coragem de cobrar pra alguém ficar aqui?", detonará a vilã. "Ano que vem vai ter esgoto, vai ficar bem melhor", soltará Candinha, esperançosa. Karola irá até a janela e ouvirá uma música alta, repleta de palavrões. "Um abrigo pra mendigos é melhor que isso aqui! E essa música? É isso o dia inteiro?", reclamará. "O negócio aqui é animado!", dirá a mãe da prostituta. "A senhora quer dizer infernal, é isso? Meu Deus, como é que pobre vive assim? É calor, é o fedor, é música martelando", reclamará a amante de Remy (Vladimir Brichta). "Foi Laureta que pediu pra você ficar aqui! Eu avisei que não era uma boa ideia! Se vai ofender minha mãe e a comunidade dela, é melhor ir embora agora!", se revoltará Katiandréa. "Eu preciso ficar, não ache que eu tô gostando!", falará Karola. Em outra cena, a personagem de Deborah Secco será mostrada tentando tomar banho, mas o chuveiro não terá água. "Inferno! Nunca vi tomar banho de conta-gotas! Que vontade de matar a Laureta!", dirá a vilã, irritada. A sequência vai ao ar a partir do dia 15 de junho de Segundo Sol. Fonte: http://noticiasdatv.uol.com.br/mobile/noticia/novelas/segundo-sol-na-pior-karola-vai-morar-em-favela-com-cheiro-de-esgoto--20687.amp?__twitter_impression=true
  14. Último capítulo do remake de 1995. Foi exibida em Portugal entre Janeiro e Julho de 1995.
  15. É hoje estreavam no dia 26 de Agosto será a novela "O Beijo do Vampiro" foi exibida em 2002, e temática dos vampiros comemora no seus 15 anos com a trama Antônio Calmon e direção geral Marcos Paulo, também e todos os elencos: Tarcísio Meira, Claudia Raia, Kayky Brito, Cecília Dassi, Flávia Alessandra, Julia Lemmertz, Marcos Ricca, Rosane Gofman, Gabriel Braga Nunes, Deborah Secco, Thiago Lacerda, Luis Gustavo, Tato Gabus Mendes, Bianca Castanho, Glória Menezes, Eduardo Galvão e muito mais. Confira tema de abertura: Hoje estreia será O Beijo do Vampiro vai comemoração 15 anos! Assistem confira "Video Show" passando a novela O Beijo do Vampiro foi ontem: -> http://gshow.globo.com/programas/video-show/episodios/playlists/0/videos-de-video-show-de-sexta-feira-25-de-agosto.html#v6103867 <-
  16. Os bastidores de Andando Nas Nuvens; trama de sucesso às 19h estreou há 19 anos - No primeiro capítulo deAndando Nas Nuvens, exibido em 22 de março de 1999, uma pane no sistema de energia do hospital em que Otávio Montana (Marco Nanini) está internado o faz despertar após 18 anos dormindo! Otávio fora acometido por uma encefalite letárgica, conhecida como a doença do sono, desde a queda que sofreu, do alto de uma varanda, ao presenciar o assassinato de seu pai, Gregório Montana (Ary Coslov, diretor da trama, em participação especial). - A encefalite letárgica também foi tema do filme Tempo de Despertar (1990), no qual um jovem médico (Robin Williams) estudava o tratamento mais adequado para vítimas da moléstia (dentre elas, o personagem de Robert de Niro). O autor de Andando Nas Nuvens, Euclydes Marinho, conferiu o longa, por sugestão de Daniel Filho. E optou então pela abordagem da encefalite letárgica ao invés de um coma causado, como exemplo, por um acidente vascular encefálico (AVE) - o popular derrame cerebral - que deixaria sequelas em Otávio. - O projeto estava engavetado na Globo desde 1997, quando fora cogitado para substituir Zazá, também às 19h, e recusado por José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni. Na época, Euclydes já contava com time de colaboradores escalados - Ângela Carneiro, Denise Bandeira e Maria Helena Nascimento (recentemente promovida ao horário das 21h). - A ideia surgiu quando um amigo de Marinho entrou em coma. O autor começou a imaginar o que aconteceria com o camarada após a retomada de consciência, ao se deparar com as mudanças ocorridas em sua vida, alheias à sua vontade. - Na ocasião, Andando Nas Nuvens ainda atendia por 'A Última Noite do Século'; provavelmente, uma referência ao fato de Otávio "dormir" em 1981, século XX, e despertar já na eminência do século XXI. - Batizar o folhetim não foi tarefa fácil. Além de 'Última Noite', foram cogitados os títulos 'A Volta por Cima', 'Alto Astral', 'As Cinco Fases do Amor', 'Feliz por um Triz', 'Folhetim', 'Louco Varrido', 'Maluco Beleza', 'Na Crista da Onda' e 'Quebra-Cabeça'. - Foi a primeira novela de Euclydes Marinho. Em Brilhante (1981), atuou apenas como colaborador de Gilberto Braga. Em Mico Preto (1990), dividiu os roteiros com Leonor Bassères e Marcílio Moraes. Sobre esta última, ele declarou ao Estado de São Paulo, na época da estreia de 'Andando': "Mico Preto não era de ninguém; ninguém sabia o que era aquilo". - O desenvolvimento do enredo estava atrelado ao convite feito a Marco Nanini. Caso o ator - afastado das novelas desde Pedra Sobre Pedra (1992) - recusasse, Euclydes optaria por um "plano B": Otávio Montana morreria no capítulo 15 e a trama se debruçaria sobre o famigerado "quem matou?". - Nestes sete anos, Nanini se manteve no vídeo em projetos menores, como episódios de A Comédia da Vida Privada (1995) e a minissérie O Auto da Compadecida, exibida em janeiro de 1999. Da substituta de 'Compadecida', Chiquinha Gonzaga, a produção de Andando Nas Nuvens recrutou Caio Blat (Thiago), Carla Regina (Ana Paula), Marcello Novaes (Raul), Susana Vieira (Gonçala) e Taumaturgo Ferreira (Atila) - todos com apenas dias de descanso entre o término de uma e o início de outra. Marcos Palmeira também emendou, praticamente, o tímido Alexandre Toledo, de Torre de Babel (finalizada em janeiro) e o atrapalhado Chico Mota. - Isadora Ribeiro chegou a gravar como Oneide, esposa de Alex (Otávio Augusto), amigo de Otávio que o acolhe após o despertar. A atriz, contudo, acabou substituída por Isabela Garcia - numa das personagens mais inexpressivas de sua carreira. - Após despertar, Otávio se depara com toda sorte de dispositivos dos quais nunca tinha sequer ouvido falar: videocassete, CD, celular, computador, notebook, internet... E também com as três filhas, já crescidas. A primogênita Júlia (Débora Bloch), intrépida jornalista, com mais idade do que o pai tinha - e ainda acredita ter - quando despencou da varanda. Ainda, Beth (Vivianne Pasmanter), no encalço de um bom partido após o casamento falido com Nicolau (Carlos Evelyn, irmão de Deborah Evelyn e então cunhado do diretor Dennis Carvalho). E Celi (Mariana Ximenes), com vocação para noviça. - Malu Mader foi o primeiro nome pensado para Júlia Montana, formando par com Marcos Palmeira - o que ocorreria anos depois, em Celebridade (2003). A atriz, contudo, acabou remanejada para Força de um Desejo, produção das 18h. Em 1997, Cláudia Raia foi cotada para o papel. - Diretor-geral de criação da Globo na época, Daniel Filho exigiu a presença de Fernanda Souza no elenco. A atriz, que estava no auge da popularidade graças a Mili, sua personagem em Chiquititas (1997), do SBT, atendeu ao chamado, respondendo por Joana, a retraída filha da extrovertida Janete (Eliane Giardini), irmã de Chico Mota. - Mariana Ximenes também veio do SBT. Mais precisamente de Fascinação, exibida no ano anterior, na qual também se envolvia com o personagem de Caio Blat. Os tipos, contudo, foram invertidos: em 'Andando', a noviça Celi foge das investidas de Thiago, que, decidido a perder a virgindade com seu primeiro amor, desperta a desconfiança do pai sobre sua sexualidade. Em Fascinação, era Emília (Ximenes) quem corria atrás de Gustavo. - No primeiro tratamento da sinopse, Janete era chamada Anair. E Chico Mota atendia por Chico Vargas. 'Vargas' passou a ser o nome do falecido marido de Janete. - Numa homenagem ao clássico de 1978, dirigido por Daniel Filho, a academia de dança de Janete foi batizada Dancin' Days. Para a personagem, Eliane Giardini fez aulas com Jayme Arôxa, hoje jurado do Dancing Brasil - atração de Xuxa Meneghel na Record TV. - Outras "referências novelísticas" marcaram as locações. O bairro da Urca, famoso por conta de A Gata Comeu (1985), abrigava boa parte das gravações. A casa no Cosme Velho que servia de sobrado para a família Montana também hospedou o casal Zuleika e Rômulo (Eva Wilma e Cláudio Corrêa e Castro), de História de Amor (1995). Também de 'História', a construção que serviu de locação para a clínica do Dr. Carlos Moretti (José Mayer), vista também em Roda de Fogo (1986), Zazá (1997), Brida (1998) e, posteriormente, Como Uma Onda (2004). Nos cenários, fotos de Vivianne Pasmanter como Laura, de Por Amor (1997), então seu último trabalho. - O Rio de Janeiro foi reverenciado a todo momento. Segundo o diretor Dennis Carvalho, a novela possuía um clima "bossa nova", que resgatava o charme da Cidade Maravilhosa. - Paisagens cariocas davam o tom da abertura, que trazia cartões postais, como o Pão de Açúcar, em movimento. Lembrava, de leve, a vinheta de Estúpido Cupido (1976). - O tom da novela remetia aos sitcoms de sucesso da TV americana. Marinho também admitiu a inspiração em comédias românticas dos anos 1940 e 1950. - Outra referência: o colunista social do Correio Carioca, Jacques Delon (Antônio Pedro), tomou como base o perfil do folclórico Ibrahim Sued, que ocupava a mesma função na redação do jornal O Globo. - Cerca de R$ 90 mil foram gastos em cada capítulo da produção. - O lançamento contou com um making-of, exibido pelo canal Multishow, da Globosat, no domingo anterior à estreia (21), 19h. - Cláudio Marzo emprestou seu charme ao vilão Antônio San Marino, responsável pela morte de Gregório. Empresário do ramo da comunicação - desde que assumiu a redação do jornal da família Montana, Correio Carioca -, San Marino almejava seguir carreira na política, contando com o auxílio do marqueteiro Bob Lacerda (Felipe Camargo). - Enquanto Cláudio Marzo revivia o par de Cambalacho (1986) e Bambolê (1987) com Susana Vieira, Felipe Camargo reeditava o romance com Lúcia Veríssimo, aqui como a terapeuta Flora, já visto em Mandala (1987). - Dentre as polêmicas de bastidores, destaque para a campanha antitabagismo, liderada por Daniel Filho, em meio ao empenho do Ministério da Saúde em advertir o consumidor sobre os malefícios do cigarro. Chico Mota, fumante inveterado, enfrenta diversas situações, hilárias, na tentativa de largar o vício. Na mesma época, Nana, personagem de Nívea Maria em Suave Veneno, às 20h, também deixou o tabagismo de lado. - Ainda, críticas - por parte da imprensa especializada em TV - ao núcleo jovem. Diferente de outras produções, nas quais os adolescentes estão sempre em ebulição, Celi, Joana e Thiago prezavam pela castidade. Surgiu então Valéria (Isabel Guéron), que "desvirginou" o rapaz. Em contrapartida, Mariana Ximenes, Fernanda Souza e Caio Blat ocupavam todas as revistas destinadas ao público infanto-juvenil, tamanho sucesso! - Susana Vieira queixou-se, educadamente, do perfil de Gonçala. "O público reclama que apareço pouco. É um desperdício para mim e para a TV. Fico muito parada, gravo pouco. Estou acostumada a "ralar" mais. Mas sou obediente ao autor. Estou no barco e vou com ele", em entrevista a O Globo, de 23 de maio de 1999. De fato, Gonçala San Marino era um pouquinho "de menos" para quem acabara de interpretar Branca Letícia de Barros Mota, em Por Amor. - Otávio Augusto também se aborreceu com Alex, conforme relatado pelo próprio, também ao jornal O Globo (26 de setembro de 1999): "Ele é um quinto coadjuvante. Nesta trama, os atores superaram os personagens e a própria história". - Segundo Otávio, o ciúme da mulher Oneide prejudicaria o casamento de Alex. A dona de casa então se envolveria com Tião Alemão (Tony Tornado), dono do bar Berlim, vizinho à redação do Correio Carioca. Nada disso aconteceu. - Já Judite (Nicette Bruno) e Lúcia Helena (Júlia Lemmertz) cresceram - e muito! - ao longo da narrativa. A mãe e a ex-mulher de Chico Mota viviam às turras, até o envolvimento do jornalista com Júlia. Unidas, elas fizeram um verdadeiro inferno na vida da primogênita dos Montana. Obcecada por intervenções cirúrgicas, Lúcia Helena chegou a operar os seios para deixá-los maiores do que os de sua rival. E também forçou a filha, a pré-adolescente Constância (Gabriela Martins), a aporrinhar a madrasta. - Júlia Lemmertz atuou grávida durante boa parte da trama. Já na reta final, a atriz passou a usar de objetos de cena para esconder a barriga. A direção também passou a privilegiar closes e enquadramentos que escondessem a gestação. - A produção apostou em participações especiais. Atores iam e vinham, conforme as necessidades do enredo, movimentando a narrativa. Neste contexto, destaque para Bruna Lombardi como Frida, cientista que pesquisava a fórmula do amor, entrevistada por Chico e Júlia; Milton Gonçalves como um delegado; Regina Maria Dourado como Ieda, mãe de Raul; e Zezé Polessa como Bonitona, motoqueira que ajuda Otávio a fugir da clínica psiquiátrica. - Andando Nas Nuvens demorou a decolar! A novela se aproximou de índices considerados alarmantes pela Globo, na ocasião - abaixo dos 30 pontos. Segundo publicações da época, Marinho chegou a "trocar ideias" a respeito da condução com autores tarimbados, como Gilberto Braga, Manoel Carlos, Ricardo Linhares, Silvio de Abreu e Walther Negrão. - A novela já estava estabilizada, indo de 35 a 40 pontos, quando entrou em sua "segunda fase". Foi quando San Marino conseguiu dispensar Gonçala, deixando-a sem um tostão. Também enviou Otávio para uma clínica psiquiátrica; este tiro, porém, saiu pela culatra já que o "desmemoriado" se lembrou do que acontecera na noite da morte de seu pai, após tomar outro choque elétrico. - Neste momento, 'Andando' apostou numa narrativa mais folhetinesca: Beth casou-se com o primogênito de San Marino, Arnaldinho (Márcio Garcia), alegando esperar um filho dele - na verdade, herdeiro de Raul; já Júlia, cuja semelhança com a mãe, Eva, impressionava, tornou-se alvo das investidas de San Marino, seu verdadeiro pai - também genitor de Joana, a quem Janete pede auxílio após perder a academia, por conta das dívidas do namorado Atila, não podendo mais sustentar a filha. - Com a volta de Eva, vivendo sob a identidade da Condessa Astrid Von Brandenburg, estabeleceu-se um imbróglio: um retrato da personagem fora pintado tomando por base os traços de Débora Bloch, já que Júlia era muito parecida com a mãe. Logo, era preciso encontrar uma atriz que guardasse as devidas semelhanças com Bloch. Renata Sorrah fora escolhida para o papel. A mudança física de Eva foi justificada com uma cirurgia plástica, na intenção de fugir de San Marino. Testemunha da morte de Gregório, Eva fugiu com o dinheiro do sogro, temendo ser o próximo alvo do vilão, seu amante. - Nos capítulos finais, Ary Coslov voltou à cena, então como um garçom. Ao vê-lo, Otávio exclama: "Que garçom estranho, parece meu pai!". O caco, inserido pelo ator, acabou mantido na edição final. Dennis Carvalho também participou da trama, em off: era voz do comissário que anunciou a chegada de Júlia ao Brasil, no primeiro capítulo. - Karla Karenina, reverenciada como Dita, a empregada de Silvana (Lilia Cabral) em A Força do Querer (2017), participou de Andando Nas Nuvens como Iracema, arrumadeira na casa dos San Marino. Karla já era conhecida do público, por conta de sua presença na Escolinha do Professor Raimundo (1990). - O Casseta & Planeta, Urgente! transformou Andando Nas Nuvens em 'Fernando Nas Nuvens', uma referência ao então presidente Fernando Henrique Cardoso, parodiado por Hubert. FHC surgiu na mesma situação de Otávio Montana: despertando de um sono profundo e se deparando com o Brasil que não conhecia. - A trilha sonora popularizou o grupo Fat Family, responsável pelo tema de abertura, 'Gulosa'. Para a vinheta, os integrantes regravaram a canção, substituindo o trecho "quero ser a dona do seu prazer" por "quero andar nas nuvens com você". Também Maurício Manieri, alçado ao estrelato com 'Minha menina', tema de Beth e das vinhetas de intervalo. - Outro êxito: a mochila de couro transpassada que Júlia usava para transportar seu notebook. A peça, da Zoomp, custava uma pequena fortuna: R$ 259,00.
  17. Antonio Fagundes Reprisada recentemente pelo canal pago Viva, "O Dono do Mundo" (1991) desagradou Antonio Fagundes, que viveu o cirurgião plástico Felipe Barreto. O ator se incomodou e chegou a reclamar que seu personagem se transformou de vilão a mocinho abruptamente: "O Felipe Barreto ainda vai ser canonizado [...] Acho que ninguém muda tanto de caráter assim. Mas a função de uma novela é entreter o público" Adriana Esteves Adriana Esteves não guarda boas lembranças de "Renascer" (1993). A atriz foi duramente criticada como a mocinha Mariana, teve depressão e se afastou da TV durante quase dois anos: "Eu era muito nova e fazia uma protagonista muito grande e complexa em 'Renascer', de Benedito Ruy Barbosa. Claro que não tinha muita maturidade para lidar com o sucesso tão grande de uma protagonista de novela das oito" José de Abreu Em 1994, José de Abreu decidiu se afastar da televisão. Estava cansado das novelas e detestou seu personagem em "Sonho Meu" (1993). "É o pior trabalho que já fiz. A trama não tem pé nem cabeça, está repleta de contradições. O próprio Geraldo é um personagem esquizofrênico. Um dia, dá porrada. No outro, chora como criança. Parece que os autores do texto não conversam entre si", reclamou Miguel Falabella "A Viagem" (1994) marcou muitos telespectadores, mas incomodou Miguel Falabella, que intepretou Raul. Ele se quexou do excesso de cenários e criticou uma das autoras, Solange de Castro Neves: "É uma novela muito cansativa de fazer. Tem cenários demais. A ação não é concentrada [...] É essa moça que está adaptando. Ela coloca a gente em cena muitas vezes, em todos os cenários, não sei para quê" Márcio Garcia Marcio Garcia trocou a Record pela Globo para ser protagonista de uma novela das nove. Mas, em "Caminho das Índias" (2009), seu personagem, Bahuan, perdeu Maya (Juliana Paes) para Raj (Rodrigo Lombardi) e ficou sem função. O ator detestou: "Foi um erro. Desde o início, o personagem não estava bem definido [...] Bahuan era um coitado. Não sabia se era mocinho ou vilão. Teve uma crise existencial" Taís Araújo Primeira Helena negra de Manoel Carlos, Taís Araújo perdeu espaço em "Viver a Vida" (2009) para Luciana (Alinne Moraes), que ficou tetraplégica, e saiu da novela decepcionada: "Fui achando que seria a chance da minha vida, e não era. Ou talvez tenha sido, porque mudei muito depois daquilo [...] Eu não fazia bem e não sei se tinha como fazer [...] Me sentia em uma areia movediça, patinei até o fim" Luiza Tomé Luiza Tomé odiou tanto "Máscaras" (2012) que pediu no Twitter para sair: "Será que o Lauro [César Muniz] está gostando da figuração que estou fazendo? 28 anos nadando e morrer na praia! Não quero mais [...] Não é a primeira novela que faço do Lauro, mas com certeza será a última, me sinto humilhada. Ele não escreve pra mim! Me tira! É mais digno". Oficialmente, ela saiu por problemas de saúde Vera Fischer Vera Fischer atuou em "Salve Jorge" (2012) o tempo todo sentada, o que virou motivo de piadas na internet e reclamações da atriz: "O papel de Irina para mim é humilhante. Acho que não precisava me chamar para fazer essa novela! [...] Colocava então uma pessoa que está começando, que precisa e tal. Eu não digo nada, eu não faço nada, eu não existo". A autora, Gloria Perez, ficou magoada com a amiga Marcello Antony A novela "Amor à Vida" (2013) certamente foi esquecida por Marcello Antony, que interpretou Eron. Ele criticou o núcleo gay e seu personagem: "Vejo uma trama mais preocupada com a comédia em vez de mostrar gays que têm família. Eu sofro para dizer aquele texto". O autor, Walcyr Carrasco, rebateu: "É óbvio que um ator diz textos que nunca diria, caso contrário só representaria a ele mesmo" Fúlvio Stefanini Fúlvio Stefanini também não ficou satisfeito com "Amor à Vida" (2013). "O personagem foi muito esquecido. Ele não tinha história. Eu tirava leite de pedra", reclamou o ator sobre seu papel, Denizard, dono de um bar. A resposta da Globo e de Walcyr Carrasco foi silenciosa. A emissora o demitiu após 40 anos e o autor, que sempre escalava Fúlvio, nunca mais o convidou para atuar em suas novelas Giselle Itié Giselle Itié odiou a edição de "Os Dez Mandamentos" e criticou no Twitter os cortes "grotescos" no reencontro de sua personagem, Zípora, com a irmã, Adira (Rayana Carvalho): "Infelizmente, o editor preferiu 'salvar' a caracterização das personagens do que colocar no ar a real emoção sem cortes grotescos... Muito frustrada do lado de cá. Muito [...] Triste. Para nós atores, dói muito" Lima Duarte O arrependimento bateu até para Lima Duarte. Ele admitiu ter odiado Max, de "Araguaia" (2010): "Foi muito chato, detestei esse vilão aí. Não gostei de fazer". E também se "perdeu" como Don Peppino, de "I Love Paraisópolis" (2015): "Pensava: 'Por que eu faço isso? Não preciso mais. Vou parar' [...] Caí de paraquedas na novela. Não conheço ninguém, não sei os personagens, não conheço bem a história" https://tvefamosos.uol.com.br/album/2018/01/11/se-pudessem-voltar-no-tempo-astros-da-tv-que-se-arrependeram-de-novelas.htm?foto=10


×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site, you agree to our Terms of Use.